Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Hamilton, pole que vale o Mundial

É quase que só receber a taça. Líder do Mundial, com 12 pontos de vantagem sobre Alonso, Hamilton largará na pole position do GP da China.

 

Ao seu estilo, com um desempenho apagado nos dois primeiros trechos do treino, mas com uma volta impecável na última oportunidade que teve, o inglês cravou a sexta pole da carreira.

 

Para quem pode ser campeão por antecipação até mesmo chegando atrás dos rivais, é um passo gigantesco. Mais: Alonso, seu grande rival, é o último do G4.

 

Fica difícil questionar o título de Hamilton quando os outros não ajudam...

 

O treino aconteceu sem grandes incidentes. Quem escapou, conseguiu voltar à pista sem problemas. O que não falta em Xangai é área de escape.

 

No primeiro bloco, rodaram Barrichello, Fisichella, Wurz, Sato, Sutil e Yamamoto. Não sei o que houve com o brasileiro de uns tempos pra cá, mas ficar atrás de Button está virando rotina...

 

Lá na frente, a Ferrari fez os melhores tempos. Raikkonen cravou 1min35s692, 0s100 melhor que Massa. Hamilton foi o terceiro, seguido por Alonso.

 

O Q2 foi quase uma repetição. No G4, só Hamilton e Alonso trocaram de posições. Raikkonen foi o primeiro, com 1min35s845, mostrando a que vinha. Massa ficou a 0s053. Alonso desta vez foi o terceiro. A Hamilton, restou o quarto posto _aliás, coisa mais chata isso, ninguém se intromete...

 

Além dos quatro, passaram Button (pois é...), Webber, Heidfeld, Kubica, Ralf e Coulthard. Os cortados da vez, Liuzzi, Vettel, Trulli, Kovalainen, Davidson e Rosberg.

 

No terceiro bloco, depois da tradicional queima de gasolina, Hamilton deu seu bote. A 3 minutos do fim, era o terceiro colocado. Foi, então, para a última volta. Fez os melhores tempos nas duas primeiras parciais e cravou todo mundo. Seu tempo, 1min35s908.

 

Raikkonen ficou em segundo, com 1min36s044. Massa foi o terceiro, seguido por Alonso.

 

Sim, o tufão deve passar por lá, a chance de chuva é de 90% e isso pode invalidar qualquer prognóstico para a corrida. Mas o prognóstico para o campeonato é quase certo.

 

Hamilton, campeão mundial.

Escrito por Fábio Seixas às 03h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Xangai, 3º treino livre

A julgar pelos resultados dos treinos livres, a sessão classificatória em Xangai será das mais apertadas. Mais uma vez, o equilíbrio deu o tom.
 
Apenas 0s305 separaram o primeiro e o último do G4. Melhor tempo para Raikkonen, 1min36s100, com Alonso em segundo, a 0s026. Hamilton foi o terceiro, 1min36s227. Massa ficou em quarto, com 1min36s405.
 
Quem fica com a pole? Difícil dizer. Mas, na Ferrari, Raikkonen vem andando mais rápido que Massa. E, na McLaren, Alonso colocou tempo em Hamilton em todos os treinos.
 
Button foi o 13º colocado. E Barrichello mais uma vez ficou (bem) atrás do companheiro de Honda, em 18º.
 
Aliás, ouvi o brasileiro reclamar no "Jornal da Globo": "É complicado lutar por pontos com um carro que, no máximo, larga em 12º ou 13º".
 
Ué, Button não largou em sexto no Japão?

Escrito por Fábio Seixas às 00h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado nublado

Acabo de falar com Xangai.
 
O sábado amanheceu nublado, com muito vento e  com calor:  30º C.
 
"Acho que não chove", disse minha fonte, no chutômetro puro.

Escrito por Fábio Seixas às 22h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais sobre o tufão

O tufão que se aproxima de Xangai é destaque no Red Bulletin deste sábado.
 
 
"Não que a gente queira alarmar todo mundo, mas um tufão está vindo para cá", diz o bem-humorado jornal da Red Bull, sobre a foto de satélite do fenômeno e um chamativo "você está aqui!"

Escrito por Fábio Seixas às 18h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um tufão vem aí

Você acha que a chuva em Monte Fuji foi forte?
 
Ok, foi. Mas pouca coisa perto do que deve vir por aí. A meteorologia chinesa prevê a chegada de um tufão a Xangai na manhã de domingo.
 
O tufão Krosa, que hoje atinge Taiwan, já alcançou a categoria 4 (a segunda mais forte, com ventos entre 209 km/h e 248 km/h) e está a caminho de Wenzhou, ao sul da região do autódromo.
 
As equipes foram avisadas. No treino classificatório, já deve chover forte.
 
(Em 2004, no Japão, a passagem de um tufão fechou Suzuka no sábado. A sessão oficial aconteceu no domingo pela manhã e deu à FIA a mirabolante idéia de, em 2005, definir os grids pouco antes das corridas, lembra? Foi um fiasco, e a entidade logo mudou de idéia.)
 
Bom, o que importa é que a coisa deve ficar feia...
                                                                                                                    Nicky Loh/Reuters
Funcionários de loja em Taiwan protegem vitrines para tentar evitar prejuízos

Escrito por Fábio Seixas às 15h12

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Imagens do front

Tatiana Cunha enviou os primeiros cliques direto de Xangai...
 
 
 
 
 
Repito o que disse quando inauguraram este autódromo: tenho certeza de que a F-1 não erguerá, nunca, uma estrutura mais suntuosa do que essa.
 
Ah, aceito sugestões de legenda para a última foto.

Escrito por Fábio Seixas às 13h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Criador e criatura

Isso, riam da nossa cara...
 
 
Mais uma tirada das F1 Girls.

Escrito por Fábio Seixas às 12h07

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Así fue la maniobra ilegal

O site do “Marca” vem se notabilizando pelas excelentes animações.

 

Aqui, a explicação passo-a-passo da manobra de Hamilton em Monte Fuji.

 

A dica foi do Fernando, de Americana.

Escrito por Fábio Seixas às 10h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hamilton, blindado, absolvido e campeão

Acaba de sair a decisão em Xangai. Todo mundo livre.

 

Hamilton, que deveria ser punido na China, foi absolvido. E Vettel, que foi punido no Japão, escapou da perda de dez posições no grid.

 

Os comissários Tony Scott Andrews, Hermann Tomczyk e Gao Xuechun reconheceram que recorreram ao YouTube (ah, a ironia da temporada), informaram que, sim, o ângulo da filmagem era diferente, mas que as condições na pista eram péssimas. Por isso, dizem, decidiram que não seria justo punir ninguém.

 

A FIA voltou a pisar feio na bola. Todo mundo viu o que Hamilton fez. Um absurdo. Ah, mas o inglês está protegido por todos os lados. É blindado. Intocável.

 

Hamilton campeão, portanto. Mas ele não precisava disso...

 

Que este campeonato, de tantos tribunais, apelos e decisões puramente políticas, distantes da beleza do esporte, acabe logo.

Escrito por Fábio Seixas às 08h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Invasão de privacidade

Hamilton, Webber e Vettel, os três juntos, foram ouvidos pela FIA depois dos treinos. E como de costume, eram três os comissários. Todo mundo em Xangai viu. As salas por lá são envidraçadas. Nada mais apropriado para um caso que começou com o Youtube...

 

O vídeo foi mostrado. Cada um deu suas explicações. Então Webber e Vettel saíram e Hamilton ficou sozinho com os comissários, por cerca de 20 minutos.

 

Por enquanto, é só. É noite em Xangai, está escuro, mas ninguém arreda o pé da sala de imprensa. A notícia pode chegar a qualquer momento.

Escrito por Fábio Seixas às 08h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sexta, coluna

Sexta, coluna

A coluna de hoje na Folha tenta ilustrar com números e histórias a façanha que será a conquista deste campeonato por Hamilton.

 

De quebra, conta o causo do piloto mais sortudo da história da F-1. Não, não é Hamilton. É Giancarlo Baghetti, vencedor do GP da França de 1961.

 

O link está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 08h09

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Queimando dinheiro

E por € 88 milhões, cerca de R$ 229 milhões, a Spyker vendeu sua equipe de F-1 para o consórcio Orange India Holdings, que tem como principais comandantes o indiano Vijay Mallya e o holandês Michiel Mol.

 

Agora, é esquecer o que passou... Como revela a Autosport, a F-1 foi uma aventura indigesta para a Spyker, uma pequena montadora holandesa.

 

Em setembro do ano passado, a empresa desembolsou o equivalente a R$ 230 milhões pela estrutura da antiga Jordan. No primeiro semestre, a operação teve um prejuízo de € 13 milhões, ou R$ 34 milhões, o que jogou a dívida total da montadora para € 29 milhões (R$ 75,4 milhões).

 

O resultado veio na Bolsa. Em novembro de 2006, uma ação da Spyker custava € 21,60. Sabe quanto vale hoje? Só € 3.

 

Melhor sorte aos novos donos. Eles vão precisar.

Escrito por Fábio Seixas às 03h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Xangai, 2º treino livre

Em Xangai, por enquanto, tudo igual. Na pista, equilíbrio. Fora dela, nem absolvição nem punição nem indício de uma coisa ou outra.

 

A dois minutos do fim, o melhor tempo na segunda sessão em Xangai era de Alonso, 1min36s613. Raikkonen, então, superou o espanhol em 0s006

 

Massa ficou com o terceiro tempo, a 0s023 do companheiro. Hamilton, dando a nítida impressão de que já está administrando o campeonato, mais uma vez fechou o G4: 1min36s876.

 

Na seqüência, Trulli, Webber, Ralf Coulthard, Rosberg e Fisichella.

 

Barrichello ficou em 13º, uma posição atrás de Button _até isso foi igual.

 

Ok, talvez a Ferrari tenha mostrado que está com um pouquinho mais de controle da situação. Mas nada que Ron e seus asseclas não consigam virar amanhã.

 

Agora é continuar esperando. Assim que houver novidades, eu conto.

Escrito por Fábio Seixas às 03h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Xangai, 1º treino livre

Não, nada ainda sobre a investigação do caso Hamilton. Só aquela história de que deve demorar: a previsão é de que só haja alguma novidade por volta das 18h locais, 7h em Brasília.

 

Então, ao treino. Que foi dos mais equilibrados.

 

Raikkonen ficou com o melhor tempo na primeira sessão em Xangai, 1min37s024, 0s084 mais veloz que Alonso, o segundo colocado. Massa foi o terceiro, 1min37s128. Hamilton fechou o G4, com 1min37s210.

 

Tempos ainda muito altos. Para efeito de comparação, a melhor marca no primeiro treino livre de 2006 em Xangai foi 1min35s574, cravada por Wurz.

 

Na pista, nada de excepcional. Numa pista como a de Xangai, uma escapada nunca dá em nada. Digno de nota, só a nuvem de fumaça e o fogo na traseira de Heidfeld. Provavelmente, o alemão vai ter de trocar de motor.

 

Para não dizerem que não falei de Barrichello, ele foi o 15º, uma posição atrás de Button.

 

Por ora, portanto, não dá para prever nada.

 

Às 3h tem mais. Até lá.

Escrito por Fábio Seixas às 23h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agora é esperar

Em Xangai, a informação extra-oficial é que Hamilton já foi chamado para falar com os comissários.

 

Mas o veredicto, dizem, deve demorar.

 

O jeito é esperar. Pelo menos já tem treino na TV...

Escrito por Fábio Seixas às 22h09

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bilheterias abertas

Porque o assunto é de interesse de quem freqüenta este espaço, reproduzo abaixo trechos do comunicado da organização do GP Brasil:
 
"As bilheterias do autódromo de Interlagos abrirão a partir deste sábado, 6 de outubro, para entrega de ingressos de meia-entrada já reservados e pagos pelo site oficial do evento.

Haverá também venda de ingressos para os treinos de sexta e sábado nos setores A, M, e F, e de sexta no setor G, com preço a partir de R$ 60. Os ingressos para a corrida, que acontece no domingo, estão esgotados.

Para retirar seu ingresso de meia-entrada, o comprador deverá comparecer pessoalmente ao local munido da documentação solicitada. Haverá verificação da documentação no momento da retirada do ingresso e da entrada no autódromo nos dias do evento.

As bilheterias funcionarão de 6 a 18 de outubro, das 9h às 17h, nos dias 19 e 20 de outubro, das 7h às 17h, e no dia 21 de outubro, das 7h às 12h
."
 
Se você for às bilheterias, não esqueça de comentar a experiência aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 20h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dia quente em Xangai.

Acabo de falar com Xangai.
 
A sexta-feira por lá amanheceu com sol, céu azul, 25º C.
 
Será um dia quente. Em todos os sentidos.

Escrito por Fábio Seixas às 19h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bate-papo quente

Que belo dia para um bate-papo sobre F-1...
 
Quer discutir com este blogueiro a temporada e, é claro, a ameaça de punição a Hamilton? É só clicar no link que será disponibilizado na home da Folha Online a partir das 17h.
 
Até lá.

Escrito por Fábio Seixas às 14h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Alonso cutuca

Webber e Vettel ganharam um aliado de peso nas acusações contra Hamilton.
 
Ou você achou que Alonso fosse ficar de fora dessa?
 
"Eu também passei Lewis duas ou três vezes enquanto ele estava atrás do safety car, então concordo com eles. É difícil saber o que o carro à sua frente quer que você faça. Não vi a corrida pela TV, mas ouvi os comentários dos outros pilotos... Parece que eles tiveram que ultrapassar algumas vezes e fazer algumas manobras desnecessárias para evitar acertar os carros na frente."
 
Ok, ele está aproveitando o momento. Mas tem razão.

Escrito por Fábio Seixas às 12h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Punição à vista

Pronto. Vi, revi, revi e revi o vídeo.
 
Três conclusões:
 
1. Hamilton reduziu e abriu daquele jeito porque, do contrário, ultrapassaria ou bateria no safety car. Ou seja, ele não estava respeitando a distância de cinco carros estipulada pelo regulamento;
 
2. Lei não se discute, cumpre-se. E Hamilton não cumpriu o artigo 40.1 da regra que rege seu esporte. Quais eram suas intenções? É uma discussão que até pode acontecer, mas que, a meu ver, não atenua a infração;
 
3. Hamilton merece ser punido. Qual será a pena? Não sei, talvez a perda das dez posições no grid. Ou não: na Hungria, no ano passado, por ter feito um "brake test" em Doornbos, Alonso teve adicionado dois segundos ao seu melhor tempo em cada um dos três blocos do treino classificatório.
 
E um palpite:
 
Sim, de alguma forma ele será punido.

Escrito por Fábio Seixas às 12h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Veja antes que saia do ar

Quem não tem Youtube, vai com Daily Motion...
 
Mas corra para ver, antes que a FOM faça o serviço.
 
 
Se não rolar, tente clicar aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 12h02

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O Youtube pode mudar o Mundial

Que ironia...
 
O Youtube, que a F-1 tanto combate, atitude retrógrada e cega criticada tantas vezes por aqui, pode mudar os rumos do Mundial.
 
Um vídeo gravado por um torcedor nas arquibancadas de Monte Fuji e postado no site mostraria que Hamilton exagerou na freada atrás do safety car, provocando, logo atrás, a batida de Vettel em Webber.
 
Os comissários da FIA estão analisando as cenas, e o inglês corre o risco de ser punido no GP da China. A pena mais provável, a perda de dez posições no grid de largada, o que traria novo ânimo a Alonso.
 
O artigo 40.1 do regulamento esportivo da F-1 estipula que o líder deve manter uma distância mínima de cinco carros em relação ao safety car. Hamilton estava muito mais próximo, e por isso a freada brusca.
 
Ou seja, em português claro: teria sido uma barbeiragem, não uma sacanagem. Como Vettel. Por isso cogita-se uma punição idêntica à imposto ao alemão.
 
"Ele não estava fazendo o que deveria fazer. E isso contribuiu para que eu fosse acertado pelo Vettel", disse Webber, hoje, em Xangai.
 
Vocês vão pergunta onde está o vídeo. Os links que recebi já foram tirados do ar. E não adiantaria postar outro link válido aqui, porque a FOM agiria logo.
 
Então, um pedido deste blogueiro: conforme vocês forem encontrando links válidos, publiquem aí embaixo, nos comentários. Só assim para tentar informar e divulgar melhor, algo que a FOM não curte.

Escrito por Fábio Seixas às 11h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nakajima vem aí

A notícia divulgada pela equipe: Nakajima pilotará o carro da Williams nas sextas-feiras de Xangai e Interlagos.
 
A tradução: Rosberg e/ou Wurz devem vazar em 2008. O primeiro, para a McLaren. O segundo, sei lá eu. 

Escrito por Fábio Seixas às 19h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bate-papo

Este blogueiro participa amanhã, às 17h, de um bate-papo sobre a temporada da F-1. Para participar, é só clicar no link que será disponibilizado na home da Folha Online.

Espero vocês por lá.

Escrito por Fábio Seixas às 18h22

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais um pra Nascar

A Ganassi anunciou hoje Franchitti como companheiro de Montoya para a próxima temporada da Nascar.
 
O escocês, campeão das 500 Milhas e da IRL em 2007, fará sua estréia em fevereiro, em Daytona. Antes, passará por um programa intensivo de treinamento, a exemplo do que fizeram o colombiano e Villeneuve.
 
Um programa que começa amanhã: ele tentará classificar um carro para a etapa de Talladega da ARCA _Speed, até onde sei, também estará nessa.
 
Montoya, Villeneuve, Speed, Franchitti... Coincidência?

Escrito por Fábio Seixas às 14h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

Quê? Amanhã já tem treino?

 

Pois é, mais um fim de semana pra queimar a cafeteira. Segue a programação do GP da China, horários de Brasília.

 

Quinta-feira

23h-0h30, 1º treino livre

 

Sexta-feira

3h-4h30, 2º treino livre

 

Sábado

0h-1h, 3º treino livre

3h, treino oficial

 

Domingo

3h, largada, 56 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 13h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Até tu, David?

Coulthard, em sua coluna no site da ITV: “Tenho que dizer que fiquei espantado com a decisão da Ferrari de colocar pneus intermediários na largada. Não havia condição nenhuma de largar com os intermediários. Ross Brawn e Michael Schumacher nunca cairiam numa dessa, o que mostra uma fraqueza da Ferrari.”

 

Receber críticas até de Coulthard? Que fase, heim, Ferrari?

Escrito por Fábio Seixas às 09h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

70 anos do GP de Hitler

Há exatos 70 anos, em 2 de outubro de 1937, o automobilismo vivia uma corrida histórica.

 

Pela primeira vez, os carros da Auto Union e da Mercedes-Benz corriam na Inglaterra, em Donington Park, revelando aos ingleses níveis de performance e de profissionalismo até então inimagináveis.

 

Desde o primeiro treino, os alemães e suas possantes máquinas deram um banho nos ingleses, que mais pareciam meninos em carros de brinquedo.

 

Vitória de Rosemeyer, da Auto Union. O último triunfo do mito: meses depois, ele morreria na Alemanha numa disputa por recordes de velocidade. Abaixo, uma foto da largada, com as primeiras filas dominadas pelos carros alemães...

 

 

No ano seguinte, nova lavada. A vitória foi de outro mito, Nuvolari, também com a Auto Union.

 

Por trás de toda essa história estava Adolf Hitler, o próprio, que fazia questão de acompanhar, analisar e autorizar pessoalmente até as contratações dos pilotos.

 

A viagem para a Inglaterra tinha a mesma motivação de tantas e tantas iniciativas do führer: mostrar a superioridade germânica.

 

No caso, deu tremendamente certo.

 

O que importa é que, depois daquelas corridas, o automobilismo nunca mais foi o mesmo. A Inglaterra acordou, a ficha do atraso caiu. Foi, digamos, o clique inicial para a formação da F-1 _que, por conta da guerra, só começaria pra valer em 1950.

 

Essa história fantástica está em “Hitler's Grands Prix in England: Donington 1937 and 1938”, livro escrito pelo inglês Christopher Hilton.

 

Uma parte está também nesta reportagem da Folha, escrita por este blogueiro e publicada no domingo. O link é exclusivo para assinantes do jornal e do UOL.

 

E que tal um vídeo? Este, abaixo, é do GP de 1938...

 

Escrito por Fábio Seixas às 17h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Di Grassi também espera...

Di Grassi também espera...

Foi bem bacana o papo com Di Grassi, hoje, no Pit Stop. Em linhas gerais, até ele está esperando a decisão de Alonso para saber o que vai fazer em 2008.

 

O programa também falou bastante do GP do Japão, claro. E respondeu a várias perguntas dos internautas.

 

Para assistir, quando quiser, é só clicar aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 16h46

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Bye, McLaren?

A agência Efe, espanhola, saiu hoje com uma história curiosa.

 

Ron Dennis, Martin Whitmarsh e Lewis Hamilton estariam de mudança para a Prodrive, o 12º time da F-1, que estreará em 2008. O nome McLaren sumiria do mapa e seria substituído por Mercedes, que é quem paga boa parte das contas há tempos. Assim como nas relações Red Bul-Toro Rosso e Honda-Super Aguri, a equipe júnior usaria o modelo do ano anterior do time principal. De quebra, a Mercedes escaparia de pagar a multa de US$ 100 milhões pelo caso de espionagem,

 

Por que pode ser verdade?

 

Porque a McLaren e a Prodrive são parceiras, e isso já é sabido há tempos.

 

Porque a cinco meses da estréia, a Prodrive ainda não mostrou um carro, tampouco um projeto. Teste, então, nem pensar...

 

Porque por trás de Prodrive está David Richards, um dos melhores caras que vi trabalhar no paddock _em 2004, ele fez da BAR vice-campeã mundial, quer mais?

 

É, acho que pode ser verdade...

Escrito por Fábio Seixas às 11h41

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vice-campeão no Pit Stop

Lucas di Grassi, vice-campeã da GP2 no domingo, é o convidado especial do Pit Stop de hoje. De Londres, onde mora, Lucas vai falar sobre a temporada, sobre o ex-colega Hamilton e sobre os planos para o futuro.

 

Mas o Pit Stop, claro, também vai falar muito sobre os GPs do Japão e da China.

 

O programa começa às 14h30, ao vivo, aqui.

 

Para mandar sua pergunta, sua sugestão ou seu comentário altamente positivo aos apresentadores, o e-mail é uolnewsformula1@uol.com.br

Escrito por Fábio Seixas às 11h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cegueira

 
No quadro, em vermelho: "This video is no longer available due to a copyright claim by Formula One Management".
 
A NBA está no Youtube. A NFL e a IRL, também. Quer ver os gols da Alemanha, ontem, na final do Mundial feminino? Estão lá.
 
A FOM acha a F-1 superior a tudo isso. Já escrevi sobre isso uma vez, aqui. E, assim, ficamos privados de rever o duelo entre Massa e Kubica.

Escrito por Fábio Seixas às 15h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Big Brother Japan

A câmera oculta das F1 Girls flagrou o momento de definição da estratégia ferrarista em Monte Fuji...
 

Escrito por Fábio Seixas às 15h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

A foto

Pela primeira vez desde a estréia desta seção, segue uma foto sem legenda.
 
Precisa?
                                                                                                                      Associated Press

Escrito por Fábio Seixas às 13h10

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Menos um?

Aleluia, irmãos!
 
Ralf está fora da Toyota.
 
O alemão anunciou no seu site que "está há anos em busca de um carro competitivo" e que vai atrás de "novos desafios" (sempre essa balela). Diz, ainda, que está conversando com várias equipes e que "o aspecto financeiro é o menos importante" no momento.
 
A pergunta que fica é: alguém na F-1 vai cometer a insensatez de contratá-lo?

Escrito por Fábio Seixas às 11h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Um livro a menos na estante

Lembra do livro que Stepney lançaria no ano que vem contando sua versão do caso de espionagem que abalou o Mundial?

 

Pois é, lançaria. Ficou no condicional. Sem dar explicações, a editora que dias atrás anunciou a obra divulgou um comunicado afirmando que desistiu do projeto.

 

Vejamos... Depois de fazer lambança e tentar escrever um livro, qual será o próximo passo de Stepney no seu caminho para o mundo das celebridades? Tirar a roupa para alguma revista?

Escrito por Fábio Seixas às 09h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pílulas do dia seguinte

Alguns pediram um comentário mais extenso sobre o duelo Massa x Kubica no fim do GP. E sei que vários desses alguns não vão gostar da minha opinião. Que é a seguinte: forçaram a barra. Nada contra as disputas na pista, acho que já deixei bem claro aqui, neste mais de um ano de blog, o quanto gosto e o quanto sinto falta das ultrapassagens na F-1. Mas Massa e Kubica, na minha opinião, exageraram na dose. Duelar faz parte do jogo, aquilo é uma competição. Vender caro a posição, tudo bem. Mas naquela última volta um jogou o outro pra fora da pista. E não estou falando em “fechar porta”. Estou falando em jogar pra fora mesmo. Uma atitude arriscada em pista seca. E condenável num asfalto encharcado, sem aderência, como era o caso. Um tom abaixo teria sido o ideal. Eu estaria aplaudindo;

 

Os promotores do GP do Japão vão reembolsar os torcedores cujos assentos ofereciam uma visão ruim da pista. O total do reembolso, US$ 3 milhões. Enquanto isso, estou esperando para ver a confusão com a história dos “lugares numerados” (com todas as aspas do mundo) em Interlagos neste ano;

 

Chegou a ser engraçada a torcida clamorosa do “Marca” para que Hamilton fosse punido pela freada brusca que culminou no acidente entre Webber e Vettel. É, mas não deu;

 

Gostei de ver Kovalainen no pódio;

 

Webber, irritado com o acidente que tirou dele a chance de pódio, chamou Vettel de “moleque”. “Que belo trabalho ele fez, não?”, questionou o australiano, em tom de ironia, talvez com algum tristeza por saber que os seus tempos de moleque já passaram faz tempo...

Escrito por Fábio Seixas às 08h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

E agora?

Timo Glock, 25, 4 corridas na F-1 pela Jordan em 2004, é o terceiro campeão da GP2.

 

O alemão venceu hoje a última etapa do campeonato em Valência. Lucas di Grassi, o único em condições de barrar sua conquista, terminou em 13º e 11 pontos atrás na tabela.

 

Estou curioso pra ver o que será dos dois a partir de já.

 

Até agora, a GP2 vem sendo irrepreensível na sua missão de lançar talentos para a F-1. Rosberg e Hamilton saltaram do título da escolinha direto para boas equipes. Kovalainen, que, como o brasileiro não levantou o campeonato, idem.

 

Mas o duelo de 2007 parece-me ter sido diferente. Glock já disputou GPs, é piloto de testes da BMW, não tem aquela cara de novidade de seus antecessores. Di Grassi até tem. O que ele não tem é um grande apoio por trás. Por outro lado, o sucesso de Hamilton pode ajudar por tabela.

 

Aguardemos.

Escrito por Fábio Seixas às 14h24

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dois punidos, um absolvido e um chororô

Vamos ver... Enquanto eu dormia, a FIA puniu Vettel (dez posições no grid da China pela batida em Webber) e Liuzzi (25 segundos por passar Sutil sob bandeira amarela, o que deu ao alemão seu primeiro ponto na F-1).

 

Vettel, diga-se, já havia se desculpado com Webber. Disse que foi surpreendido por uma freada brusca do australiano, que por sua vez reagia a uma freada brusca de Hamilton.

 

Hamilton, diga-se também, chegou a ser investigado pela freada. Mas os comissários chegaram à conclusão de que ele não fez nada de errado e a vitória foi confirmada.

 

Mas o que promete dar algum pano pra manga é a chiadeira da Ferrari. O time jura que não recebeu nenhuma comunicação por escrito (e-mail ou nota impressa) sobre a obrigatoriedade de largar com pneus para condições extremas.

 

Segundo o engenheiro Stefano Domenicali, o aviso só veio por rádio, quando a corrida já estava na segunda volta. O comunicado no papel só teria chegado à escuderia por meio da RAI, que recebeu o papel na sala de imprensa e o teria repassado na base da camaradagem.

 

“Reclamamos com a FIA assim que a corrida acabou. Eles pediram desculpas, disseram que mandaram um e-mail, mas reconheceram que não era o método mais apropriado para uma situação de emergência como aquele”, disse Domenicali.

 

Todt, porém, disse que o rolo vai ficar por isso mesmo. “A corrida já acabou, um apelo não resolveria o problema. Pelo bem do esporte, não vamos abrir outra polêmica.”

 

Ele disse isso mesmo? É, disse. Estranho...

Escrito por Fábio Seixas às 10h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Para Alonso, só um milagre

A expressão de Alonso no Japão-07 me lembrou a expressão de Schumacher no Japão-06. Desolação plena. Um misto de tristeza e irritação. O campeonato escorrendo pelos dedos. A ficha caindo.

 

Tanto que, no discurso pós-corrida, Alonso já citou a palavra “milagre” para falar de suas chances de título.

 

“Não estou jogando a toalha, mas a não ser que aconteça um abandono de Hamilton... Tenho que ser realista, vai ser muito duro tirar seis pontos por corrida. Eu teria que vencer as duas corridas e esperar que ele terminasse em quinto ou sexto. Então, sendo realista, é complicado. Principalmente porque ele não abandonou nenhuma corrida. Mas vou tentar o máximo. O único lado bom é que vou poder correr mais relaxado, sem pressão, esperando um milagre.”

Escrito por Fábio Seixas às 04h03

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ah, a matemática...

Matematicamente, Raikkonen até tem chances de título. Ele está a 17 pontos de Hamilton e pode descontar 20. Mas, sejamos honestos, isso é mera teoria. Na prática, não vai dar pra ele. A disputa está mesmo entre Hamilton e Alonso.

 

E qual é a conta?

 

Bom, Hamilton tem 12 pontos sobre Alonso. Se depois de Xangai a diferença for de 11 pontos, o inglês é campeão. Se a folga cair para 10 ou menos, a decisão vem para Interlagos.

 

O raciocínio é simples: para trazer a disputa ao Brasil, Alonso tem que obrigatoriamente chegar na frente do inglês na China. Dentro dessa premissa, se o espanhol vencer ou for segundo, a decisão está adiada. Se ele ficar entre terceiro e sétimo, precisa torcer para que o inglês fique duas posições atrás, no mínimo. Qualquer outro resultado dá a taça para Hamilton já em Xangai, com um GP de antecedência.

 

Mas, se não for na China, dificilmente o título escapará das mãos do inglês na última etapa. A “gordura acumulada” (para usar um termo do luxemburguês) é tamanha que Hamilton pode ser campeão, por exemplo, com um quarto e um quinto lugares, mesmo que Alonso vença as duas provas. Ou seja, o inglês já pode se dar ao luxo de prescindir do pódio.

 

O título, quem diria, está nas mãos do novato. O bibelô do começo da temporada tem tudo para ser o primeiro campeão pós-Schumacher e entrar na galeria dos heróis da F-1. Quem diria...

Escrito por Fábio Seixas às 03h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Primeiros pitacos

Absurda a decisão da direção de prova de começar a corrida com toda aquela chuva. Não havia condições, até os monges de Monte Fuji sabiam. Foram voltas e voltas e voltas de pista encharcada e nenhuma disputa. Que adiassem a largada. Erraram feio;

 

Na coletiva pós-GP, Raikkonen disse que os pilotos com pneus intermediários foram obrigados pela direção de prova a trocarem para pneus de condições extremas ainda durante o safety car. Isso explica, em parte, a confusão estratégica da Ferrari na corrida. Explica, mas não justifica. Porque, de qualquer forma, não era para ninguém ter largado com os intermediários;

 

Vai ser difícil para o Ari Saretti, editor de imagens da Globo na F-1, condensar as melhores cenas da corrida num VT de um minuto e pouco. Teve Webber jogando o volante longe após ser tirado da corrida por Vettel. Teve Massa rodando toda hora. Teve a briga de Massa com Kubica _que vai render um puxão de orelhas da FIA, acho. Teve Alonso batendo sozinho, acidente que esmigalhou suas chances de tricampeonato. Teve a ultrapassagem do Heidfeld sobre o Alonso, seguido por uma rodada de Hamilton...;

 

E teve Vettel chorando. A cena do dia. Do alto dos seus 20 anos, liderou um GP pela primeira vez na vida. Mais: foi a primeira vez que a Toro Rosso encabeçou uma corrida. Após o pit, ele caiu para terceiro. Então, entrou o safety car. E Vettel fez lambança: perdeu a concentração por um segundo e acertou Webber, com força. Os dois abandonaram. Minutos depois, as câmeras flagraram o menino desconsolado, nos boxes da Toro Rosso.

Escrito por Fábio Seixas às 03h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hamilton, vencedor e quase campeão

Que corrida!

 

Por onde começar?

 

Pelo resultado? Hamilton venceu o GP do Japão, debaixo de muita chuva, e colocou as mãos na taça. Abriu 12 pontos de vantagem sobre Alonso, que bateu e abandonou, e pode fechar a disputa já no próximo domingo, na China.

 

Pelo festival de rodadas e acidentes? Hamilton, Massa, Alonso, Raikkonen, Wurz, Heidfeld, Button, Sato, Vettel,  Sutil, Webber, Davidson… Desses eu lembro. Mas os outros devem ter escapado também.

 

Hamilton sobreviveu. Deu sorte, é verdade, no “timing” do seu único pit. Quando voltou à pista, entrou na frente de um trenzinho que confinava Alonso. Mas demonstrou, também, muita habilidade: não é fácil segurar um carro de F-1 num pista-sabão como estava Monte Fuji.

 

Kovalainen foi segundo, Raikkonen passou em terceiro. Coulthard foi o quarto, seguido por Fisichella. Massa, depois de uma luta alucinante com Kubica nas últimas curvas, chegou em sexto. Liuzzi completou a zona de pontos.

 

“Foi uma corrida complicada do começo ao final. A gente acreditava que dava para ir ao final sem parar uma segunda vez e eu seria o terceiro, mas tive que parar e perdi o pódio. O campeonato foi constante, com um bom carro o tempo todo, mas no final faltaram sorte e um carro que chegasse até o final”, disse Massa, que já não tem mais chances matemática de título.

 

Poderia começar também pelo nome da corrida. Sim, Hamilton foi o megavencedor, deu um salto enorme para o título, mas o nome do GP foi Vettel, que deu um show de pilotagem seguido de um show de barbeiragem,

 

Como é bom, de vez em quando, assistir a uma corrida maluca.

 

Ah, mas teve mais, muito mais. Daqui a pouco eu volto.

Escrito por Fábio Seixas às 02h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Chove forte em Monte Fuji, a maioria deve optar pelos compostos para condições extremas. A largada será com safety car.

Assim, o último palpite é um chutaço, daqueles de aposta na loteria: dá Raikkonen, com Alonso em segundo e, vá lá, Heidfeld em terceiro.

Bom GP a todos. Aliás, se tenho alguma certeza, é que vai ser ótimo.

Escrito por Fábio Seixas às 00h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.