Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Le Mans, 7ª hora

Le Mans entrou na sétima hora com o Peugeot de Zonta à frente, com Klien no volante. Em segundo, o Peugeot de Gené. E o Audi de Kristensen surge em terceiro, a 1min09s dos líderes.
                                                                                                          Regis Duvignau/Reuters
Zonta, no 908 HDi FAP, antes de passar o carro para Klien
 
E o outro Peugeot? Caiu para décimo por conta da última parada, mas está na briga. Sarrazin está voando e acaba de bater o recorde da pista: 3min19s394.
 
A briga está boa.
 
Ah, sim, a cronometragem oficial rola aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 16h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Barcelona, dia 3

No último dia da F-1 em Barcelona, deu Nelsinho.
 
A exemplo do que aconteceu ontem, o brasileiro foi o que mais andou. Desta vez, 112 voltas. O que mostra um esforço claro para melhorar, dele e da Renault.
 
Mais pela quilometragem acumulada, menos pelo tempo de hoje, os testes devem fazer bem ao brasileiro.
 
De la Rosa foi o segundo, a 0s326, seguido por Badoer.
 
Aos tempos:
 
1º. Nelsinho Piquet (BRA/Renault), 1min20s076 (112 voltas)
2º. Pedro de la Rosa (ESP/McLaren), 1min20s402 (82)
3º. Luca Badoer (ITA/Ferrari), 1min20s680 (63)
4º. Mark Webber (AUS/Red Bull), 1min21s037 (92)
5º. Timo Glock (ALE/Toyota), 1min21s158 (86)
6º. Nick Heidfeld (ALE/BMW), 1min21s295 (88)
7º. Rubens Barrichello (BRA/Honda), 1min21s672(83)
8º. Nico Hulkenberg (ALE/Williams), 1min21s674 (60)
9º. Sebastian Vettel (ALE/Toro Rosso), 1min21s880 (72)

Escrito por Fábio Seixas às 15h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, parque, sol, coluna

Sábado, parque, sol, coluna

"Kubica é dono de um talento nato e é o clássico exemplo de sujeito que chega à F-1 fazendo barulho logo de cara -como todos os grandes campeões, registre-se. Mas esqueça mais esse conto de fadas na linha 'da-plebécula-ao-topo-do-mundo'. Kubica foi, também, aplicadíssimo aluno de uma escola das mais estruturadas."
 
O polonês, com o caminho que percorreu desde Cracóvia, é o tema da coluna de hoje, aqui, para assinantes do UOL e da Folha.

Escrito por Fábio Seixas às 15h36

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Coube?

Brasília tem GT3, F-3 e Clio neste fim de semana. 
 
Atração da primeira categoria, Emerson encontrou-se com Lula, que teria perguntado sobre o etanol no automobilismo e prometido melhorias nos autódromos brasileiros _esta eu gostaria de ver.
 
O que vale mesmo é a foto.
                                                                                                                      Miguel Costa Jr.
 
(Em tempo, antes de experimentar o capacete de Emerson, Lula tentou colocar o de Pedro Enrique. Não coube.)

Escrito por Fábio Seixas às 18h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Barcelona, dia 2

Segundo dia em Barcelona, segundo dia de Badoer na frente.
 
Desta vez, com De la Rosa na segunda posição, a 0s361.
 
Nelsinho foi penúltimo, à frente da Toro Rosso, que começou a treinar hoje.

Sobre Nelsinho, aliás, vale a pena ouvir a entrevista feita por Andrei Spinassé, do Tazio, com Nelsão, hoje, em Brasília. Está aqui.
 
Ao ouvir, lembrei de uma conversa que tive nesta semana com alguém muito próximo aos Piquet. "Daqui a pouco ele começa a detonar o menino", me disseram.
 
Esse "daqui a pouco" está bem próximo, pelo jeito.
 
Aos tempos:
 
1º. Luca Badoer (ITA/Ferrari), 1min21s013 (95 voltas)
2º. Pedro de la Rosa (ESP/McLaren), 1min21s374 (111)
3º. Timo Glock (ALE/Toyota), 1min21s573 (87)
4º. Nico Rosberg (ALE/Williams), 1min21s614 (86)
5º. David Coulthard (ESC/Red Bull), 1min21s668 (86)
6º. Robert Kubica (POL/BMW), 1min21s761 (114)
7º. Rubens Barrichello (BRA/Honda), 1min21s950 (122)
8º. Nelsinho Piquet (BRA/Renault), 1min22s037 (129)
9º. Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), 1min22s395 (101)

Escrito por Fábio Seixas às 17h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Allons enfants de la Patrie!

Saiu o grid de Le Mans.

Nas três primeiras posições, adivinha, os três Peugeot. A pole é do trio Lamy-Sarrazin-Wurz, seguido por Zonta-Klien-Montagny e Villeneuve-Minassian-Gené.
 
O Audi de Capello-Kristensen-McNish sai em quarto. Levou 3s396 do pior Peugeot.
 
"Mas isso, na corrida aqui, pode não significar muita coisa", alertou pelo telefone, agora há pouco, Cesare Manucci, grande colega da "Autosprint", que está lá.
 
Sim, o Cesare tem razão, é mais ou menos o que escrevi sobre o lance da sorte, ontem. Mas ter azar com três carros é mais complicado. Daí, o investimento pesado dos franceses...
                                                                                        Jean François Monier/France Presse
Sarrazin, à frente de Minassian, no treino oficial desta noite em Le Mans

Escrito por Fábio Seixas às 19h48

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Zonta e o muro

Zonta deu um pancão hoje em Le Mans.

Escapou na Corvette, acertou o muro de frente, forte. Destruiu bastante o carro, que correu sério risco de não participar do segundo treino classificatório. Mas a Peugeot conseguiu trabalhar rápido e colocou o 908 HDi FAP na pista.
 
A cronometragem oficial rola aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 19h02

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Imagens do front

Rafael Portugal esteve na Ilha de Notre Dame no domingo e mandou o seguinte e-mail:
 
"Como você disse no seu blog, o GP foi mesmo o melhor da temporada! Que barbeiragem (ou sacanagem) do Hamilton! Ele parecia muito ansioso, muito afoito. Antes da lambança, de cada 3 voltas, ele fritava 1 na curva 6... E como anda forte o Kubica! Dá gosto ver o polonês acelerar. E como deu gosto ver a festa da Polska no circuito. Veja aí as fotos e coloque no blog se quiser. A garotinha que aparece virou a mascote da torcida de Kubica. Os marmanjos gritavam ROBERT! E ela completava: KUBICA! Olhe o estado do asfalto entre as curvas 6 e 7, estava mesmo esfarelando. Que vergonha pro Canadá."
 
 
 
 
Um barato, a menininha polonesa! E lamentável, mesmo, a situação do asfalto _imagine acelerar um F-1 nesse monte de sujeira! 
 
Ao Rafael, nosso obrigado!

Escrito por Fábio Seixas às 18h24

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Barcelona, dia 1

Em Barcelona, no primeiro dia de testes coletivos, deu Badoer.

A diferença para Kubica, o segundo colocado, 0s270.
 
Sim, Kubica. Alguém pode até argumentar que a vitória em Montréal foi cercada de imprevistos, que não aconteceria se Hamilton não tivesse sofrido um tilt cerebral. Concordo. Mas ele sempre está ali, rondando, batendo na trave. E por isso é líder do Mundial.
 
A grande/média novidade foi a volta de Davidson, agora testando pela Honda.

Aos tempos:
 
1º. Luca Badoer (ITA/Ferrari), 1min22s412 (82 voltas)
2º. Robert Kubica (POL/BMW), 1min22s682 (69)
3º. David Coulthard (ESC/Red Bull), 1min22s724 (21)
4º. Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 1min22s764 (79)
5º. Gary Paffet (ING/McLaren), 1min22s938 (36)
6º. Anthony Davidson (ING/Honda), 1min23s208 (81)
7º. Nico Hulkenberg (ALE/Williams), 1min23s619 (112)
8º. Romain Grosjean (FRA/Renault), 1min23s899 (60)
9º. Kamui Kobayashi (JAP/Toyota), 1min24s442 (82)

Escrito por Fábio Seixas às 14h26

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Time escalado

Abaixo, a esquadra da Peugeot para as 24 Horas de Le Mans.
                                                                                                                                   Peugeot
 
São nove pilotos divididos por três carros. Os três mais sérios candidatos à vitória neste fim de semana. Entre eles, Zonta. O motivo de tanto favoritismo: o Peugeot 908 HDi FAP, sem medo de errar, um dos carros mais sensacionais já criados.

Le Mans é traiçoeira. Não basta ter o melhor carro, é preciso contar com a sorte. Mas, braço por braço, não sei se a turma de Zonta é a mais forte. Ele dividirá o carro com Klien e Minassian.

Os outros trios: Villeneuve-Minassian-Gené e Lamy-Sarrazin-Wurz. 
 
Apostaria mais nesta última turma.

Escrito por Fábio Seixas às 17h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Merecem a cadeia

Falando em Toyota, essa é bizarra...
 
 
Jodee Berry era garçonete do Hooter's de Panama City, na Flórida, e trabalhou feito uma louca (de shortinho laranja, imagino) durante um mês para ganhar um concurso interno do restaurante: a gerência havia prometido um Toyota para a mocinha que mais vendesse cerveja.
 
Jodde ganhou. Na hora de receber o prêmio, levaram-na para o estacionamento e lhe deram um boneco do Yoda. O trocadilho? Toy (brinquedo, em inglês) Yoda.  
 
Os caras deveriam ser processados, sim, mas por infâmia... Cadeia neles!

Escrito por Fábio Seixas às 16h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ove Andersson, 70

Morreu Ove Andersson.
 
E que não o julguem pelos resultados da Toyota. Porque até mesmo o que ele fez na F-1 já é digno de admiração: colocou para correr, do zero, uma equipe de F-1. A Toyota não comprou uma equipe menor, não investiu numa estrutura já existente. Ergueu, do nada (com muito dinheiro, sim, mas do nada) uma fábrica e pôs dois carros para correr na categoria máxima do automobilismo.
 
O problema da Toyota não é e não foi Andersson, até porque ele fez o combinado _colocou a equipe para correr e pegou o boné. O problema da Toyota, como o da Honda, é o "telefone-sem-fio" entre Japão e Europa. Um lado não se entende com o outro, há uma intensa queda de braço por poder, e dá no que dá: dois fiascos.

Mas Andersson foi muito mais que o chefe da Toyota na F-1. Levou a marca ao segundo lugar em Le Mans em 1999. E, no rali, foi uma espécie de Jean Todt com a Ferrari: ganhou sete Mundiais, quatro de pilotos e três de construtores.
 
E Andersson foi rei no rali porque era um apaixonado. Piloto de alta estirpe, um louco pelo que fazia. Tanto que morreu assim, aos 70, acertando de frente um caminhão num rali de clássicos na África do Sul.
 
Quer saber? Acho que morreu feliz.

Escrito por Fábio Seixas às 14h45

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Charge com mea-culpa

As F1 Girls trabalharam rápido. Eu é que demorei para publicar...
 

Escrito por Fábio Seixas às 14h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop sem luz vermelha

Pit Stop sem luz vermelha

Aqui, o Pit Stop desta semana.
 
Com um especial agradecimento aos internautas participantes do bate-papo, cada vez mais afiados nas perguntas...

Escrito por Fábio Seixas às 20h34

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Pit Stop com bate-papo

Dia de corre-corre (acho que vocês já se acostumaram às minhas terças-feiras), mas às 15h tem Pit Stop com bate-papo. Os assuntos, F-1, Indy, MotoGP.
 
As instruções sobre como participar e assistir estão aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 11h57

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Gordini na telinha

 
O Gordini deste blogueiro foi tema de reportagem da RaceTV.
 
Para assistir, é só ir até aqui e clicar na última edição do "Race News" _o programa tem também uma ótima entrevista com Di Grassi.

Escrito por Fábio Seixas às 14h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

A foto

A imagem do fim de semana não poderia ser outra. Reparem na roda traseira esquerda da Ferrari.
 
 
O clique é de Paul Chiasson, da Reuters.

Escrito por Fábio Seixas às 14h37

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Pílulas do dia seguinte

Até a passional (para assuntos de F-1) imprensa inglesa caiu de pau em cima do Hamilton hoje. Para o "Guardian", por exemplo, a manobra do piloto foi "aterrorizante". É, foi mesmo...;
 
Desde ontem penso numa hipótese levantada pelo Maurício Souza, no post abaixo. "Você não acha que o Hamilton, quando viu que a vaca tinha ido pro brejo, escolheu o Kimi ao invés do Kubica?", perguntou o Maurício. Vi, revi, revi e revi a cena. E acho, quase 24 horas depois, que, sim, Hamilton escolheu acertar Raikkonen quando viu que já era;
 
Massa tem toda a razão de ficar fulo da vida com a Ferrari. Perdeu um pódio certo. É caso para sentar com a equipe e ter uma conversa séria, como aquela que teve no começo de 2006 e que culminou com a mudança de engenheiro _saiu Gabriele delli Colli, entrou Rob Smedley, com ele até hoje;
 
A temporada de boatos já começou, falam o tempo todo de Raikkonen, Piquet, Massa, Vettel, Bruno, etc e tal, mas Kubica raramente é citado. Estranho, não? Repito o que escrevi na semana passada: se eu fosse uma equipe de ponta, colocaria um contrato em branco nas mãos do polonês.

Escrito por Fábio Seixas às 13h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Kubica wygrywa!*

* Kubica vence!, em polonês

 

Que corrida! Melhor que o GP de Mônaco, melhor que qualquer outra prova na temporada.

 

Vitória de Kubica. O que por si só já diz muito sobre o espetáculo que foi este GP do Canadá. O polonês vinha batendo na trave o ano todo, estava sempre ameaçando, só precisava de uma ajudinha do imprevisível.

 

Que veio da forma mais bizarra possível. Com a maior besteira que vi um piloto fazendo desde o episódio da “anta sueca”.

 

Hoje, Hamilton passou perto, bem perto. Não viu? Todo mundo foi para os boxes, durante um safety car. Na saída dos boxes, o sinal estava vermelho. Raikkonen e Kubica ficaram ali parados, comportados, esperando a luz verde. Eis que Hamilton veio como uma vaca louca e acertou com tudo a traseira do finlandês.

 

É, os dois abandonaram ali. E a expressão do Hamilton nos boxes foi aquela de “fiz m...”.

 

Ficou fácil para Kubica, então? Nem tanto. Porque havia uma turma fazendo apenas um pit, Heidfeld na ponta. E o polonês teve de acelerar muito para poder fazer o segundo pit e voltar à frente do companheiro.

 

Como de praxe, ele fez um trabalho impecável. Tinha mais de 25 segundos sobre o Heidfeld quando parou. Voltou na frente. E venceu no mesmo circuito onde, um ano atrás, sofreu seu mais grave acidente. Heidfeld foi segundo, com Coulthard, acredite, em terceiro.

 

Massa? Fez uma ultrapassagem sensacional sobre Barrichello e Kovalainen, de uma vez só, mas a corrida já estava comprometida após um começo meio apagado e um erro de reabastecimento nos boxes. Quinto lugar ficou de bom tamanho.

 

Barrichello? Foi sétimo, com febre e tudo o mais. Ele sempre andou bem no Canadá, manteve a rotina. Numa corrida de sobreviventes, quem sobrevive se dá bem. Foi o caso hoje, mais uma vez.

 

Nelsinho? Parecia bem após aquela rodada de pits sob safety car, mas errou, escapou da pista e abandonou algumas voltas depois. Para quem tinha três corridas pra mostrar serviço, abandonar as duas primeiras não parece um bom negócio.

 

Com o resultado, Kubica é o novo líder do campeonato, com 42 pontos, quatro a mais que Hamilton e Massa. Raikkonen tem 35.

 

Kubica será o campeão mundial? Dificilmente. Mas é de longe, com sobras, o melhor piloto do ano.

 

(Não, não vou tripudiar sobre meu palpite aí embaixo.)

Escrito por Fábio Seixas às 15h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Manhã de domingo complicada, não vi a MotoGP, mas confio em quem me disse que a corrida foi ótima e Pedrosa, sensacional.
 
Mas vamos para a F-1. Instantes atrás, ainda estavam remendando o asfalto. Ah, se fosse no Brasil...
 
Fato é que não dá para a categoria voltar a Montréal sem uma bela reforma por lá. Em 2009, asfalto novo, por favor.
 
O palpite? Kubica, seguido por Raikkonen e Massa. É, decidi arriscar hoje.,
 
E você?

Escrito por Fábio Seixas às 13h12

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dixon, pela terceira vez

No Texas, vitória de Dixon, a terceira em sete possibilidades na temporada.
 
A corrida foi boa. Nada sensacional, mas boa.
 
Pancões aqui e ali, aquela torcida de sempre pelo piloto de sempre (mesmo careca de saber que ele estava leve e teria de parar), imagens de Carpenter enquanto Marco e Dixon disputavam a liderança, várias alternativas, indefinição até o fim.
 
A decisão veio só nas últimas voltas. Após uma bandeira amarela, provocada pela batida de Bernoldi, a corrida foi reiniciada com nove voltas para o fim.
 
Mas então Runter-Reay deu uma escorregada, acertou Marco na disputa pela vice-liderança e os dois acabaram no muro.
 
Bandeira amarela, desta vez até a outra bandeira, quadriculada.
 
O melhor brasileiro foi Helinho, em segundo. Um consolo.
 
Porque o melhor piloto da temporada, de longe, é o neozeolandês.

Escrito por Fábio Seixas às 00h39

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.