Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Pedrosa na pole

Na MotoGP, pole de Pedrosa, com Rossi em segundo e Stoner fechando a primeira fila.
 
Barros sai em sétimo, no que deve ser sua antepenúltima corrida na categoria. Em entrevista à edição de hoje do "Pole Position", da Rádio Bandeirantes, ele disse que sua única chance de seguir na carreira em 2008 está na Superbike.
 
A largada em Phillip Island acontece às 3h (já no horário de verão) deste domingo, com Sportv, e não às 2h como eu havia (des)informado ontem.

Escrito por Fábio Seixas às 14h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Fica como está

A FIA divulgou o resultado do julgamento de ontem: a Corte de Apelações recusou o recurso da Toro Rosso. Com isso, o oitavo lugar em Monte Fuji ficou mesmo com Sutil.
 
Ufa, ainda bem que o comunicado piscou aqui na tela do meu computador. Não conseguiria dormir sem essa informação.

Escrito por Fábio Seixas às 14h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ricardos na frente

Ricardo Sperafico fez a pole da Stock em Buenos Aires, com Ricardo Maurício em segundo. Cacá sai em terceiro.
 
Maurício e Cacá, portanto, com boas chances de largar na frente no playoff decisivo.
 
Porque os outros classificados para a luta pelo título largam bem atrás. Thiago Camilo é o sexto, seguido por Valdeno Brito e Felipe Maluhy. Daniel Serra sai em décimo. Rodrigo Sperafico larga em 12°. Ingo, em 21°. Marcos Gomes é o 30°.  Hoover, apenas o 36°.
 
A largada será às 11h de amanhã, com transmissão da Globo.

Escrito por Fábio Seixas às 14h18

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Reflexões pneumáticas

Nas três corridas em que a Bridgestone usou a mesma combinação de compostos que trará a Interlagos, a McLaren deu um banho na Ferrari.

 

Mônaco, Canadá e Hungria. Três vitórias da McLaren (duas de Hamilton, uma de Alonso) e 45 pontos conquistados. A Ferrari somou só 19 pontos nessas três provas. O melhor resultado, o segundo lugar de Raikkonen em Budapeste.

 

É claro que não foi só pneu. O tilt de Massa na saída dos boxes de Montreal, por exemplo, não teve nada a ver com isso. Nem o beijo de Raikkonen no guard-rail no treino oficial no principado. Mais: principalmente nas duas primeiras, a McLaren estava em franca evolução. E tem também a tal história da distância entre-eixos menor...

 

Mas é bom ficar atento.

Escrito por Fábio Seixas às 09h24

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Borracharia

A Bridgestone anunciou os tipos de pneus que trará para Interlagos.
 
Macios e supermacios, mesma combinação levada neste ano a Mônaco, Hungria e Canadá.
 
No comunicado da empresa, há toda uma explicação sobre o motivo da escolha, basicamente otimizar ao máximo a aderência no miolo do circuito.
 
Mas estranhei. Imaginava que a dobradinha seria macios e duros.

Escrito por Fábio Seixas às 17h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sexta, coluna

Sexta, coluna

Na coluna de hoje na Folha, uma tentativa de mostrar a incrível capacidade de regeneração do esporte, mesmo após alguns baques pesados.
 
É o caso da F-1 nesta temporada. Um Mundial manchado acabou ficando empolgante no final.
 
O texto está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 16h04

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

No topo e no chão

Em casa, o campeão Stoner foi o nome do dia.
 
Fez o melhor tempo na abertura dos treinos da MotoGP, sobrando na pista: 0s423 em relação ao segundo colocado, Melandri.
 
E levou um tombaço...
                                                                         Greg Wood/France Presse
 
O australiano nada sofreu, para alívio da bela Adriana. A corrida acontece às 2h de domingo (horário de Brasília), com Sportv.

Escrito por Fábio Seixas às 15h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dia das crianças

Foto que encontrei no blog do Felipe Maciel...
 
 
Estou vendo errado ou é a bandeira da Finlândia no macacão do alemão Nico?

Escrito por Fábio Seixas às 13h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dia modorrento

A Corte de Apelações da FIA se reuniu hoje em Paris para julgar o recurso da Toro Rosso contra a penalização a Liuzzi no GP do Japão.

Ele foi punido em 25 segundos por ultrapassar Sutil sob bandeira amarela. Com isso, perdeu a oitava posição para o alemão. O veredicto será dado amanhã.
 
É... Surpreendentemente, essa é a notícia mais vibrante da sexta-feira da semana anterior à decisão do campeonato.

Escrito por Fábio Seixas às 13h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tinta fresca

Apreensão em Interlagos.
 
A CET, que faz a pintura da sinalização na pista, derramou tinta amarela no asfalto novo. Justamente num ponto dos mais críticos em termos de aderência, o S do Senna.
 
O acidente aconteceu no início da semana e a expectativa era que o problema fosse resolvido logo.
 
Não foi. Como dá para ver na foto baixo, feita hoje por Caio Guatelli, da Folha.
 

Escrito por Fábio Seixas às 19h09

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vá de carro

Liguei para o 0800 da CPTM.

Sabrina, a atendendente, me informou que a estação Autódromo será inaugurada no dia 17, quarta-feira. E que, diferentemente do que eu imaginava, as pontes ORCA, interligando a linha C com as estações Vila Madalena e Barra Funda do metrô, não funcionarão no fim de semana da corrida. Não funcionarão.
 
Ou seja, as únicas interligações possíveis com o metrô serão na Luz ou na Barra Funda, pegando a linha B da CPTM e depois trocando para a linha C lá em Osasco, na estação de Presidente Altino. Não estou contando a linha 5, ainda inacabada e que hoje vai apenas do Capão Redondo ao Largo 13.
 
Um absurdo. Fazem um "esquema especial", inauguram uma estação e tolhem desta maneira a opção de usar o metrô? A estação Autódromo não vai adiantar muito, portanto.
 
Estava bom demais para ser verdade.

Vá de carro, portanto, não há outra opção. E se você é de fora, faça como nós, paulistanos, no dia-a-dia: conforme-se com os congestionamentos de uma cidade que insiste em ser burra.

Escrito por Fábio Seixas às 11h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nada mais que a obrigação

O espanhol Carlos Gracia (e não Garcia, como muito site vem “corrigindo” por aí), membro do Conselho Mundial da FIA e um dos vice-presidentes da entidade, virá ao Brasil, a convite da McLaren, para testemunhar a isonomia de tratamento que o time promete dar a seus pilotos.

 

“Ron Dennis me convidou. Vou acompanhar tudo de perto. Eles querem mostrar que não têm nada a esconder”, disse o dirigente ao diário “As”.

 

A notícia veio um dia após a McLaren divulgar um comunicado assegurando igualdade de condições a Hamilton e Alonso. Acho até engraçado alguém soltar uma nota assim, anunciando ao mundo algo que deveria ser uma obrigação, a honestidade.

 

O que acho que vai acontecer? Nada disso vai adiantar.

 

Qualquer que seja o resultado, qualquer que seja o campeão, vai sobrar acusação pra todo lado.

Escrito por Fábio Seixas às 09h09

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Primavera em São Paulo

Clicada na terça-feira, na volta de Interlagos

Escrito por Fábio Seixas às 09h02

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A calculadora do título

Sabe aqueles textos chatíssimos sobre as chances matemáticas dos três duelistas em Interlagos?
 
Esqueça. Jogue fora. Apague do seu cérebro.
 
O "Marca" criou uma maneira muito mais bacana de apontar as possibilidades de título de acordo com a posição de cada piloto na corrida. Confira aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 23h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hamilton e Senna

Hamilton disse que vai visitar o túmulo de Senna na semana que vem.
 
Raciocínio viciado de jornalista, talvez, mas fico só imaginando a loucura que vai ser isso...

Escrito por Fábio Seixas às 20h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vá de trem

Quer uma bela opção de transporte para o autódromo?
 
Trem.

Pois é. Não sei se a estação Autódromo já foi ou se ainda será inaugurada. O fato é que estará em funcionamento nos dias de GP, promete a CPTM.
 
É uma bela opção porque a estação fica a 600 metros do autódromo, porque é um drible nos congestionamentos e nos flanelinhas, porque a viagem custa apenas R$ 3,50 e porque dá para fazer interligação com o metrô (com a estação Vila Madalena, via ponte ORCA, e com a estação Barra Funda, também pela ponte ORCA ou pela linha B da CPTM).
 
Da estação Luz do metrô ao autódromo, o tempo estimado é de uma hora e meia. Do Jabaquara, duas horas.
 
Mais informações, aqui. Ah, sim: releve a montagem tosca que fizeram com a foto do Wurz...
 
Se eu fosse a Interlagos para torcer, não teria dúvida em escolher o trem.

Escrito por Fábio Seixas às 19h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Exercício interessante

O Marcio Yoshio Kohara, do blog Worstlap, arregaçou as mangas e fez um exercício interessante: pegou os resultados desta temporada da F-1 e os jogou no computador com os sistemas de pontuação usados entre 1961 e 1990 (9-6-4-3-2-1) e de 1991 a 2003 (10-6-4-3-2-1).
 
Os resultados jogam por terra aquela história de que Hamilton só lidera porque o atual regulamento privilegia a regularidade. Em todos os sistemas, ele estaria na liderança do Mundial. E o grande prejudicado seria Alonso.
 
No primeiro, Hamilton teria 83 pontos, cinco a mais que Raikkonen, o vice-líder. Alonso seria o terceiro, com um ponto a menos que o finlandês. Ou seja, o ferrarista seria campeão se vencesse em Interlagos e Hamilton fosse terceiro. Tarefa bem mais fácil que a atual.
 
 
Não estão contemplados os descartes, que variavam quase que de ano a ano.
 
No sistema válido até 2003, Hamilton teria a mesma vantagem atual para o vice-líder, quatro pontos. Mas, mais uma vez, o seu maior rival seria Raikkonen. Alonso estaria seis pontos atrás do companheiro. O finlandês seria campeão com uma vitória, independentemente do resultado do inglês.
 
 
A principal conclusão: de qualquer forma, o Mundial chegaria a Interlagos com três pilotos lutando pelo título, mas o GP seria mais emocionante se o regulamento fosse o antigo.
 
As tabelas completas, em tamanho maior, e a análise bem-humorada do Marcio estão aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 17h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

"Estamos vivos!"

Trecho da transmissão da Tele 5 no último domingo. "El milagro!"
 
É de chorar de rir...

Agradecimentos à Luane Magalhães, nossa correpondente em São Sepé, na Grande Formigueiro.

Escrito por Fábio Seixas às 16h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nelsinho e Williams, nada a ver

Dependendo do que acontecer com Alonso, Nelsinho pode até precisar bater nas portas da Williams.
 
Mas vai ter de bater forte, possivelmente com a ajuda do pai.
 
Porque hoje, 10 de outubro de 2007, o brasileiro não está entre os cotados da equipe para o ano que vem. Não mesmo.

Escrito por Fábio Seixas às 16h02

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A aposta de Felipe

Felipe Antônio Granero Peixoto mandou o seguinte e-mail ao blogueiro:
 
"Quero uma opinião sua sobre uma situação: apostei com meu tio, no começo do ano, um jantar de acordo com o piloto que seria campeão. Joguei no Raikkonen e ele no resto. O Hamilton ganhando, é de direito eu pagar o jantar, mas como houve esse escândalo na McLaren, não acho justo ter que fazê-lo. Sei que Hamilton foi o melhor da temporada e fez coisas incríveis e que meu tio não tem nada a ver com esse escândalo. Entretanto, a Mclaren teve acesso a informações da Ferrari para melhorar seus carros. Conseqüentemente, Hamilton e Alonso foram beneficiados. Além disso, a maioria dos jornalistas disse que a punição foi barata. Qual é a sua opinião: devo ou não pagar o jantar?"
 
E aí, o que respondo?

Escrito por Fábio Seixas às 15h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Maserati celebra Fangio

O Ariel Ferreyra mandou uma bela dica hoje: a Maserati criou este site para comemorar os 50 anos do quinto e último título de Fangio.
 
O mais bacana são as reconstituições das oito corridas daquela temporada. E a reconstituição mais bacana é a do GP da Alemanha, que ficou conhecido como "a corrida perfeita" do argentino.
 
Um belo passatempo para uma tarde modorrenta no escritório...

Escrito por Fábio Seixas às 12h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Volks deixa a Stock

A Stock Car, que abrirá os playoffs no fim de semana, na Argentina, sofrerá um baque em breve.

 

A Volkswagen deixará a categoria.

 

Foram dois anos de Stock, correndo com a bolha do Bora. A decisão já foi tomada, só falta o anúncio oficial. Hoje, oito equipes correm com a marca da Volks. A principal delas, a Red Bull, que classificou Hoover Orsi e Daniel Serra para a fase final do campeonato.

 

Assim, caso nenhuma outra fábrica entre com bolha em 2008, a Stock terá três montadoras: Chevrolet, Mitsubishi e Peugeot.

Escrito por Fábio Seixas às 09h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O flerte da Renault

Alonso teria se reunido com a Renault no sábado do GP do Japão e já teria visto detalhes dos planos da equipe para 2008.

 

Briatore e Symonds teriam oferecido ao ex-pupilo um contrato de dois ou três anos, seguindo orientação de Ghosn. O brasileiro, presidente da montadora, seria contra um acordo de um ano, com receio de que Alonso use a equipe como trampolim para chegar à Ferrari em 2009.

 

Na Renault, Alonso seria companheiro de Kovalainen ou de Nelsinho. Fisichella iria para a Williams. Rosberg ocuparia a vaga do espanhol na McLaren.

 

É esta a história da quarta-feira, publicada pela revista espanhola “Autopista”.

 

E é a mais lógica até agora.

 

Porque não há mais nenhum clima para Alonso na McLaren. Tenho a impressão que, depois de Interlagos, o espanhol só conversará com a equipe nos tribunais. E porque história da dobradinha McLaren-Prodrive, que já era das mais complicadas, esfriou.

Escrito por Fábio Seixas às 09h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hora de elogiar

Fiquei feliz em ver Interlagos hoje.

 

Quando é para criticar, criticamos, e vira-e-mexe alguém por aqui me chama de ranzinza ou coisa pior. Mas nada mais justo do que elogiar quando é o caso. E é o caso.

 

O asfalto, aleluia, finalmente parece ter ficado bom. Só saberemos, claro, na sexta-feira da semana que vem. Mas a primeira impressão é que, depois da porcaria do último recapeamento, desta vez fizeram o trabalho direitinho.

 

As novas arquibancadas na Reta dos Boxes ficaram muito boas, não devem nada a autódromos da Europa. Significam mais conforto para o público o ano todo e menos gastos para a prefeitura às vésperas do GP Brasil.

 

Por fim, também curti o alargamento da pista na altura da entrada dos boxes. Dei duas voltas na pista e a diferença é notável: agora, o piloto que sobe a Junção, enxerga quando alguém à frente está indo para os pits. Antes, havia um ponto cego.

 

Efeito colateral desta mudança, aquele trecho ficou ainda mais rápido. Os tempos de volta devem cair alguns centésimos.

 

Enfim, parabéns à Prefeitura de São Paulo. Interlagos está pronto para a F-1. Veja você mesmo...

 

 

 

 

 

 

 

Escrito por Fábio Seixas às 15h09

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop em Interlagos

Pit Stop em Interlagos

O sumiço de hoje tem motivo de ser.

 

Vicente Toledo Jr. e eu fomos a Interlagos ver como estão as coisas por lá a dez dias do início dos treinos para o GP Brasil.

 

O Pit Stop especial de hoje está aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 14h39

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Os amigos de Alonso

A parcialidade da imprensa espanhola nesta resta final de campeonato é impressionante. Mas, principalmente, preocupante.
 
Definitivamente, os diários esportivos da Espanha vestiram o capacete de Alonso e jogaram para o espaço a primeira prioridade do jornalismo: informar.
 
Nos bastidores, o ápice dessa situação aconteceu em Xangai. Carlos Miquel, repórter do "As" e meu amigo (o apelido dele entre os brasileiros era Zé Recorde, um dia conto essa história), bateu boca com Ron Dennis. Um bate-boca, diga-se, que passou longe de questões profissionais.
 
A Tatiana Cunha estava lá e viu. Miquel chamava Alonso de "nosso piloto". Dennis devolvia, dizendo que eles não tinham piloto nenhum, que o piloto é da McLaren. E foi daí pra baixo.
 
Entro no site do "Marca" e vejo uma cascata brava: "La FIA debería sancionar a Hamilton por no salir del coche". Segundo o Marco Canseco (que também conheço, é gente boa), o inglês feriu o artigo 30.13 do regulamento ao pedir para ser empurrado quando estava na brita. Por isso, escreve, deveria ser punido.

Fui ler o artigo 30.13. O original, em inglês: "If a driver has serious mechanical difficulties during practice or the race he must leave the track as soon as it is safe to do so."

Quer algo mais vago do que isso? Pelo que entendo, cabe ao piloto decidir quando é seguro sair. E o que isso tem a ver com o empurrãozinho? É mais uma recomendação do que uma obrigação.
 
Daí que hoje eu acho a seguinte foto no sistema da Folha, do pós-GP da China...
                                                                                                                      Diego Azubel/Efe
 
Sabe quem são esses caras vibrantes ao lado de Alonso? Amigos? Parentes?
 
Não. Conheço todos. São os três (sim, até o careca lá no fundo) jornalistas espanhóis. Você confia em jornalista que abraça e vibra com as fontes? Que tem o  raciocínio de que "se é bom para o cara que eu cubro, é bom pra mim"?
 
Eu não.
 
(Em tempo, isso está acontecendo com os espanhóis agora, mas já vi muito jornalista brasileiro fazendo a mesma coisa com Rubinho e Massa).

Escrito por Fábio Seixas às 16h57

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pequenas fortunas

A organização do GP Brasil informa que um "pequeno lote de ingressos para os setores E e V foi liberado para venda ao público nesta segunda-feira", fim do prazo do pagamento das reservas.

O setor E fica na Curva do Sol. O V, no fim da Reta Oposta. Os preços para os 3 dias, R$ 1865 e R$ 1390, respectivamente.
 
Se você tiver estômago para desembolsar tudo isso por uma corrida, vá ao www.gpbrasil.com.br

Escrito por Fábio Seixas às 15h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A(s) foto(s)

A(s) foto(s)

Pipocaram 600 fotos na tela quando, no sistema de imagens da Folha, digitei "shanghai formula one".

Foi difícil escolher a imagem do fim de semana. E empaquei nessas duas.
                                                                                                                   Eugene Hoshiko/AP
                                         
                                                                                                                       Gero Beloer/Efe
 
Qual das duas? Ajudem-me!

Escrito por Fábio Seixas às 13h56

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Parabéns para Wurz

"Num ambiente tão competitivo e duro como a F-1, sempre tive na cabeça que, quando surgisse alguma dúvida sobre meu trabalho, seria o momento de parar. Comecei a ter essas dúvidas no começo do ano, então acho que é a hora certa de fazer esse anúncio."

Wurz, 33 anos, 69 GPs na F-1, confirmando hoje a aposentadoria. Em Interlagos, Nakajima deve ser o parceiro de Rosberg.
 
Aplausos para o austríaco. Honesto. Inteligente. Soube a hora de parar. 
 
Ele poderia bater um papo com alguns dos seus colegas. Com vários deles.

Escrito por Fábio Seixas às 12h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A teoria do Chico

Como é bom trocar idéias com quem entende do assunto.

 

Acabo de falar no telefone com Chico Rosa, administrador de Interlagos e um dos maiores conhecedores de F-1 do Brasil.

 

Não sabe quem é? Bom, se você gosta de F-1 deveria agradecer o Chico todo santo dia. Entre outros feitos, foi ele que um dia colocou Emerson num avião pra Inglaterra pra ver no quer dava.

 

Deu no que deu.

 

Mas voltemos à conversa de agora há pouco. O Chico percebeu algo importantíssimo. Qual foi o pneu de Hamilton que mais estava desgastado? O traseiro direito, que já estava na lona, como mostraram as câmeras de TV.

 

O busílis é que em Xangai, pelas características do traçado, os mais sacrificados normalmente são os esquerdos. Lembra do fim do GP, dos pneus de Massa e Raikkonen já sem a faixa branca? Pois é...

 

“Ele e a equipe erraram, mas aquele jogo de pneus devia estar com algum problema”, sentenciou o Chico.

 

Isso não limparia muito as barras de Dennis e Hamilton. Mas ajudaria a explicar a lambança. Sim, devia haver algum problema ali, o Chico observou bem e tem toda a razão.

Escrito por Fábio Seixas às 19h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A mesma história?

Acordei da quase-soneca pós-GP pensando em 1986.

 

Siga o roteiro: piloto inglês tem o campeonato na mão, mas tudo vai pro espaço por um problema de pneu.

 

No caso de Mansell, o pneu traseiro esquerdo explodiu na última etapa do Mundial, em Adelaide.

 

No caso de Hamilton... Bem, todo mundo viu, ele e a McLaren erraram feio na avaliação. E, claro, era a penúltima corrida e o título ainda não foi pro espaço.

 

Mas, se for, será impossível não fazer uma relação direta com a tragédia do compatriota...

 

Escrito por Fábio Seixas às 11h57

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Melhor que a encomenda

É, além de tudo, as F1 Girls lêem pensamento...

Escrito por Fábio Seixas às 11h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O tufão, enfim, chegou

O tufão Krosa chegou a Xangai.

 

Eram 21h30 por lá, 10h30 em Brasília, quando o tempo fechou no autódromo. A situação por lá, agora, é de temporal, com fortes rajadas de vento e de chuva.

 

A F-1 escapou dessa. A água, diga-se, veio na medida certa.

Escrito por Fábio Seixas às 11h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Inimigo íntimo

Acho que o piloto mais criticado por aqui, nos últimos meses, foi Alonso.

 

Mas voltei a nutrir alguma simpatia pelo espanhol depois que li a declaração de Dennis aos repórteres após o GP da China.

 

O inglês tentava explicar o porquê de a McLaren demorar tanto para chamar Hamilton aos boxes.

 

E lançou essa: “Os pneus do Lewis estavam nas piores condições possíveis. Mas não estávamos preocupados com Kimi. Não estávamos correndo contra o Kimi. Estávamos, basicamente, correndo contra Alonso. Se Kimi vencesse e Lewis fosse segundo, tudo estaria bem. Mas não funcionou assim”.

 

Como assim, correndo contra o próprio piloto? Que beleza...

Escrito por Fábio Seixas às 10h50

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

À matemática

Em Interlagos, Hamilton só precisa chegar em segundo para garantir o título, independentemente das posições de Alonso e Raikkonen.

 

Para Alonso, a situação é mais complicada. O cenário ideal para o espanhol é vencer e torcer para que o inglês seja, no máximo, terceiro. Nessa condição, empatariam em 113 pontos, mas o bicampeão teria uma vitória a mais (5 a 4).

 

Situação curiosa acontecerá se Alonso ficar em segundo e Hamilton for o quinto. Aí, ambos empatariam em pontos (111), vitórias (4), segundos (5), terceiros (3) e quartos lugares (1). Hamilton só levaria o título por ter um quinto lugar a mais, justamente o de Interlagos.

 

Ou seja, se for segundo, Alonso precisa torcer para Hamilton ficar, no máximo, em sexto.

 

Se Alonso ficar em terceiro, precisa torcer para Hamilton ser oitavo. Se o espanhol for quarto, torcerá para o inglês não pontuar.

 

Para Raikkonen, o cenário é bem pior. Precisa ser primeiro ou segundo na corrida e torcer para desastres dos rivais. Dos dois. Se vencer, Hamilton não poderá ser quinto e Alonso não poderá ser segundo. Se ficar em segundo, Hamilton não poderá ser sétimo e Alonso não poderá ser terceiro.

Escrito por Fábio Seixas às 05h21

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Alonso, o drama e a história

Depois de Monte Fuji, Alonso falou que precisaria de um “milagre”. Hoje, abaixou um pouco o tom, mas ainda assim não procurou mostrar lá muita empolgação com o que aconteceu.

 

“Acho que vai ser muito difícil. Definitivamente, não é fácil descontar quatro pontos numa corrida. Espero fazer uma boa prova no Brasil, mas minha situação é dramática.”

 

Ok, até pode ser. Mas melhorou bastante...

 

E já que citamos 1986 no post anterior, taí outro alento para Alonso. Ele pode buscar algum conforto na história. Da última vez em que a F-1 chegou à última etapa com três pilotos lutando pelo título, a taça acabou nas mãos daquele que era o vice-líder.

 

A F-1 desembarcou em Adelaide-86 com Mansell na frente, com 70 pontos, contra 64 de Prost e 63 de Piquet. Saiu de lá com Prost bicampeão, com 72 pontos, seguido por Mansell (70) e Piquet (69).

Escrito por Fábio Seixas às 05h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Primeiros pitacos

“Cheguei a falar para a equipe que não conseguiria ficar na pista daquele jeito”, disse Massa, na entrevista coletiva, comentando a troca por pneus de pista seca bem no momento em que voltava a chover em Xangai. Azar ou outra mancada da Ferrari? Um pouco das duas coisas;

 

Voltei a lembrar da frase de Barrichello, sexta, no “Jornal da Globo”: “"É complicado lutar por pontos com um carro que, no máximo, larga em 12º ou 13º." O brasileiro largou em 16º, terminou em 15º. Button saiu em décimo, recebeu a bandeirada em quinto. O carro é o mesmo;

 

A luta pelo campeonato está tão boa que a vitória de Raikkonen ficou em segundo plano. Mas façamos justiça: foi uma belíssima vitória, conquistada no braço e na sensibilidade com o carro e com direito a uma bela ultrapassagem. Não esqueçamos que o finlandês já era o líder quando abandonou;

 

Abaixo o protocolo! Não interessa o que dizem a regra e a tradição. Os chineses deveriam ter levado Vettel ao pódio. Aos 20 anos, o alemão, que saiu em 17º, terminou a prova na quarta posição. È o melhor resultado da história da Toro Rosso. O moleque é muito, muito bom. Será que a Red Bull já não começou a cogitar uma troca com a equipe caçula para 2008?;

 

Liuzzi, diga-se, também foi bem, terminou em sexto. O italiano não é um gênio, mas acho que mereceria uma segunda chance. Com tantos Coulthards, Webbers, Fisichellas, Barrichellos e Trullis por aí, seria uma pena Liuzzi ficar de fora no ano que vem;

 

Decepcionante o desempenho da Renault no fim de semana. A equipe, que vinha numa escalada, estancou. Lá embaixo.

Escrito por Fábio Seixas às 04h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O milagre de Alonso aconteceu

É por situações como a que vimos no GP da China que o esporte é fascinante.

 

De uma hora pra outra, tudo mudou. E o esporte conseguiu se impor sobre tantas decisões equivocadas cometidas pelos dirigentes ao longo da temporada: o Mundial será decidido na última etapa, mais aberto do que o mais fanático integrante da família Alonso poderia sonhar.

 

Sonho? Sim, é a palavra. Quem poderia sonhar, afinal, com um abandono de Hamilton? E da maneira como foi?

 

O inglês largou com a mão na taça. E, assim, continuou até a 31ª volta.

 

Foi quando, sofrendo com a falta de aderência dos pneus intermediários numa pista que estava secando rapidamente (já havia sido ultrapassado por Raikkonen e caído para o segundo lugar), entrou nos boxes.

 

Ou melhor: tentou entrar. Não conseguiu. No 16º GP da carreira, cometeu seu maior erro. No momento de frear, na entrada do pit lane, escorregou e foi parar na brita. Atolou. E de lá não saiu, para desespero de Ron Dennis.

 

Desespero com sua própria equipe, talvez. Sim, a McLaren teve uma bela parcela de culpa. Deveria ter chamado o inglês antes, muito antes, para os boxes. Titubeou. Arriscou quando não poderia arriscar. Deu no que deu.

 

Na solidão do seu capacete, Alonso deve ter aberto um sorriso do tamanho de Oviedo. O “milagre” que ele tanto esperava aconteceu.

 

Raikkonen ficou com a vitória, seguido pelo espanhol. Massa foi o terceiro.


E, com isso,  o espanhol reduziu de 12 para 4 pontos a vantagem do inglês no Mundial. Até Raikkonen, quem diria, começou a ver uma luzinha um pouco mais brilhante no fim do túnel.

 

A F-1 virá a Interlagos com Hamilton ainda na liderança, com 107 pontos. Alonso tem 103. Raikkonen, 100.

 

Campeonato abertíssimo. Porque milagres, como acabamos de ver, acontecem.

Escrito por Fábio Seixas às 03h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Já que o título deve vir hoje, o palpite pela primeira vez virará torcida: vitória de Hamilton. Afinal, se é para ser campeão, que seja com vitória.

 

Em segundo, Raikkonen, seguido por Alonso.

 

E tenho dito.

Escrito por Fábio Seixas às 01h07

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

GP com chuva!

Chove em Xangai, a largada será com pista molhada, mas não a ponto de exigir o safety car.

 

Ou seja, até o imponderável está ao lado de Hamilton.

Escrito por Fábio Seixas às 01h03

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.