Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Edição extraordinária

O "edição extraordinária", no que deveria ter sido o último post do ano, era ficção. Estou de férias, e minha idéia era não postar nada até voltar a São Paulo ou à redação. Era.

Escrevo da Guarda do Embaú, Santa Catarina, 30 quilômetros ao Sul de Floripa, primeira parada rumo à Argentina. Lugar lindo.

Terça à noite, andando pelo centrinho, vejo aquela figura mirrada sentada numa mesa com um grupo de amigos. Não acreditei. Não poderia ser. Sabe quando você força os olhos para tentar enxergar direito? Pois é, foi o que fiz. E enxerguei, direito, Cristiano da Matta.

Pois é. Aqui, nessa praia paradisíaca, com sol de rachar, água doce e salgada, encontrei o herói destes primeiros quase seis meses de blog. Animado. Animadíssimo. Falante, como sempre.

Vai completar aqui, dia 1º, cinco meses do acidente que quase lhe tirou a vida. Acidente do qual fala com desenvoltura. Diz que aos poucos vai recuperando a memória e que já lembra do dia da batida. Lembra até da volta em que atropelou o veado. "A equipe tinha me chamado para os boxes, mas eu não estava desacelerando. Estava rápido, porque tinha umas coisas de freio pra testar. E vi aquele bichão na minha frente, andando todo posudo, mas não tive tempo de desviar. Não deu."

Cristiano faz piada o tempo todo. Diz que tirou o primeiro domingo em casa para assistir, pela TV, à etapa de Buenos Aires da Stock Car. Aquela, em que seu amigo Gualter também quase foi desta pra melhor. "Na hora pensei: 'esse troço de corrida parece que é perigoso'."

Não sabe quando poderá voltar a correr, mas está feliz porque o médico já o liberou para andar de bicicleta. "Dentro da minha ignorância médica, parece uma boa notícia. Porque tomar uma vaca de bike também pode ser complicado. Então acho que em uns dois meses vou estar liberado."

E se essa liberação nunca vier?, ele pergunta, para ele mesmo responder: "Tudo bem. Depois de tudo o que aconteceu, se eu não melhorar mais nada, está bom demais." Sotaque mineiro carregado.

Depois disso cruzei Cristiano na praia duas vezes. Hoje à tarde, uma soneca mais prolongada impediu-me de disputar com ele e seus amigos uma corrida de tampinhas. Quando voltar ao caos, eu explico aqui do que se trata.

Amanhã pego a estrada novamente, mais uma perna de 700 e poucos quilômetros. Feliz. Porque este blogueiro e este blog receberam inesperadamente nos últimos dias de 2006 um enorme presente de Natal e uma gigantesca lição de vida.

Volto em 2007. Ou a qualquer momento, em edição extraordinária.

Escrito por Fábio Seixas às 20h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.