Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Na balança

Abaixo, a lista do peso de cada carro na largada.

 

Marquei com um asterisco aqueles que participaram do Q3. Ou seja, aqueles que estão mais sujeitos a comparações.

 

*Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 647 kg
Adrian Sutil (ALE/Force India), 655,5 kg
*Nico Rosberg (ALE/Williams), 656 kg
*Mark Webber (AUS/Red Bull), 656 kg
*Jarno Trulli (ITA/Toyota), 656,5 kg
*Timo Glock (ALE/Toyota), 656,5 kg
*Jenson Button (ING/Brawn), 660 kg
*Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), 662,5 kg
*Robert Kubica (POL/BMW), 663 kg
*Rubens Barrichello (BRA/Brawn), 664,5 kg
Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), 670,5 kg
*Fernando Alonso (ESP/Renault), 680,5 kg
Giancarlo Fisichella (ITA/Force India), 680,5 kg
Nelsinho Piquet (BRA/Renault), 681,9 kg
Kazuki Nakajima (JAP/Williams), 683,4 kg
Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 686,5 kg
Lewis Hamilton (ING/McLaren), 688 kg
Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), 688,9 kg
Felipe Massa (BRA/Ferrari), 689,5 kg
Nick Heidfeld (ALE/BMW), 692 kg

 

Às primeiras conclusões...

 

O carro de Button está tinindo. Mais pesado do que cinco carros no Q3, ele fez a pole sem problemas;

 

Os dois punidos, Barrichello e Vettel seguiram caminhos diferentes. O alemão foi de tanque vazio, apostando em ganhar várias posições na largada e num pit stop logo cedo _ou, talvez em chuva nas primeiras voltas. O brasileiro foi o segundo mais pesado do Q3, planejando um primeiro trecho dos mais longos;

 

A Williams talvez já esteja perdendo terreno. Mesmo 4 kg mais leve do que Button, Rosberg fez o sexto tempo no Q3, a 0s569 do inglês;

 

As duas Toyota estão com exatamente o mesmo peso. Trulli foi segundo no Q3 e o alemão, quinto. Em classificação, o veterano dá um belo banho no companheiro;

 

Massa tem o segundo carro mais pesado do grid. Vai parar bem no fim. O ferrarista disse que torce por chuva, mas não será legal para ele se essa água vier no começo do GP.

 

Nelsinho, 17º no grid, mudou de estratégia em relação à Austrália. Lá, encheu o tanque para a largada. Agora, levará apenas 1,4 kg a mais que Alonso, que sai em nono. Ou seja, fará uma estratégia padrão, vai parar algumas voltas depois, sem muita invencionice;

 

E você? Algo a acrescentar?

Escrito por Fábio Seixas às 18h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, sono, coluna, mais sono, almoço

"A F-1 É o esporte mais ridículo do mundo?" A pergunta/provocação abre o artigo do jornalista Stephen Moss na edição de ontem do "Guardian".

Assim também começa a coluna desta semana, sobre as idas e vindas do resultado do último GP.

 

O texto está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 13h55

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Na Flórida

Na Indy, que começa amanhã, Graham Rahal, 20, conquistou a primeira posição no grid de St. Petersburg e tornou-se o mais jovem pole da história.

 

Wilson sai em segundo, seguido por Kanaan e Briscoe. O autal campeão, Dixon, larga em oitavo. Mattos sai em nono. Meira é o 17º e Moraes, o 20º.

 

A largada amanhã será às 15h45, com transmissão do Bandsports.

 

Escrito por Fábio Seixas às 13h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vozes de Sepang, sábado

Massa, com voz de quem está de saco cheio, tenta explicar a lambança. "Fiz um tempo razoável, mas não uma volta excelente. E depois, a equipe inteira, incluindo eu... Fiquei entre os sete, oito primeiros. Aí, quando a gente viu que tinha sido um erro, já estava tarde demais. O que acontecia no ano passado, quando tínhamos um carro competitivo e precisava de apenas uma saída para ficar entre os 15, mudou neste ano."
 
Barrichello, com voz de quem não gostou da pergunta, nega estar com ritmo mais lento do que o companheiro no treino. "Ele fez uma grande volta, enquanto eu encontro esses problemas e tenho que ir massageando esses pequenos problemas até a coisa virar".
 
Piquet, com voz de velório, diz que o carro é ruim e que tanto faz chuva ou pista seca: "A merda já aconteceu. Quero que essa corrida acabe logo".
 
Os áudios das entrevistas dos três à imprensa brasileira, em Sepang, estão no Tazio.
 
Ah, sim: o temporal em Sepang foi muito, muito intenso. Se chover da mesma maneira amanhã, não acontece corrida.

Escrito por Fábio Seixas às 13h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Button e Brawn, 100%

Button. Com autoridade, sem sustos, sem adversários.

 

O inglês conquistou em Sepang sua quinta pole position na carreira, a segunda nos dois GPs de vida de sua equipe.

 

O difusor da Brawn falou mais alto que o Kers da Ferrari. Até porque a escuderia italiana fez papelão, mais uma vez. E ainda não gostam quando criticamos a administração Domenicali...

 

Trulli sai em segundo. Na segunda fila, Glock e Rosberg. Barrichello fez o quarto tempo mas, punido, largará em oitavo.

 

A chuva ainda não apareceu, pelo menos não com carro na pista. O treino aconteceu com pista seca, 30ºC no ar, 38ºC no asfalto.

 

No Q1, a grande surpresa. Massa foi cortado. O motivo foi vergonhoso: a Ferrari errou no cálculo, acreditando que seu tempo seria suficiente. A marca, 1min35s642, apenas a 16ª _Raikkonen escapou por pouco, foi o 14º.

 

Dançaram, ainda, Nelsinho, Fisichella, Sutil e Buemi.

 

É, Ferrari... Depois de tanto errar na estratégia em Melbourne, agora, essa lambança. E, claro, o piloto tem sua (enorme) parcela de culpa.

 

É, Nelsinho... Dois GPs, duas vezes limado logo no primeiro bloco do treino oficial. À Globo, admitiu que errou três vezes na sua última volta lançada. E isso porque este é o ano em que ele precisa se afirmar na categoria.

 

O mais veloz foi Barrichello, com 1min34s681. Trulli ficou em segundo, a 0s064, seguido por Glock, Vettel, Kovalainen, Webber, Button, Rosberg, Heidfeld e Kubica. Para registro, Alonso, companheiro do cortado Nelsinho, foi o 11º.

 

Veio o Q2.

 

Com Brawn na frente, mas agora com Button: 1min33s784, o melhor tempo do fim de semana. Trulli ficou a 0s206, seguido por Webber. Glock, Vettel, Barrichello, Raikkonen, Rosberg, Kubica e Alonso completaram a turma da luta pela pole.

 

Os cortados, Heidfeld, Nakajima, Hamilton, Kovalainen e Bourdais. Por ora, este é mesmo o limite da McLaren.

 

Chegou o momento da decisão, o Q3.

 

Na primeira rodada de voltas rápidas, Trulli foi melhor, com 1min35s769, seguido por Button, Vettel, Webber e Barrichello. Todo mundo foi para os boxes, trocou os pneus e voltou pra pista.

 

E então deu Button, com 1min35s181, 0s092 melhor que Trulli.

 

A seguir, os dois punidos, Vettel e Barrichello. Como o alemão levou dez posições pela batida em Kubica, sai em 13º. Como o brasileiro levou cinco por trocar de câmbio, sairia em nono, mas ganha a posição de Vettel e larga em oitavo.

 

Button é mais uma vez o favorito à vitória. Mas que tome cuidado com Trulli ao seu lado, um adversário que tomará menos cuidado nas primeiras curvas que seu companheiro de equipe.

Escrito por Fábio Seixas às 07h07

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sepang, 3º treino livre

E deu Williams no terceiro treino livre em Sepang.
 
Faltando 3 minutos para o fim do terceiro treino livre, Rosberg cravou 1min35s940 e superou todo mundo.
 
Webber, a poucos segundos do fim, arrancou um segundo lugar _ficou a 0s108 do alemão.
 
Massa foi o terceiro, a 0s149, seguido por Trulli, Glock, Vettel, Raikkonen, Nakajima, Barrichello e Button.
 
A sessão foi das mais calmas, sem grandes escapadas ou incidentes que mereçam destaque.
 
Para fins de análise, uma boa dica é deixar os tempos um pouco de lado e esquecer os últimos minutos do treino, quando todos foram de tanque vazio pra pista e produziram alguns resultados ilusórios.
 
Até cinco minutos para a bandeirada, os melhores eram Massa, Raikkonen, Barrichello e Button. Eram os mais consistentes. Eu ainda colocaria Rosberg e Trulli na lista.
 
A pole não deve escapar de um deles.
 
Sendo ainda mais restritivo, acho que fica entre a Brawn (e seu difusor) e a Ferrari (e seu Kers).
 
Até as 6h. Vou tirar um cochilo.

Escrito por Fábio Seixas às 04h07

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bê-á-bá

Sugeri outro dia ao Marcos Smirkoff, o artista de plantão deste blog, que fizesse algo sobre os difusores da Brawn.
 
Como ele não é de afinar diante de desafios, aqui está...

Primeiro, a imagem do difusor "padrão", no caso baseado no da Ferrari. É reto na parte superior _seguindo ao pé da letra o regulamento que estipula uma altura máxima para o difusor_ e só tem divisões verticais, que podem ser quantas os projetistas quiserem.

O difusor padrão da F-1, por Marcos Smirkoff

Agora, o difusor da Brawn. Existem fendas verticais (indicadas pelas setas) por onde parte do ar que vem da frente do assoalho entra e é forçado no túnel formado pelo V do difusor. A parte de baixo desse V funciona assim como uma pequena asa, ampliando o efeito da parede superior do difusor.

O difusor da Brawn, por Marcos Smirkoff

A borda superior do difusor na altura do V também não é alinhada com o limite do carro como no difusor "padrão" _termina um pouco antes, onde a peça pode ser mais alta. E note como a estrutura deformável que cobre a parte traseira da caixa de câmbio é curvada para cima, participando da orientação do fluxo de ar. Ferrari, McLaren e Renault adotaram estruturas retas nessa região, independentes do difusor.

Brawn e Toyota adotaram idéias bem simples se comparados com a Williams, que criou um difusor "triplano" no mesmo espaço.
 
Ao Marcos, mais uma vez, um enorme obrigado. 

Escrito por Fábio Seixas às 18h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ânimo zero

Sexta-feira agora é dia de sessão de autógrafos na F-1.
 
Sessão obrigatória, algo bem claro nas expressões de Sutil e Fisichella...
 
Sutil e Fisichella dão autógrafos em Sepang (Sutton/Force India)

Escrito por Fábio Seixas às 10h41

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Quatro pílulas

Barrichello teve de trocar o câmbio, e com isso perderá cinco posições no grid. Ou seja, na melhor das hipóteses largará em quinto _isso se Vettel, que também tem punição a cumprir, andar bem na classificação. Não significa que sua corrida está sepultada _em Melbourne, fechou a primeira volta em sétimo_, mas, talvez, que sua torcida por chuva agora fique mais intensa;
 
Hamilton convocou os jornalistas para um desabafo depois dos treinos e, quase às lágrimas, disse ter sido induzido por Dave Ryan a mentir para os comissários na Austrália. "Eu não sou mentiroso", disse. O dirigente foi suspenso pela equipe;
 
Alguém aqui já teve otite? Sendo bem franco, é uma aporrinhação, um tormento, um saco. Isso explica Alonso em 15º, a mais de dois décimos de Nelsinho;
 
A explicação de Kimi para a F60 é muito boa. "Temos é a certeza de que quando o carro anda sem problemas, somos competitivos." Ou seja, quando não quebra, o carro é bom. Ah, sim: ele disse que a fumaça do treino da manhã aconteceu por uma falha no Kers. Xiiii...

Escrito por Fábio Seixas às 08h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sepang, 2º treino livre

Raikkonen e Massa. Não, você não entrou na página errada, não está lendo nenhum texto antigo, não está sonhando.

 

Dobradinha da Ferrari no segundo treino livre em Sepang.

 

O tempo do finlandês, vencedor na Malásia no ano passado, 1min35s707, o melhor até agora. O brasileiro, que liderou a sessão até 15 minutos para o fim, ficou a 0s125.

 

Vettel foi o terceiro, seguido por Rosberg, Webber e Barrichello. Completaram o top 10 Button, Nakajima, Kovalainen e Nelsinho. Hamilton foi o 11º, e Alonso ficou em 12º.

 

Se o primeiro treino teve poucos sustos _Raikkonen e Nelsinho foram os piores_, o segundo foi mais, digamos, emocionante. Glock, Bourdais, Barrichello e Vettel deram belos passeios pela grama. Fisichella, candidatíssimo ao troféu Coulthard de 2009, bateu.

 

O que o segundo treino quis dizer?

 

Que a Ferrari, como Barrichello já havia alertado durante a semana, estará melhor mesmo. Mas ainda é difícil dizer se terá carro para ganhar _a Brawn, que ainda tem um check list enorme à sua frente, claramente não foi para tempo nesta sessão.

 

A próxima madrugada será interessante...

Escrito por Fábio Seixas às 08h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sepang, 1º treino livre

Rosberg, Nakajima, Button, Barrichello, Massa, Raikkonen, Hamilton, Webber, Vettel e Glock.

 

Os dez primeiros na primeira sessão em Sepang.


Dois Williams, dois Brawn, duas Ferrari, uma McLaren, dois Red Bull e um Toyota _dois, porque Trulli foi o 11º.

 

Quando equipes andam assim, aos pares, é porque o carro fala mais alto. No caso, os bons carros, os difusores, a criatividade, que seja _e Kovalainen não fez companhia ao inglês simplesmente porque não deveria estar lá, como nunca está.

 

De certa forma, foi um replay de Melbourne, com a Williams dominando o começo das atividades. O tempo do alemão, 1min36s260. A vantagem para o japonês, 0s045.

 

De novidade, talvez, a Ferrari um pouco melhor.

 

Mesmo assim, em termos. Porque Raikkonen deixou o treino no final, com fumaça saindo do cockpit e meio corpo pra fora, tentando voltar aos boxes.

 

Nelsinho foi o 14º, duas posições à frente de Alonso. Ambos com problemas. O brasileiro deixou o treino na brita, com um pneu estourado. O espanhol sofreu o tempo todo para segurar o carro, e escapou algumas vezes para a grama.

 

Enfim... As coisas não mudaram muito. Mas Ferrari e McLaren já não levaram a sova da semana passada.

 

O próximo treino começa às 3h. Até lá.

Escrito por Fábio Seixas às 00h41

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Barça

Por enquanto, nada de DTM.
 
Bruno vai disputar a etapa de abertura da Le Mans Series, em Barcelona, neste fim de semana. Será companheiro do monegasco Stéphane Ortelli.

O carro, um Courage-Oreca, o mesmo que testou no mês passado em Paul Ricard.

Escrito por Fábio Seixas às 15h18

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rapidinho

A foto é de hoje, em Sepang.
 
Para onde o Kimi ia com tanta pressa? Alguém tem algum palpite?
 
Raikkonen, no paddock de Sepang (Peter Steffen/Efe)

Escrito por Fábio Seixas às 14h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vozes de Sepang

Para Massa, a Brawn é 0s7 mais veloz que a Ferrari: "Espero que a Malásia seja melhor, para a gente. Não digo que não teremos uma Brawn na frente, mas acredito que nossa performance será melhor".
 
Barrichello falou da chuva: "Estou aqui desde terça e sempre chove no horário da corrida. O fator chuva sempre é bom, mas tem vezes que não funcionou. Com o carro bom, você espera correr em condições normais, mas a chuva é mais minha amiga".

E Nelsinho contou que cedeu o assento na classe executiva para o pai: "Quando ele vem, fico um pouco de pena dele. Ao mesmo tempo que ele quer ficar comigo, ele quer ficar na casa dele em Brasília. Não é fácil, na idade dele, essa vida de hotel, para cima e para baixo".
 
As entrevistas dos três pilotos aos jornalistas brasileiros em Sepang, com áudio, estão no Tazio.

A Brawn posa para foto no pit lane de Sepang (Jens Buettner/Efe)

Escrito por Fábio Seixas às 14h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nuvens no horizonte

"Vai chover?", pergunto.
 
"Hoje caiu o mundo aqui", conta Tatiana Cunha, repórter da Folha, em Sepang.
 
Bom, segue o que diz o Weather Channel...
 
 
Deve chover em algum momento. O problema é saber quando. E lá, quando chove, realmente cai o mundo... 

Escrito por Fábio Seixas às 13h07

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sai Hamilton, volta Trulli

Desclassificaram Hamilton, Trulli é de novo o terceiro colocado na Austrália.
 
A FIA acusa a McLaren de mentir na audiência pós-GP.
 
"Hamilton e o chefe de equipe, David Ryan, foram questionados especificamente se houve alguma instrução para que o piloto deixasse Trulli passar. Ambos afirmaram que não. O diretor de prova perguntou especificamente para Hamilton se ele conscientemente deixou Trulli fazer a ultrapassagem. Hamilton insistiu que não", diz a nota.
 
A FIA, porém, foi ouvir as entrevistas de Hamilton após o GP e a comunicação de rádio entre ele e a equipe no momento da confusão _o comunicado da nova punição, uma novidade, traz dois áudios.
 
Até aí, a FIA descobriu o que todo mundo já sabia: Hamilton deixou, sim, o italiano passar.
 
A questão, como coloquei ontem, é se houve má-fé da McLaren.
 
Lendo a transcrição, acho que não. Hamilton e a McLaren passam o diálogo inteiro tentando descobrir o que deveriam fazer.
 
A McLaren também diz que não. Já na Malásia, Whitmarsh afirmou que tentou "diversas vezes" solucionar a questão com os comissários, durante aquelas voltas, mas que eles não respondiam porque estavam muito ocupados. 
 
Isso também fica claro na transcrição. O "Charlie", a que a McLaren tanto se refere, é Charlie Whitting, diretor da FIA.
 
Qual teria sido a melhor saída, acho? Manter a terceira posição para Hamilton, mas deixar Trulli em quarto.
 
O que houve, na minha opinião? Ainda uma ressaca das rusgas entre a FIA e a McLaren em 2007 e 2008.
 
Com a nova decisão, o resultado da corrida ficou assim:

1°. Jenson Button (ING/Brawn), 1h34min15s784 ( 58 voltas )
2°. Rubens Barrichello (BRA/Brawn), a 0s807
3°. Jarno Trulli (ITA/Toyota), a 1s604
4°. Timo Glock (ALE/Toyota), a 4s435
5°. Fernando Alonso (ESP/Renault), a 4s879
6°. Nico Rosberg (ALE/Williams), a 5s722
7°. Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso), a 6s004
8°. Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), a 6s298
9°. Adrian Sutil (ALE/Force India), a 6s335
10°. Nick Heidfeld (ALE/BMW) a 7s085
11°. Giancarlo Fisichella (ITA/Force India), a 7s374
12°. Mark Webber (AUS/Red Bull), a 1 volta
13°. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), a 2 voltas
14°. Robert Kubica (POL/BMW), a 3 voltas
15°. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 3 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 10h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

Quase esqueci de postar aqui a programação do GP da Malásia. Ainda bem que ficou no quase.
 
Tanto o treino oficial como a largada serão às 6h. Qual será sua estratégia? Esticar a balada ou madrugar?
 
Enfim, seguem os horários...
 
Quinta-feira
23h-0h30: 1° treino livre

Sexta
3h-4h30: 2° treino livre
 
Sábado
3h-4h: 3° treino livre
6h-7h: classificação

Domingo
6h: largada, 56 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 22h06

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ainda Melbourne

Hamilton deve ser chamado pela FIA para explicar o que aconteceu no rolo que culminou com a punição a Trulli em Melbourne.
 
Isso, apesar de a Toyota já ter desistido do apelo.
 
Não vejo outra explicação a não ser esta: caiu a ficha em alguém da FIA de que há uma chance de prejudicar a McLaren.
 
Primeiro, porque o caso já estava encerrado até para a reclamante, a Toyota.

Segundo, porque ainda não entendi qual é a dúvida na manobra.
 
Trulli espalhou sob safety car? Espalhou. Hamilton não poderia frear o carro e esperar o cara voltar. Daí, para se prevenir de eventual sanção, escaldada que está, a McLaren mandou seu piloto devolver a posição. Ele obedeceu. Trulli voltou para terceiro.
 
Esperteza demais ou de menos, maquiavelismo da McLaren ou outro motivo qualquer, o italiano não poderia estar ali. Foi punido, portanto.
 
Simples assim.

Escrito por Fábio Seixas às 18h49

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dia da mentira

O 1º de abril sempre tenta aprontar com o automobilismo.
 
No ano passado, inventaram que Coulthard compraria uma equipe, a Red Bull se não me engano... Vários sites mundo afora, Brasil incluído, caíram.
 
Desta vez, aparentemente, a turma ficou mais esperta. Mas as tentativas aconteceram. Sempre com textos, digamos... marotos.
 
O F-1 Live noticiou que "logo após a meia-noite" _já no 1º de abril, portanto_, a Brawn anunciou a contratação de Hamilton. Há várias "declarações" de todos os envolvidos, sempre na linha mordaz do humor britânico.
 
Como uma de Dennis: "Nossa criança cresceu para ser campeã mundial várias vezes. E esse é um passo para cumprir o objetivo".
 
Outra: inventaram aqui no Brasil um blog-pirata da Brawn GP. O texto anunciava a substituição de Barrichello por Sato já a partir da Malásia.
 
Mais um: em seu preview de Sepang, a Toro Rosso anunciou que usará o Kers no fim de semana, mas com a função de resfriar os pilotos no cockpit. Foi a melhor de todas...

Escrito por Fábio Seixas às 18h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #92

O Pit Stop de hoje teve imagens de Melbourne, muita conversa sobre F-1 e Stock e um bate-papo com os internautas.

E, claro, os palpites para Sepang.
 
Lá vai...

Escrito por Fábio Seixas às 21h54

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Pit Stop com bate-papo

Hoje o dia vai ser aquele corre-corre.

 

Mas reencontro vocês no Pit Stop, às 14h30, com direito a bate-papo no UOL. A conversa sobre o GP da Austrália, sobre a chuva de capôs de Interlagos, sobre a vida, o universo e tudo mais vai acontecer no auditório virtual Williams Shakespeare.

 

Até lá.

Escrito por Fábio Seixas às 09h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O país da F-1

O Lincoln Guidolin lembrou da série "O país da F-1" quando passou diante deste estabelecimento, em Araraquara _alguém sabe do que se trata?

"Não resisti lembrei, do seu blog", escreveu o Lincoln.

O blogueiro, é claro, agradece...

Escrito por Fábio Seixas às 14h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na telona

O Beto Traballi escreve para me indicar esta notícia de cinema.

A Columbia vai produzir um filme sobre F-1, "The Limit", sobre a rivalidade entre Phil Hill e Wolfgang von Trips no Mundial de 1961.

Tobey Maguire, o Homem-Aranha, será um dos produtores e encarnará Hill _pelo menos é alguém com porte de piloto, não o Sylvester Stallone do horrível "Driven".
 
Mas por que o Mundial de 1961?
 
Em primeiro lugar, porque é uma história rica em tragédia e emoção. 
 
Companheiros de Ferrari, Hill e Von Trips chegaram a Monza, penúltima etapa do Mundial, com chance de fecharem o campeonato.  Na largada, porém, uma tragédia: o alemão bateu em Jim Clark e voou em direção ao público. Ele e mais 14 torcedores morreram.

Em segundo lugar, porque o campeão, afinal, foi um americano.
 
Enfim, vamos esperar. Já cansei de me decepcionar com incursões do cinema no mundo do esporte a motor.

Escrito por Fábio Seixas às 14h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

A F-1 voltou, e chegou a hora de reativar uma velha e boa seção do site.
 
Abaixo, a foto do fim de semana. O clique é de Jens Buettner, da Efe.
 

Polêmicas de regulamento à parte, só de ter conseguido colocar os carros na pista em Melbourne, ele já mereceria essa(s) golada(s)...

Escrito por Fábio Seixas às 13h26

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Pílulas do dia seguinte

Barrichello tocou num ponto importante após a corrida: o carro não é apenas rápido. É forte, é resistente. Disse, ainda, que correu com o difusor quebrado a prova toda. A Brawn sobrou em Melbourne. Mesmo que tivesse chegado em quarto, o brasileiro já teria feito uma bela prova de recuperação. Button, então, não foi incomodado. Como há apenas quatro dias de intervalo para os próximos treinos livres, Sepang deve ser a mesma coisa;

 

Mas nem tudo é cor-de-rosa no conto de fadas de Ross Brawn. A equipe anunciou hoje a demissão de 270 funcionários. Segundo o time, a medida faz parte da reestruturação da equipe, que tinha 700 pessoas e passará a contar com 430. Será que isso terá algum efeito prático, no médio prazo? A ver;

 

A previsão é de muita água em Sepang. A região está sendo afetada por fortes chuvas há alguns dias e, segundo a meteorologia local, a situação não deve mudar até o fim de semana;

 

E o Hamilton? Com tanta coisa para comentar, com o show histórico da Brawn, a lambança de Vettel e o fiasco da Ferrari, o desempenho do inglês em Melbourne ficou em segundo plano. Enfim, antes tarde do que nunca: que corridaça...;

 

“O prejuízo é grande. No ano passado, perder um ponto já prejudicava muito. Imagine agora como fica perder mais que isso." A mim, Massa pareceu mais desanimado que o normal após a corrida. Pudera: pior do que o desempenho na classificação, foi o ritmo da Ferrari na corrida. Para ouvir a entrevista dele pós-GP, vá ao Tazio.

Escrito por Fábio Seixas às 11h12

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Capôs voadores

Como fui dormir às 9h e inventaram de marcar a Stock para logo depois disso, não assisti à prova de Interlagos.
 
Ainda bem. Poupei meus nervos. Porque um problema estrutural do novo carro, aquele mesmo que praticamente não foi testado antes do começo da temporada, desclassificou o vencedor, Zonta. 
 
O problema: um capô que sai voando. Simples assim. Aliás, capôs, no plural. Vários deles. De repente, sem mais nem menos, saiam voando durante a prova.  Aconteceu com mais de dez carros, contam-me de Interlagos.
 
"Vários pilotos perderam os capôs por estarem colados no carro da frente. A turbulência gerada pelo carro da frente provoca a saída do capô. Tanto que o meu não apresenta nenhum arranhão. Ele quebrou nas presilhas", explicou Zonta.
 
Daí aparecem os comissários da CBA e culpam os pilotos.
 
Uma coisa é uma Sauber, como aconteceu em Interlagos anos atrás, desistir de correr um GP Brasil porque sua asa traseira voava em plena reta _na F-1, a equipe é a construtora do carro, e responde por ele. Outra coisa, é um carro fabricado por uma empresa contratada pela categoria e distribuído às equipes. A categoria, imagino, deveria assumir a responsabilidade.
 
Tsc, tsc.
 
Salustiano herdou a vitória, com Mauricio em segundo e Pizzonia em terceiro.

Escrito por Fábio Seixas às 20h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sai Trulli, entra Hamilton

Durante o último safety car, Trulli escapou para a grama, foi superado por Hamilton e ultrapassou o inglês para retomar a posição. Foi punido. Levou 25 segundos na cabeça, perdeu o terceiro lugar, caiu para 12º.

 

Hamilton é o novo terceiro colocado na corrida.

 

Vettel também não escapou dos comissários. Considerado culpado _justamente_  pelo quiprocó com Kubica, levou US$ 50 mil de multa e perderá dez posições no grid da Malásia.

Escrito por Fábio Seixas às 08h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Brawn, dobradinha histórica

História. A Brawn fez história hoje em Melbourne.

 

Desde 1954, com a Mercedes, uma equipe não fazia dobradinha seu GP de estreia na F-1.

 

O tabu chegou ao fim. Com soberania. Com propriedade.


Saindo da pole, o inglês e a Brawn não tiveram grande dificuldades para vencer. Barrichello teve uma corrida mais agitada e viu o segundo lugar cair no seu colo a três voltas do fim, com um acidente adolescente entre Vettel e Kubica. Trulli, que fez corrida mais agitada ainda, completou o pódio.

 

Ou seja, pódio para a turma do difusor.

 

Mas não basta apenas ter um bom carro, é preciso ter uma boa estratégia  _e a Brawn fez isso, guardando para o último trecho da corrida, o mais curto, os pneus supermacios que tanto se desgastavam.

 

Na largada, Button disparou na frente e Barrichello empacou. Largou mal, muito mal. Na luta para se recuperar, o brasileiro ainda se enroscou com Webber, causando um strike em quem vinha atrás. Heidfeld, Sutil e Kovalainen que o digam.

 

Massa fez valer o Kers e largou bem. Vettel avançou para a segunda posição e se manteve lá.

 

Os oito da ponta na primeira volta, Button, Vettel, Massa, Kubica, Raikkonen, Rosberg, Barrichello e Nakajima.

 

Com pouco mais de dez voltas, os pneus supermacios já estavam no bagaço. Ruim para Massa, Kubica, Hamilton e companhia, que tiveram de antecipar o primeiro pit.

 

O primeiro pit real foi o de Vettel, na 16ª volta. Se deu mal. Porque, duas depois, Nakajima aprontou: acertou o muro, exigindo safety car.

 

Antes, porém, com bandeira amarela mas sem o Mercedão na pista, Barrichello e Button fizeram seus pits. Não entendi a demora dos comissários. Era claro, desde a primeira imagem, que o safety car deveria ser liberado... Barbeiragem.

 

A relargada veio na 24ª volta. Com lambança de Nelsinho. Aparentemente ele se assustou com Rosberg, perdeu a traseira do carro na freada, rodou e voou para a caixa de brita.

 

A ordem após a relargada, Button, Vettel, Massa, Kubica e Raikkonen.

 

Logo depois, porém, Massa estranhamente fez seu segundo pit. Caiu pro fundão. Na 46ª volta, lento na pista, recolheu para os boxes.

 

Cena emblemática: Button e Massa entraram juntos nos boxes. O brasileiro da Ferrari, para abandonar. O inglês da Brawn, para fazer seu último pit e rumar para a história.

 

Barrichello, com uma estratégia de esticar ao máximo o segundo trecho de GP, se deu bem e alcançou a turma da frente. Era o terceiro quando, na 51ª volta, fez seu segundo pit. Voltou à pista em quinto _em seguida, passou Rosberg para alcançar a quarta posição.

 

À sua frente, Button, Vettel e Kubica.

 

Quando tudo levava a crer que a prova terminaria assim, Vettel e Kubica fizeram caca. O polonês tentou a ultrapassagem, abusou. Vettel se defendeu, abusou mais ainda. A meu ver, o alemão errou mais: Kubica já estava com o bico à frente quando teve a porta fechada.


Ambos bateram, carros destruídos. Barrichello agradeceu, o safety car foi para a pista.

 

História.  

Escrito por Fábio Seixas às 04h45

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

É, chegou a hora do último palpite.

 

Já que o fim de semana começou de forma histórica, que continue assim.

 

Dá dobradinha da Brawn, com Button e Barrichello. Massa completa o pódio.

 

E vocês, o que acham? Faltam 49 minutos para a largada, dá tempo para pensar bastante. Só não vale apostar depois do início do GP...

Escrito por Fábio Seixas às 02h13

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.