Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Bibendum comilão

Monza, todos sabem, é o adeus da F-1 da Europa neste ano. É , de quebra, a despedida de um monte de gente que não viaja para as corridas na Ásia ou no Brasil. Entre eles, boa parte do pessoal de cozinha das equipes. Nas provas fora do Velho Continente, os times não montam seus restaurantes nos motorhomes pelo simples motivo de que... não levam os motorhomes. Tudo vai de avião, claro.
 
Neste ano, uma despedida será definitiva. Amanhã será o último dia de funcionamento do motorhome da Michelin, que, dizem, faz uma comida fantástica. Não, nunca comi lá. Já tentei algumas vezes e fui barrado. Acontece. As empresas dão prioridade para os jornalistas de países em que têm interesse e aparentemente o Brasil não tem lá tanta importância para a Michelin. Mas tudo bem, deixa pra lá, viro-me em outras plagas. Já vai tarde.
 
O curioso é que hoje os franceses soltaram uma lista com tudo o que foi consumido no tal motorhome em seis temporadas de F-1. Segue um extrato:
 
- 620 quilos de foie gras;
- 2.250 quilos de carne;
- 1.800 quilos de frango;
- 20.400 quilos de vegetais;
- 15.300 quilos de frutas;
- 720 quilos de bolo;
- 4.890 peças de queijo;
- 1.850 litros de vinho;
- 12.250 baguetes.
 
E pensar que não colaborei com uma azeitona.

Escrito por Fábio Seixas às 14h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cosa nostra

A FIA acatou a reclamação de Felipe Massa e acaba de punir Fernando Alonso. Ele perdeu as três melhores voltas e despencou de quinto para décimo no grid.

Comentário que ouvi de um repórter italiano. Veja bem, ITALIANO: "Perto da F-1, a máfia siciliana parece brincadeira" 

Escrito por Fábio Seixas às 13h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rapidinhas

Massa está fulo da vida aqui em Monza. Diz que foi atrapalhado por Alonso na última volta e que isso lhe custou três décimos. Se for verdade, lhe custou mais: a segunda pole position. O fato é que o brasileiro foi reclamar na torre de controle e que estamos aguardando uma resposta. Uma punição a Alonso, a esta altura do campeonato, seria um sonho para Schumacher.
 
Antes do treino, Montezemolo falou com os jornalistas. Não sei se estamos todos sugestionados, mas seu discurso teve tom de despedida. "Qualquer que seja a decisão anunciada amanhã, Schumacher ficará na história da Ferrari". Como se ele não soubesse...
 
Observando a folha de tempos agora, com mais calma, outros destaques: o excelente resultado da BMW (Heidfeld, 3º; Kubica, 7º), a rápida recuperação da Honda após o fiasco de ontem (Button, 6º; Barrichello 9º), o vexame de Fisichella, 10º (Nelsinho vem aí...) e o megavexame do Webber (19º, cortado logo no primeiro bloco do treino).

Escrito por Fábio Seixas às 12h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Monza, treino oficial

Pole surpreendente do Raikkonen em Monza. A Ferrari parecia imbatível, mas o finlandês foi impecável e cravou Schumacher por 0s002. Bem, de uma forma ou de outra, é pole ferrarista.

Schumacher concede entrevista coletiva agora e parece satisfeito. "A segunda posição, atrás do Kimi, é confortável", disse. Vai ser interessante conferir o comportamento do neo-ferrarista na largada, amanhã.

Mas acho que o maior motivo para a alegria do alemão são os dois carros entre ele e Alonso: Heidfeld, terceiro, e Massa, quarto.

Agora vou correr pra entrevistar o povo. Daqui a pouco eu volto.

Escrito por Fábio Seixas às 09h22

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Às compras

Monza e Silverstone são especialmente pródigos em lojinhas e barracas de produtos de automobilismo. Neste ano, culpa da Copa do Mundo, não fui para a Inglaterra. Não podia, então, deixar passar a chance neste final de semana.
 
Acabo de voltar das compras, num espaço que existe aqui atrás do paddock. É de deixar qualquer um que goste desse negócio de queixo caído. E não estou falando de camisetas (€ 30 um modelo de Kimi Raikkonen) ou bonés (€ 25 o da Ferrari).
 
O negócio bom, tanto aqui como em Silverstone, é procurar livros, fitas de VHS, DVD, adesivos e chaveiros de equipes antigas.
 
Não queria gastar muito. Dancei. A conta deu € 44, assim discriminada:
- 1 (um) poster antigo de Monza, ainda não sei bem o ano, mas é dos 60;
- 1 (um) poster da Renault, com todos os modelos produzidos do Gordini;
- 1 (um) adesivo da Lotus;
- 1 (um) adesivo da Hesketh;
- 1 (um) adesivo da Ancai, a associação italiana de pilotos;
- 1 (um) chaveirinho da Ferrari.
 
O xodó, claro, é o poster dos Gordinis. Esse vai para a parede de casa.

Escrito por Fábio Seixas às 08h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Monza, terceiro treino livre

Massa dominou o último treino livre, a exemplo do que fez semana passada aqui mesmo em Monza. Schumacher voltou a errar bastante, ficou a sessão toda lá por quinto-sexto-sétimo e só no final melhorou. Heidfeld também subiu nos últimos minutos.
 
A Honda, de motor velho, andou razoavelmente bem o treino todo, mas perdeu fôlego no fim. E Alonso, quinto, mostra que tem carro para incomodar no treino classificatório. É o jogo da Renault: esconder as cartas até o último momento.

Escrito por Fábio Seixas às 06h25

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nakajima, o retorno

Que a Williams está numa draga financeira de dar dó, não é novidade para ninguém. Mas fiquei sabendo de uma boa por aqui.
 
Para conseguir um descontinho no fornecimento de motores da Toyota a partir do ano que vem, Sir Frank aceitou hospedar o piloto de testes que os japoneses indicarem.
 
E ele será Kazuki Nakajima, 21, filho do nosso velho conhecido Satoru. Kazuki hoje é o sétimo colocado na F-3 européia e no ano passado foi vice-campeão da F-3 japonesa, atrás do João Paulo Oliveira.
 
Se ele é bom, não sei, nunca vi correr. Tem gente que adora dar veredictos na linha "é um piloto técnico" ou "é bastante agressivo" mesmo sem nunca ter visto o sujeito correr. São sommeliers de pilotos. Eu não entro nessa.
 
acho que se Kazuki fosse bom, a Toyota pegava para ela. Acho ainda que Satoru foi um injustiçado: não era um fenômeno, claro, mas deu azar de dividir equipes com dois que eram, Piquet e Senna. E, por fim, também acho que pai e filho são a mesma cara.
 

Escrito por Fábio Seixas às 06h12

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rassegna stampa

Manchetes das páginas esportivas dos jornais italianos neste sábado:

La Gazzetta dello Sport: "Schumi, chefe de Raikkonen"

Corriere dello Sport: "Schumi voa, mas não se impressiona. 'O verdadeiro Alonso não é este'"
 
Tuttosport: "Raikkonen é um bom ator: 'Ainda não sei de nada'"
 
Corriere della Sera: "Monza espera o SuperSchumacher"
 
La Repubblica: "O conselho de Stewart a Schumacher: 'Pare enquanto está no topo"'
 
Il Giorno: "Schumi: 'Alonso está encondendo o jogo"'
 
Il Giornale: "Stewart: 'Schumacher não é o maior'"
 
La Stampa: "Imprevisível"

Escrito por Fábio Seixas às 05h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Chuva, sol e palpites no jantar

Choveu muito durante toda a noite, mas o sábado amanheceu bonito aqui em Monza. Faltando dez minutos para o início do treino, a temperatura é de 26 graus, com 28 no asfalto.
 
E se ontem cheguei ao autódromo junto com o Kaká e o Raikkonen, hoje trombei na catraca com o Willi Weber, uma das poucas pessoas no planeta que conhecem o teor do comunicado de amanhã.
 
Aliás, este foi um dos temas do jantar de ontem, no restaurante do Albergo Santo Eustorgio, aqui do lado, em Arcore, onde boa parte dos jornalistas da F-1 (inclusive este que vos escreve) se hospeda todo ano: quantas pessoas no mundo realmente sabem o que acontecerá?
 
Meu palpite à mesa: dez, Montezemolo, Todt, Brawn, Schumacher, Corinna, Weber, Massa, Titônio e Ana (seus pais) e Rafaela (a namorada). Aliás, preciso incluir mais dois neste palpite, porque o Raikkonen e seu empresário, Robertson, também sabem. Pronto, 12 pessoas, não mais.
 
E se alguém que não esteja nesta lista te disser alguma coisa, é chute.

Escrito por Fábio Seixas às 04h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Moto em Monza

Bernie Ecclestone acaba de dar seu aval e os 26 telões espalhados por Monza vão mostrar, no domingo de manhã, horário italiano, a etapa malaia da MotoGP. Uma decisão bacana, inteligente e surpreendente.
 
Para quem não tem idéia da dimensão dessa atitude, uma pequena historinha: já tivemos que brigar algumas vezes para assistir, na sala de imprensa, a uma corrida de outra categoria ou mesmo a um joguinho de futebol.
 
E em Barcelona, todos os anos, os funcionários do autódromo são obrigados pela F-1 a camuflar uma máquina de Coca-Cola com um plástico vermelho. Detalhe, a tal máquina fica escondida, num canto da sala de imprensa.
 
Na cabeça dos homens da F-1, assistir a uma prova da IRL ou exibir uma marca que não paga para estar ali, mesmo na restrita sala de imprensa, é perder dinheiro, o que equivale a sacrilégio.
 
Menos mal que Ecclestone, aqui, se dobrou. O público italiano agradece: poderá torcer por Vale de manhã e por Schumi à tarde. E certamente será maior do que o esperado.

 

Escrito por Fábio Seixas às 12h26

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rapidinhas

Lá embaixo, no paddock, Massa jura não saber detalhes sobre como será feito o anúncio no domingo. Diz que está com as costas mais leves após a primeira vitória e que Schumacher vem agindo naturalmente nesta semana.
 
Barrichello mandou avisar que não vai falar com ninguém porque, afinal, não fez nada o dia todo.
 
E a Honda deu o braço a torcer: abandonou o plano de estrear o motor 2007 neste final de semana. Neste momento os mecânicos trabalham como uns loucos para refazer a traseira dos carros, que irão à pista amanhã com o velho e (mais ou menos) confiável propulsor 2006.

Escrito por Fábio Seixas às 09h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Monza, segundo treino livre

Fim do segundo treino livre, a Ferrari sobrou. Foi mais consistente e veloz durante toda a sessão, dominou a tarde e só foi superada nos últimos instantes por Vettel, numa daquelas voltas só com o cheiro da gasolina para ganhar espaço nos jornais.
 
Na ilusória folha de tempos, Schumacher é o segundo e Massa, o terceiro. Na vida real, Schumacher é o favoritíssimo à pole, amanhã. Isso, é claro, se não for superado mais uma vez por Massa _em treino oficial é mais complicado dar ordem.
 
Alonso foi discreto como em todas as sextas-feiras, oitavo. Barrichello, assim como Button, não saiu dos boxes: receio total com o novo motor.

Escrito por Fábio Seixas às 09h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dias difíceis virão

Onze minutos no segundo treino livre, oito voltinhas na pista e lá se vai mais um motor de Davidson. O Honda estourou na Lesmo e pegou fogo, quase um replay do que aconteceu pela manhã.
 
A sacada dos japoneses é correr já com a unidade 2007 para tirar vantagem do regulamento: os propulsores serão congelados a partir do GP da China _em tese, todas as equipes terão que disputar o próximo Mundial com motores idênticos aos usados em Xangai.
 
Pode funcionar, pode não funcionar. Hoje, há apenas uma certeza: Button e Barrichello vão sofrer muito, muito, muito nesse finalzinho de ano. Pode esperar. 

Escrito por Fábio Seixas às 08h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nota só

Manchetes das páginas esportivas dos jornais italianos nesta sexta-feira:
 
Corriere della Sera: "A corrida é um detalhe, o futuro de Michael Schumacher é o tema";
 
Avvenire: "A F-1 começa a pensar sem Schumacher";
 
La Gazzetta dello Sport: "Se vou parar? Próxima pergunta";
 
Il Gazzettino: "Meu futuro, só depois desta corrida";
 
Il Giornale: "Schumacher quer aprontar antes da aposentadoria";
 
E meu preferido, do Corriere dello Sport: "A F-1 perde um grande jogador de futebol"

Escrito por Fábio Seixas às 07h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Monza, primeiro treino livre

Começou bem o motor 2007 da Honda. Davidson deixou os boxes e já na Curva Grande, a terceira do circuito, teve que encostar, princípio de incêndio na traseira, óleo por todo o asfalto... Bandeira vermelha, treino interrompido. O que não vai mudar a cotação do yen, mas vai deixar os japoneses um tanto preocupados.
 
Depois de uma hora, fim de sessão, Vettel é o mais rápido entre os 12 que fecharam volta. Outros 17 preferiram não marcar tempo. Alguma coisa está muito errada neste regulamento e a FIA finge que não vê. Pior, quer acabar com os pilotos de testes nas sextas-feiras no ano que vem.
 
Por que melhorar se a gente pode piorar, não é? 

Escrito por Fábio Seixas às 06h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Kaká, Kimi e minha mala

Kaká está em Monza. Chegou por volta das 10h, entrou no motorhome da Bridgestone (não imagino o motivo, será que foi pedir uns pneus?) e de lá foi visitar o são-paulino Massa na Ferrari. "Já tinha vindo dois anos atrás. Gosto de F-1", foi tudo o que disse o bom meia da seleção e do Milan.
 
Exatamente na mesma hora Raikkonen pisava no paddock. Os dois se trombaram na catraca e chegou a ser engraçado, porque um não reconheceu o outro. Peraí, 10h? Não dá. Um piloto que quer alguma coisa aqui não pode chegar ao autódromo só uma hora antes do treino. Não dá.
 
E só para registro, já que este blog se propõe a falar também sobre viagens: abriram minha mala, rasgaram um pacote e tungaram uma blusa. Despachei minha mala em Cumbica, fiz escala em Amsterdam e reencontrei-a em Milão. Deve ter sido um brasileiro, um holandês ou um italiano, portanto. Só espero que não esfrie por aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 05h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Kitsch

Quase 1h da madrugada aqui, a mala está no chão do quarto, ainda fechada. Sono, cansaço, o chuveiro que chama. Mas antes um último post, não deu pra resistir: a capa da "Autosprint" desta semana é uma das coisas mais bizarras dos últimos tempos.
 
O título é "Mission Possible 8". Foi montado sobre uma foto de Schumacher correndo, olhar determinado ao estilo Tom Cruise, com uma explosão daquelas ao fundo.
 
É kitsch demais, enfim. Até amanhã.

Escrito por Fábio Seixas às 18h50

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ainda não foi hoje

Lá no paddock, já escuro a essa hora, muito bafafá em volta dos caminhões da Ferrari e nenhuma novidade. Schumacher foi polido, chegou ao motorhome lotado de jornalistas e antes que alguém perguntasse, disse que não responderia a perguntas sobre a aposentadoria. "O comunicado é claro e óbvio. Vocês saberão no domingo", foi mais ou menos a linha do discurso do alemão.
 
Pedro Bassan, colega global, ainda tentou, claro, cutucar. Perguntou se ele não preferiria que o anúncio fosse feito com a temporada encerrada. A resposta do alemão: "Próxima questão."
 
Aliás, falando no assunto, dêem uma olhada aqui. Era para ser um site de apoio à permanência do Schumacher na F-1, mas já virou bagunça. Tem até um certo Heinz Harold (sic) clamando: "Devolva minha mulher!"... Sensacional

Escrito por Fábio Seixas às 18h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Largada

Pronto, comecei. O mais difícil num blog talvez seja começar. Pensei numa espécie de prólogo, num prefácio, numa lista de agradecimentos, numa apresentação detalhada do que imagino para este espaço. Mas não. Qualquer coisa assim deixaria esse início muito formal, muito maçante, engessaria o formato e isso é tudo o que quero evitar, sempre.
 
Este blog será dinâmico. Será mutante. Falaremos muito sobre F-1 aqui, mas não apenas sobre as corridas, os treinos e/ou os tão famosos rumores dos bastidores. Minha idéia é abordar, sempre que possível com informações exclusivas e com bom humor, os mais diversos aspectos que cercam esta e outras categorias do automobilismo. Além, é claro, de pitacos sobre tudo o mais.
 
De hoje até domingo, atualizarei o blog direto da sala de imprensa de Monza, um dos autódromos mais legendários da história do esporte a motor. Um belo início, dei sorte.
 
E já que estamos na era do "em tempo real", vamos lá: aqui em Monza é fim de tarde, 32 graus e uma pequena multidão de jornalistas espera diante dos caminhões da Ferrari na esperança, vã, que alguém dê com a língua nos dentes e revele algo sobre o futuro do Schumacher. Bom, deixa eu correr pra lá.
 
Volto a qualquer momento.

Escrito por Fábio Seixas às 13h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.