Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Sábado, outono, vinho, coluna

"Uma possibilidade: Ecclestone pode ter acertado com as equipes que lutaria pela proposta de valorização das vitórias, mas sem entrar em detalhes. E, na hora do vamos ver, lançou à mesa uma variação do seu projeto de medalhinhas. Pegas de surpresa, as escuderias demoraram três dias para reagir à traição.

Outra: as equipes deram o aval a Ecclestone, mas não contavam com o massacre da dita opinião pública contra a novidade. A solução foi voltar atrás, inventando uma ruptura. Mais uma: as equipes armaram para Ecclestone, cientes de que encontrariam brechas no regulamento para desmoralizá-lo e mostrar força. Algo estranho aconteceu.

E talvez não seja nenhuma dessas opções. E talvez nunca saibamos. Porque se já era difícil entender as decisões da F-1 quando os dirigentes formavam o 'Piranha Club', agora, com as piranhas em lados opostos..."

Este, um trecho da coluna de hoje na Folha.
 
O texto completo está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 11h58

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Cheiro estranho no ar

Às regras...
 
A alínea D do artigo 199 do Código Esportivo Internacional estabelece que mudanças nas regras para aplicação em um período breve podem acontecer "desde que haja concordância unânime de todos os competidores do campeonato em questão".
 
No apêndice 5 do Regulamento Esportivo, o busílis parece ser a alínea 2: prega que alterações devem ser propostas pelo Grupo de Trabalho Esportivo, composto por um membro de cada equipe mais um representante da FIA. No caso de terça-feira, a mudança foi imposta de cima pra baixo.
 
Mas um detalhe do comunicado da FIA merece atenção. Diz que Ecclestone teria recebido sinal verde das equipes para a mudança no critério.
 
Ou Bernie mentiu no Conselho Mundial ou as equipes o enganaram ou algo muito estranho aconteceu nos últimos dias.
 
Enfim, Inês está morta e enterrada. Pobre desta Inês, até que eu gostava dela...

Escrito por Fábio Seixas às 15h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A vitória dos pontos

Mudou.
 
A FIA acaba de divulgar nota oficial afirmando que se as equipes não aceitarem o novo critério de forma unânime, a mudança não poderá ser implantada em 2009.

Como as equipes já disseram que não são... Tudo volta a ser como antes.

O campeão será aquele que acumular mais pontos. Pronto, podem festejar.

Escrito por Fábio Seixas às 14h58

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Protesto

Fedeu.

A Fota divulgou um comunicado afirmando que a decisão do Conselho Mundial de mudar o critério para disputa do título da F-1 fere o Apêndice 5 do Regulamento Esportivo e o artigo 199 do Código Esportivo Internacional.

A base da reclamação: está muito tarde para uma mudança sem apoio unânime das equipes.
 
A mudança que tinha esse apoio, diz a Fota, não foi aprovada pelo Conselho Mundial. Ou seja: a associação dos times diz que nada pode mudar para 2009. Continua tudo como estava, Mundial definido por pontos, no sistema 10-8-6-5-4-3-2-1.

A FIA ainda não se manifestou.

Escrito por Fábio Seixas às 14h21

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tudo liberado

À "Auto Motor und Sport", Whiting afirmou não ver problemas nos difusores de Brawn, Toyota e Williams.
 
"Essas equipes usaram uma brecha que sempre esteve lá. Mas podemos entender que outras equipes tenham uma visão diferente", disse o responsável pelo cumprimento do Regulamento Técnico da F-1.
 
Ou seja, a Brawn, Toyota e Williams devem mesmo andar bem em Melbourne. O que não significa necessariamente andar à frente das outras, já que sete autoclaves Europa afora devem estar operando à toda força, neste exato momento, para fabricar difusores idênticos.

Escrito por Fábio Seixas às 20h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pole de respeito

A American Le Mans Series começa no sábado, com as 12 Horas de Sebring. E com pole brasileira.

 

A equipe de Gil de Ferran cravou a primeira posição no grid da principal categoria, a LMP1. Scott Dixon e Simon Pagenaud dividem com o patrão a pilotagem do Acura ARX-02a _foi o neozeolandês que cravou a volta da pole.

 

Uma pole de respeito. De muitíssimo respeito. Porque deixou para trás, por exemplo, dois Audi R15 TDI e dois Peugeot 908 HDi FAP.

 

Capello/Kristensen/McNish, o trio vencedor das últimas 24 Horas de Le Mans, com o mesmo Audi, ficou em segundo. Minassian/Lamy/Klien, que terminou em segundo a última edição da mítica corrida, com o mesmo equipamento, larga da terceira colocação na Flórida.

 

A vantagem da equipe de Gil no grid, 0s082.

 

Jaime Melo Júnior, que venceu a corrida em 2007 na GT2, sai em quarto neste ano, com uma Ferrari F430 GT. E há um terceiro brasileiro na prova, Lucas Molo, também na GT2, 11º com um Chevrolet Rilley Corvette C6. O Speed Channel mostrará a corrida.

 

Voltando ao feito da equipe de Gil, a "Autosport" classificou-o de "chocante". E foi mesmo.

 

Agradavelmente chocante. Porque Gil merece.

Escrito por Fábio Seixas às 19h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sem pace car, com pit stop

Não haverá mais "pace car global" na abertura da Stock, em Interlagos.
 
Mas será quase isso.
 
Falei agora com a assessoria de imprensa da categoria. A prova de Interlagos terá duas janelas obrigatórias de pit stops. O primeiro, para reabastecimento, dos 15 aos 18 minutos de prova _em algum momento, neste intervalo, os boxes serão abertos por duas voltas. O segundo, para troca de pneus, dos 25 aos 35 minutos _vale a mesma ressalva anterior. E é durante esse segundo pit que a transmissão da Globo começará.
 
Não é uma maravilha de regra, longe disso. Mas é menos ruim do que a ideia original.
 
Sempre fui contra interferências externas em disputas esportivas, e acho que a maior culpada é a Stock, que fica criando ou que aceita essas novidades. Corrida, pra mim, é colocar um monte de carros num grid, dar a largada e esperar pra ver quem chega na frente.
 
Simples assim, sem invencionices.

Escrito por Fábio Seixas às 15h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Donzela de ferro

Aos fãs do Iron Maiden, frequentadores do blog _algumas dezenas, segundo o termômetro deste post aqui.
 
Sabem quem é este, andando de kart em Interlagos, na segunda-feira?
 
Bruce Dickinson...
 
Bruce Dickinson pilota kart em Interlagos
 
A foto é do atento Rafael Durante. E a história está no Tazio.

Escrito por Fábio Seixas às 14h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jerez, dia 5

E o melhor tempo da semana em Jerez vai para... Nakajima!

 

Sim, o japonês da Williams cravou hoje 1min17s494, marca 0s350 mais veloz que a obtida por Button na terça-feira.

 

A McLaren também andou mais rápido. Kovalainen fez 1min17s946, terceira melhor marca da semana.

 

Aos tempos:

 

1°. Kazuki Nakajima (JAP/Williams), 1min17s494 (102 voltas)
2°. Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), a 0s439 (84)

 

Testes, agora, apenas em linha reta ou em pistas circulares, como determinado pelo Conselho Mundial.

 

E carro de F-1 acelerando, só em Melbourne. Daqui a pouco.

 

Ufa!

Escrito por Fábio Seixas às 13h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Fala, Schumacher

"Não creio que essas mudanças ajudem a F-1, especialmente o novo sistema de definição do campeão. Não posso ver como faz sentido eventualmente ter um campeão com menos pontos que o vice, mesmo achando ser um bom movimento para tentar fortalecer a posição do vencedor."

Escrito por Fábio Seixas às 13h36

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bruno e o DTM

E Bruno Senna, que andava sumido?
 
Bom, ele reapareceu. Nesta quarta, treinou em Hockenheim com um AMG Mercedes-Benz C Class 2008. O objetivo, o DTM, o Alemão de Turismo.
                                                                      Divulgação Daimler AG/MF2
Bruno Senna, nesta quarta, em Hockenheim
 
Amanhã, ele voltará a treinar.
 
"Vou andar nos dois períodos. Mas já foi um dia divertido, me adaptei rapidamente ao carro e deu para dar umas voltas boas. No entanto, não posso subestimar o nível de competitividade do DTM. É uma categoria de alto nível e com corridas bastante disputadas. Ainda há muito a ser discutido, mas é claro que uma série tão forte e veloz como esta pode ser uma ótima opção e me ajudar no caminho da F-1”, disse, no comunicado distribuído à imprensa.
 
O campeonato começa no dia 19 de maio. Há tempo para muitos testes.
 
Por ora, nem Bruno nem a Mercedes confirmam sua participação. Mas, por ora, também, parece não haver alternativa melhor para o brasileiro.

Escrito por Fábio Seixas às 17h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Xerox

O Rick avisou e é verdade, está lá no site espanhol Motor 21: a McLaren teria testado hoje, em Jerez, modificações no difusor. A cada parada nos boxes, mecânicos corriam para esconder os detalhes da traseira do MP4/24.
 
Coincidência ou não, nos últimos dias o time usou uma geringonça no difusor antigo para monitorar sua (in)eficiência. Coincidência ou não, Kovalainen cravou hoje o melhor tempo da semana para a equipe.
 
É o que comentei ontem no Pit Stop: há duas saídas para a polêmica. Ou a FIA libera e todo mundo copia a ideia da Brawn ou a FIA proíbe.
 
Só imaginei, admito, que demoraria um pouco mais para as equipes copiarem a novidade...

Escrito por Fábio Seixas às 16h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jerez, dia 4

Sim, ainda tem gente testando em Jerez: McLaren e Williams.

 

Kovalainen fez 1min18s202, mais lento que Button ontem, mas melhor que Alonso na segunda-feira.

 

Nakajima ficou a 1s821. Amanhã é, pra valer, o último dia da pré-temporada.


Aos tempos:

 

1°. Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), 1min18s202 (79 voltas)
2°. Kazuki Nakajima (JAP/Williams), a 1s821 (103)

Escrito por Fábio Seixas às 14h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

GP por GP

O jornalista Rogerio Jovaneli se deu o trabalho de analisar, GP por GP, como seria o Mundial de 2008 com o novo regulamento.

 

A conclusão dele: "o campeonato seria emocionante do começo ao fim, com o mesmíssimo duelo entre Hamilton e Massa."

 

Vale a pena acompanhar:

 

Austrália

A primeira corrida, em Melbourne, foi vencida por Hamilton. Seria líder de qualquer maneira. Pelo novo critério, com uma vitória;

 

Malásia

Depois da segunda corrida, em Sepang, Raikkonen, vencedor, empataria com o inglês na liderança;

 

Bahrein

Massa, ao vencer a corrida, também chegaria à liderança, junto com Hamilton e Raikkonen (uma vitória para cada piloto);

 

Espanha

Depois de Barcelona, Raikkonen chegaria à ponta, com duas vitórias, contra uma de seus rivais;

 

Turquia

Massa, ao vencer em Istambul, chegaria a duas vitórias e empataria na liderança com o companheiro Raikkonen (duas vitórias para cada piloto da Ferrari, contra uma de Hamilton);

 

Mônaco

Após vencer a sexta corrida do ano, Hamilton seria líder, junto de Massa e Raikkonen (duas vitórias para cada piloto);

 

Canadá

O vencedor foi Kubica. Continuaria havendo empate tríplice na luta pelo título;

 

França

Após ganhar em Magny-Cours, Massa assumiria pela primeira vez a liderança isolada, com três vitórias, contra duas de seus rivais;

 

Inglaterra

Ao triunfar em casa, no autódromo de Silverstone, Hamilton empataria na liderança com o brasileiro da Ferrari (três vitórias cada);

 

Alemanha

Hamilton vence e toma a liderança isolada;

 

Hungria

O vencedor foi Kovalainen. Hamilton continuaria na ponta;

 

Europa

Massa, vitorioso em Valência, voltaria a ser líder ao lado de Hamilton (quatro vitórias para cada piloto);

 

Bélgica

A quinta vitória de Massa, em Spa-Francorchamps, levaria o brasileiro de volta à liderança isolada do campeonato;

 

Monza

O vencedor foi Vettel. Massa continuaria líder;

 

Cingapura

O vencedor foi Alonso. Massa continuaria líder;

 

Japão

O vencedor foi Alonso. Massa continuaria líder;

 

China

Hamilton e Massa voltariam a dividir a liderança, mas com sete pontos de vantagem para o inglês na tabela;

 

Brasil

Após vencer em casa, no autódromo de Interlagos, Massa conquistaria a sexta vitória, virando o jogo e conquistando o título.

 

“Obviamente, as equipes não correram no ano passado com essa nova regra, portanto, talvez tivessem posturas diferentes, sabendo o que precisariam fazer para ganhar o campeonato, privilegiando um ou outro piloto. Mas, assim como não se pode acreditar totalmente que todo ano tenhamos equilíbrio idêntico ao de 2008, também não se pode creditar apenas e tão somente à nova regra um eventual desequilíbio do campeonato. Nem 8; nem 80. Equilíbrio, também na análise”, escreveu o Rogério, a quem o blogueiro agradece.

 

Agradece e completa: sabendo que precisaria da vitória, Hamilton faria uma corrida completamente diferente em Interlagos. O GP Brasil de 2008 foi histórico, um dos mais emocionantes de todos os tempos? Sim. Mas por causa da chuva.

 

Não fosse a instabilidade do clima paulistano e o corre-corre que provocou nos boxes de Interlagos, Hamilton administraria sua posição, chegaria confortavelmente em quinto e o Mundial teria uma decisão sem graça.

 

Com a nova regra, o inglês teria de partir pra cima. Em algum momento, nos boxes ou na pista, teria de tentar tomar a liderança de Massa. Aí, o mundo veria uma ultrapassagem que valeria não apenas uma posição ou uma vitória, mas o título de um campeonato. Com a chuva, tudo ficaria ainda mais embaralhado. 

 

E isso eu chamo de emoção.

Escrito por Fábio Seixas às 12h39

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sobre regras esdrúxulas

Vocês acham esdrúxula a nova regra para definir o campeão da F-1?
 
Pois vejam o que a Stock aprontou...
 
A informação é do Lito Cavalcanti e está desde a semana passada no Voando Baixo, do Rafael Lopes. Confesso que só agora atentei para a dita-cuja.
 
Lá vai: "A primeira corrida, no dia 29 de março, será disputada normalmente, inclusive com pit stop, até os 10 minutos finais, quando deverá começar a transmissão ao vivo da Rede Globo. Então, entrará o safety car (nesse caso, não será safety car, e sim pace car) na pista, todos os pilotos serão agrupados e será dada a bandeira verde. Será que a tática correta será economizar os pneus trocados durante o pit stop? E como fazê-lo sem perder posições? Uma nova variável no jogo tático..."
 
Sim! A Globo decidiu que só vai mostrar os 10 minutos finais da corrida. Até aí, a emissora faz o que quiser, passa o que bem entender no "Esporte Espetacular", seja algum "desafio" de vôlei de praia ou um "mundialito" de futsal. Se quiser exibir só a bandeirada, que seja assim.
 
Mas a Stock aceitar uma alteração na corrida, uma alteração profunda como essa, criar uma corrida dentro da corrida, uma corrida artificial só para a Globo, é dos maiores absurdos que já vi no esporte...
 
Imagine no futebol? "Olha, a gente só vai mostrar os últimos 10 minutos do jogo. Então, qualquer que seja o placar, voltará pro 0 a 0 quando abrirmos a transmissão, tá bom?"
 
É, é bem isso.

Escrito por Fábio Seixas às 11h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jerez, dia 3

E hoje foi a vez de Brawn e Renault se despedirem dos testes. Pista, agora, só a do Albert Park.
 
Button foi o mais rápido, com 1min17s844, a melhor marca da semana até agora. Rosberg ficou a 0s227.
 
Amanhã e quinta, só McLaren (com Kovalainen) e Wlliams (com Nakajima) testam.
 
Aos tempos:
 
1°. Jenson Button (ING/Brawn), 1min17s844 (114 voltas)
2°. Nico Rosberg (ALE/Williams), a 0s227 (66)
3°. Nelsinho Piquet (BRA/Renault) a 0s538 (128)
4°. Lewis Hamilton (ING/McLaren), a 1s277 (118)

Escrito por Fábio Seixas às 16h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #90

O Pit Stop de hoje está quente, pegando fogo, comentando sobre as novidades na F-1. E também falando sobre Jerez, Brawn, difusores e quetais.

Lá vai...

Escrito por Fábio Seixas às 16h46

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Para quem não gostou...

Atenção, críticos da nova regra: já há um abaixo-assinado pedindo para a FIA voltar atrás na decisão de privilegiar as vitórias na disputa do título da F-1.
 
Quem avisa é o Leandro Guimarães. E o link é este aqui. Divirtam-se.
 
Mas não vai dar em nada.

Escrito por Fábio Seixas às 16h41

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais mudanças

Tem mais no comunicado da FIA.
 
Os pilotos serão obrigados a darem autógrafos nas sextas-feiras e a concederem entrevistas após o treino classificatório e os GPs _conheço alguns que vão odiar essa regra.
 
Também foi criado um incentivo para testes com pilotos jovens. Entre a última corrida de um Mundial e o final daquele ano, só poderão participar pilotos que não tiverem disputado mais que dois GPs ou testado um carro de F-1 em mais de quatro dias nos últimos dois anos.
 
Durante a temporada, os times só poderão fazer testes aerodinâmicos, por oito dias não consecutivos, em retas ou "pistas de raio constante" (círculos) aprovadas pela FIA.
 
Por enquanto é isso. Vou correr pro Pit Stop. Mais tarde eu volto.

Escrito por Fábio Seixas às 11h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Viva a vitória

Acaba de sair o comunicado do Conselho Mundial da FIA.

A principal alteração, gritante e histórica: a partir de agora, a pontuação não definirá mais o campeão da F-1.

Isso mesmo. Será campeão o piloto com mais vitórias. A pontuação só será usada como critério de desempate caso dois pilotos empatem em número de vitórias na temporada.
 
Para o resto da classificação, do segundo ao último lugares, a pontuação continuará valendo. O sistema também não mudou: 10-8-6-5-4-3-2-1.
 
Não é o sistema de medalhas, mas o espírito é o mesmo. A regularidade deixa de ser valorizada. O que o Conselho e Bernie querem é incentivar a ousadia, as ultrapassagens, as vitórias.
 
Querem saber? Eu gostei.

Escrito por Fábio Seixas às 10h48

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Terça tem Pit Stop

Hoje é terça-feira, dia de Pit Stop. Que vai falar sobre os últimos testes e sobre o pacote de mudanças nas regras aprovado há instantes pelo Conselho Mundial da FIA. O programa começa às 14h30, ao vivo, aqui.
 
Para participar com perguntas, comentários e sugestões, o e-mail é uolnewsformula1@uol.com.br
 

Escrito por Fábio Seixas às 10h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O difusor

O Ilson Fioravanti encontrou num site holandês belas fotos do difusor da Brawn.
 
Matem a curiosidade e durmam saciados, ó fanáticos por F-1...
 
O difusor no carro de Button
 
O difusor no carro de Barrichello

Escrito por Fábio Seixas às 18h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

No alvo

O Fabio Mantovani mandou e-mail para o blogueiro lembrando deste post aqui, então um exercício de futurologia do Marcos Smirkoff.
 
"Ele acertou em cheio", disse meu xará.
 
Sim, é verdade. O cara é bom...

Escrito por Fábio Seixas às 15h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jerez, dia 2

Em Jerez, deu Alonso.

O espanhol, que testou pela última vez antes de Melbourne, cravou 1min18s343, vantagem magra, de apenas 0s055, sobre Barrichello e seu BGP001.

A Brawn, aliás, testou com seus dois pilotos. E Button teve problemas: deu apenas 12 voltas e quebrou. Mas foi o suficiente para cravar o terceiro tempo.
 
Barrichello é outro que não testa mais. A esta hora, já deve estar voando para o Brasil, onde ficará até embarcar para Melbourne.
 
E o difusor?
 
Pois é, essa história pintou no jornal "Express", de Colônia, que foi atrás de comentários de Briatore sobre ilegalidades cometidas "por duas ou três equipes". De acordo com o diário alemão, uma "ligação curva" entre o difusor do BGP001 e o assoalho proporciona um aumento de pressão aerodinâmica na traseira do carro que compensa parte da perda com a nova asa.
 
Coincidência ou não, Domenicali pediu à FIA esclarecimentos sobre o desenho dos difusores, jogando suspeitas sobre a interpretação que alguns times fizeram do Regulamento Técnico. Williams e Toyota também estariam na mira.
 
Ah, sim... A McLaren de Hamilton ficou em quarto hoje, mesmo com 73 voltas a mais que Button. Xiiiii...

Alonso, nesta segunda, em Jerez (foto Cristina Quicler/France Presse)

Aos tempos:

1°. Fernando Alonso (ESP/Renault), 1min18s343 (99 voltas)
2°. Rubens Barrichello (BRA/Brawn), a 0s055 (62)
3°. Jenson Button (ING/Brawn), a 0s549 (12)
4°. Lewis Hamilton (ING/McLaren), a 1s170 (85)
5°. Nico Rosberg (ALE/Williams), a 1s440 (123)

Escrito por Fábio Seixas às 14h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Uma noite no autódromo

Ontem fui ao autódromo de Interlagos. Para o show do Iron Maiden.
 
Quase um pocket show. Porque se é verdade que Bruce, Steve e seus asseclas ainda são sensacionais, também é que nessa enésima turnê brasileira deixaram de lado o mega-palco, a mega-produção, a mega-dedicação.
 
O palco em Interlagos poderia ser da Banda Calypso ou do Chitãozinho e Xororó. Nada de Eddie gigante, pouca pirotecnia, quase nenhum teatro.
 
Faltou personalidade, faltou a identidade Maiden, enfim. Dois shows em dois dias em duas cidades diferentes quase sempre dá nisso.
 
E a fila? Interlagos tem dezenas de entradas e os gênios da organização inventaram de fazer todo o acesso apenas por um portão, o 8.
 
Entrei numa fila, orientado por rapazes que vestiam a camiseta de "produção". A fila andou, andou e de repente evaporou. Deixou de existir. Correria, passos apressados, a fila ressurgiu. Dando a volta no autódromo. Mesmo.
 
A entrada era pelo portão 8, lembram? Ali na avenida Interlagos. O fim da fila era muito além do portão do setor G, do kartódromo, do muro do autódromo. Entre um ponto e outro, portões e mais portões fechados...
 
O palco foi montado naquele espaço entre o Pinheirinho, o Laranjinha, a Junção. Nada que prejudique a pista. Mas o gramado, ah, virou um lamaçal, meu ex-tênis que o diga.
 
Ah, sim...Apesar de a organização ter tentado estragar, o show foi bom, muito bom.

Escrito por Fábio Seixas às 10h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Jerez, dia 1

Começou o fim da pré-temporada. Em Jerez, nesta semana, Brawn, Renault, Williams e McLaren trabalharão nos últimos ajustes antes de embarcarem para Melbourne. As outras seis já encerraram o período de testes.
 
Neste domingo, Barrichello foi o mais veloz, com impressionante 0s584 de vantagem para Alonso, que teve um dia ruim _pela manhã, bateu na curva 8, e admitiu ter errado.
 
Hulkenberg, piloto de testes da Williams, foi o terceiro. E a McLaren decidiu só começar a ralar amanhã.
 
A Brawn testará amanhã de manhã com Barrichello e à tarde com Button. Na terça, o inglês voltará à pista. E então a equipe-novata-sensação encerrará suas atividades de testes. A Renault também testará apenas até terça, com Nelsinho assumindo o volante. McLaren e Williams só deixarão Jerez na quinta.
 
Continuo achando melhor esperar Melbourne para avaliar o desempenho da Brawn. Mas que até agora é impressionante, é.
 
Aos tempos:
 
1º. Rubens Barrichello (BRA/Brawn), 1min19s235 (102)
2º. Fernando Alonso (ESP/Renault), a 0s584 (33)
3º. Nico Hulkenberg (ALE/Williams), a 0s780 (69)

Escrito por Fábio Seixas às 15h00

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.