Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Colírio

Quer ver fotos sensacionais como esta, do Luca Bassani, direto de Mônaco?
 
Fiscal agita bandeira verde na passagem de Button (Luca Bassani/Tazio)
 
Dá um pulo no Tazio.

Escrito por Fábio Seixas às 14h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na balança

Saiu a lista dos pesos em Mônaco. E, pelo visto, a corrida não será decidida nos pits _a não ser, claro, que um acidente mude o cenário.
 
Da turma que larga na frente, está quase todo mundo na mesma estratégia, com pouquíssima diferença de gasolina.
 
O "quase" é por conta de Vettel, o mais leve do pelotão e que deve parar lá pela 15ª  volta. Button, Raikkonen e Barrichello devem fazer seus pits com intervalo de uma, no máximo duas voltas. Massa deve parar um pouquinho antes.
 
Falando do que já passou, aplausos para Button, que fez a pole mesmo carregando 3,5 kg a mais que o finlandês da Ferrari. Em relação ao companheiro, o pole tinha 0,5 kg a menos.
 
Lá vai a lista, com os dez primeiros do grid marcados com asteriscos.
 
Sebastian Vettel*: 631,5 kg
Nico Rosberg*: 642 kg
Felipe Massa*: 643,5 kg
Kimi Raikkonen*: 644 kg
Heikki Kovalainen*: 644 kg
Lewis Hamilton: 645,5 kg
Mark Webber*: 646,5 kg
Jenson Button*: 647,5 kg
Rubens Barrichello*: 648 kg
Fernando Alonso*: 654 kg
Kazuki Nakajima*: 668 kg
Sébastien Buemi: 670 kg
Adrian Sutil: 670 kg
Nelson Piquet: 673,1 kg
Nick Heidfeld: 680 kg
Jarno Trulli: 688,3 kg
Giancarlo Fisichella: 693 kg
Robert Kubica: 696 kg
Sébastien Bourdais: 699,5 kg
Timo Glock: 700,8 kg

E você? Como diria Silvio Luiz, o que só você viu?

Escrito por Fábio Seixas às 13h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na escola...

Na GP2, vitória de Maldonado, que tem um caso de amor com as ruas do principado. D'Ambrosio foi o segundo, com Hülkenberg completando o pódio.

Mas a corrida foi marcada por um acidente feio de Grosjean, resultado da deslealdade de um adversário, Zuber. O austríaco mudou duas vezes de trajetória e, no zague, mandou o francês pro muro. O carro chegou a ficar na vertical e arrasou a barreira de proteção na Tabacaria, forçando o fim prematuro da prova.

O fotógrafo Luca Bassani, do Tazio, fez boas imagens do estrago.

Di Grassi foi o quarto. Razia, décimo. Nunes fechou em 14º. Valério abandonou.

No campeonato, Grosjean é o líder, com 31 pontos. Petrov e D'Ambrosio têm 18. O melhor brasileiro é Di Grassi, em oitavo, com oito pontos.

Escrito por Fábio Seixas às 13h27

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, plantão, correria, Gordini, coluna

Chance única. A abertura de um mundo bilionário para quem tem apenas milhões. Uma rápida janela de ascensão profissional. O bilhete dourado para a fábrica de chocolate.

Diante do limite imposto pelo regulamento, de 13 equipes no grid de 2010, e da profusão de pretensas candidatas às vagas, Campos achou melhor não bobear. Deixou a papelada pronta e enviou tudo para a FIA já nos primeiros minutos.

A coluna desta semana fala sobre a Campos, a primeira equipe a se inscrever para 2010. Pano de fundo para o imbróglio Fota x FIA.

O texto está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 13h13

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Button, do sumiço à pole

Quando a fase é boa, nada segura. Nem mesmo um histórico ruim na prova nem mesmo uma admitida dificuldade naquele tipo de circuito nem mesmo um companheiro mordido, prometendo vitória para calar os críticos.

Button esteve discreto durante todas as sessões em Mônaco. Só apareceu nos últimos instantes do último bloco do treino classificatório. Para ele, foi o suficiente.

 

Líder do Mundial, o inglês cravou a pole position para a corrida no principado, sua sétima pole na carreira, a quarta em seis GPs no ano. Sensacional.

 

Mônaco teve um sábado esplendoroso, céu azul, 24ºC no ar, 43º no asfalto.

 

No terceiro treino livre, deu Alonso, seguido por Button, Kovalainen, Barrichello, Massa, Raikkonen e Hamilton.

 

No treino oficial, a coisa foi bem diferente.

 

A começar pelo que houve com Hamilton. O inglês rodou na Mirabeau faltando oito minutos para o fim do Q1, bateu no guard rail, arrebentou a suspensão, interrompeu o treino, ficou de fora da disputa, claro.

 

O mais rápido foi Rosberg, 1min15s094, com Button em segundo, a 0s116. A seguir, Webber, Massa e Barrichello. Nelsinho passou, em 12º.

 

Além do atual campeão mundial e atual vencedor do GP monegasco, foram cortados Heidfeld, Kubica, Trulli e Glock. No caso das Toyota, culpa dos pilotos, que cometeram erros. No caso das BMW, a culpa é do carro, que não anda mesmo, uma porcaria em azul e branco.

 

No Q2, Raikkonen voou: 1min14s514. Kovalainen foi o segundo, a 0s295, seguido por Webber e Barrichello. Fechando a turma da luta pela pole, Rosberg, Vettel, Massa, Button, Alonso e Nakajima.

 

Ficaram na degola Buemi, Nelsinho, Fisichella, Bourdais e Sutil.

 

E veio o Q3, a hora da verdade.

 

Na primeira rodada de voltas rápidas, deu Vettel, com 1min15s395, com Rosberg, Barrichello e Massa logo atrás. Então, aquela coisa de sempre: todo mundo nos boxes, troca de pneus, última chance.

 

E Button esbanjou categoria. Desaparecido até então, cravou 1min14s902 e cravou a pole position: 1min14s902. Raikkonen foi o segundo, a 0s025. Barrichello larga em terceiro, com Vettel ao seu lado. Massa sai em quinto.

 

Agora, desde já, a preocupação do inglês tem de ser segurar Raikkonen e seu Kers até a Sainte-Dévote. Se conseguir, terá meia vitória em mãos. E, se vencer, igualará Schumacher, Fangio, Clark, Mansell e Stewart, com o início mais arrasador de uma temporada.

 

Button, o pole, comemora a pole com Barrichello, terceiro no grid (Pascal Guyot/France Presse)

 

Button, quem diria, já parte para os recordes. Porque o título mundial cada vez mais parece favas contadas...

Escrito por Fábio Seixas às 10h18

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cada um com sua causa

Recebo comunicado e fotos da assessoria de imprensa do piloto Alberto Valério.

 

"O piloto Alberto Valério da categoria GP2 de automobilismo, imediatamente abaixo da Fórmula 1, adotou a candidatura da cidade do Rio de Janeiro à sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Numa atitude patriótica, disponibilizou em seu carro espaços para exposição da logomarca 'Rio-2016 Cidade Candidata'.

 

'É uma causa de toda a nação brasileira!', resume Betinho, expressando o sentimento de todo o Brasil."

 

Alberto Valério, em Mônaco (Luca Bassani/Divulgação)

 

Não, Betinho, não sei quem te disse isso, mas não é uma causa de toda a nação. Não é minha causa, por "n" motivos. E me admira que seja causa de um piloto depois que destruíram Jacarepaguá para construir arenas fantasmas.

Escrito por Fábio Seixas às 19h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ficou para depois

Nada será definido hoje.
 
A reunião com Mosley acabou. Na saída, Montezemolo disse que não chegaram a nenhuma conclusão, mas que espera uma solução para os próximos dias. Em Mônaco, a impressão geral é de que a negociação avançou.
 
E adorei essa foto abaixo. Merece até trilha sonora... "Eu vou, eu vou, falar com Max agora eu vou..."
 
Domenicali, Theissen e Whitmarsh deixam o iate de Briatore (Pascal Guyot/France Presse)

Escrito por Fábio Seixas às 15h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Greve geral

Depois de três horas de reunião, Williams, McLaren, Force India e Brawn se uniram a Ferrari, BMW, Toyota, Renault, Red Bull e Toro Rosso.
 
Ou seja, se o teto for mantido como está, nenhuma das dez se inscreverá no próximo Mundial.
 
Agora, os dirigentes estão reunidos com Mosley. A temperatura deve estar alta.

Escrito por Fábio Seixas às 14h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Piquenique

A foto abaixo pode ser histórica. O nome do barco é Force Blue, de propriedade de Briatore. E é lá que os chefes de equipes e Ecclestone conversam há algumas horas, buscando uma solução para o impasse do teto de custos.

Dirigentes da F-1 se reúnem no Force Blue (Max Rossi/Reuters)
Assim que o convescote acabar, eles caminharão até o Automóvel Clube de Mônaco, onde Mosley os espera.

Por aqui, também aguardamos...

Escrito por Fábio Seixas às 12h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na escola...

A Barwa Addax sobrou em Mônaco e fez dobradinha na primeira corrida da GP2.

 

A vitória foi de Grosjean, seguido por Petrov. Di Grassi foi o “best of the rest”, cruzou em terceiro, a 16s384 do russo, mas depois foi punido com outro sete pilotos que cortaram a primeira curva. Terminou em quarto.

 

Razia foi 13º. Nunes e Valério abandonaram.

 

A segunda corrida será amanhã, às 11h (de Brasília), com Sportv.

Escrito por Fábio Seixas às 09h51

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

É só o começo

A "Gazzetta dello Sport" traz hoje um bom artigo do amigo Pino Allievi, um dos mais importantes jornalistas da F-1, com valiosas fontes na Ferrari.
 
Pino classifica as ameaças de Ferrari, Renault, Toyota, BMW, Red Bull e Toro Rosso de "grande blefe". Mas um blefe que tem tudo para dar certo, diz.
 
"Imagine a reação dos promotores de GPs, dos patrocinadores, dos torcedores, de quem já gastou milhões de euros por direitos de TV quando, no dia 29, descobrirem que estarão inscritas no próximo Mundial apenas equipes modestíssimas, muitas que nunca construíram um carro de corrida?", escreve.
 
O resumo da ópera: aí é que começará o jogo, com a pressão dessa turma sobre Mosley e Ecclestone. Até agora, só vimos o aquecimento.

Escrito por Fábio Seixas às 12h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Procura-se

É engenheiro formado no máximo há dois anos ou estuda engenharia? Seu sonho é trabalhar na F-1?

Então leia isso aqui.

E me convide para uma Guinness em Enstone se tudo der certo.

Escrito por Fábio Seixas às 12h39

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mônaco, 1º e 2º treinos livres

Aniversariante no sábado, Barrichello teve um belo início de trabalho em Mônaco.

 

Numa linda quinta-feira na linda Monte Carlo, liderou o primeiro treino com facilidade e ficou em terceiro no segundo _ou na “segunda posição real”, já que Rosberg, o líder, não conta.

 

Na primeira sessão, a maioria dos pilotos preferiu rodar com os pneus macios. Barrichello liderou com autoridade, com 0s310 sobre Massa e 0s389 sobre Hamilton. Nelsinho foi 12º.

 

Na segunda, os supermacios foram a preferência. Os tempos despencaram, e Rosberg, o leão de treinos desta temporada, novamente liderou, com 1min15s243.

 

Para efeito de comparação, a pole position no ano passado ficou em 1min15s767. Ou seja, 0s524. O que não fazem os pneus slick numa pista que exige tanta tração...

 

Hamilton foi o segundo, a 0s202. Barrichello fechou a 0s347. Massa foi o quinto. Nelsinho, o décimo.

 

Já Button, companheiro de equipe de Barrichello, líder do campeonato e maior ameaça a um bom resultado no fim de semana, esteve apagado. Foi oitavo no primeiro treino, ficou em quarto no segundo. Em nenhum momento apareceu entre os ponteiros.

 

Pode ser coincidência, mas historicamente Mônaco não é dos melhores circuitos para o inglês. Sim, ele foi segundo colocado em 2004, com a BAR. Mas, nas outras sete visitas ao principado, não conseguiu pontuar.

 

Pode, também, ser aquele “conforto” de quem sabe que não precisa forçar logo de cara. Button fez o mesmo em Barcelona, e o resultado todos lembram.

 

A destacar o bom desempenho da McLaren. Mas acho que é mais braço do Hamilton do que melhora do carro.

 

Já a Red Bull não brilhou na estréia do difusor. No segundo treino, Vettel foi o sexto e Webber ficou com o 12º tempo.

 

A Ferrari parece ter dado um passo à frente. Mas um passinho pequeno, tímido, ainda insuficiente para lutar lá na frente.

 

No principado, talvez a grande adversária da Brawn seja a McLaren de Hamilton. Mas que a Brawn estará lá na frente, não tenha dúvida.

 

Barrichello, no segundo treino de hoje (Fred Dufour/France Presse)

Escrito por Fábio Seixas às 10h36

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Casa cheia

Pensando neste boom de "equipes" interessadas na F-1, fui pesquisar o GP com recorde de carros.
 
Aconteceu na Alemanha, em 1953: 34 pilotos largaram para a corrida, nos 22,810 km de Nurburgring, para a sétima etapa do Mundial.
 
Fangio lidera pelotão no GP da Alemanha de 1953 (Reprodução)
 
Desses, 16 cruzaram a linha de chegada. A vitória foi de Giuseppe Farina, de Ferrari, após 3h02min25s.
 
Conta rápida: 34 carros em 22,810 m, dá média de um carro a cada 670 metros de pista. Na Nurburgring de hoje, de 5,148 km, com o grid atual, o "tráfego" é de um carro a cada 257 m.
 
Ou seja, grid de 34, naquela época, não significava exatamente um problema. Hoje, seria impraticável. A FIA quer 13 times, 26 carros. Nessas pistinhas de agora, parece mesmo ser o limite...

Escrito por Fábio Seixas às 18h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

Quase fui traído pela programação do GP monegasco. Amanhã já tem treino.

 

Anote, memorize, imprima e pendure na geladeira:

 

Quinta-feira
5h-6h30: 1° Treino Livre
9h-10h30: 2° Treino Livre

Sábado
6h-7h: 3° Treino Livre
9h-10h: Classificação

Domingo
9h: Largada, 78 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 12h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Derrota ferrarista

A Ferrari perdeu a ação na Justiça francesa. O tribunal acatou as explicações da FIA, de que o direito ao veto nas mudanças do Regulamento Técnico não foi usado corretamente pela equipe.

 

Um lance importante, mas não decisivo. Quando esta novela terminar, o que vai demorar, este 20 de maio será lembrado apenas como mais um capítulo.

 

Derrotada na Justiça, a Ferrari ainda vai jogar muito no campo da política.

Escrito por Fábio Seixas às 09h34

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Balão de ensaio

Lola, USGPE, Prodrive, Formtech, iSport, Litespeed já haviam manifestado interesse em correr na F-1 em 2010 _a Lola, inclusive, anunciou oficialmente que se inscreverá no Mundial.

 

Mas tem mais. Segundo a “Autosport”, outras quatro equipes, a Wirth Research, do ex-dirigente Nick Wirth, as espanholas Epsilon Euskadi e Campos, e a RML, de Ray Mallock, têm planos de correr na categoria.

 

Se tudo isso vingasse, o grid da F-1 dobraria de tamanho, de 10 para 20 equipes.

 

Não vai acontecer.

 

Primeiro, porque o regulamento de 2010 estipula grid máximo de 13 equipes. Segundo, porque boa parte dessa turma “não tem ideia do que está falando”, segundo ouvi ontem de um piloto que tenta cavar uma vaga para o ano que vem e que já conversou com vários desses dirigentes.

 

Se o teto for mantido _e essa história vai rolar por um bom tempo, independentemente da decisão da Justiça francesa_, acho até que duas ou três equipes vão surgir. E Lola, iSport e USGPE parecem ser aquelas, hoje, com projetos mais sólidos.

 

Se o teto cair ou for elevado, no que acredito, acredito que não haverá novidades em 2010.

Escrito por Fábio Seixas às 09h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #99

No aquecimento para a centésima edição, o Pit Stop desta semana traz uma grande novidade.

Agora, o vídeo vem acompanhado de um menu, e você pode assistir ao programa em pílulas, vendo apenas aquilo que interessa ou que dá tempo naquele momento.

E, é claro, também é possível assistir ao programa na íntegra.

O de hoje está especialmente legal, com uma entrevista esclarecedora com Bruno Junqueira. O relato que ele faz da turma de mecânicos desempregados que montou seu carro na véspera do “Bump Day” é das coisas mais surpreendentes que ouvi no automobilismo nos últimos tempos.

O Pit Stop também falou de Stock, Moto e F-1, com direito aos palpites que faz a alegria de alguns de vocês.

Enquanto não encontro o código certo aqui, lá vai o link.

Escrito por Fábio Seixas às 20h12

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Pit Stop duplo

Hoje tem Pit Stop no UOL, a partir das 14h30.


Em pauta, as expectativas para duas das corridas com mais história no automobilismo: Mônaco e Indianápolis.

 

Para assistir ao vivo, clique aqui.

 

Para participar, o e-mail é uolnewsformula1@uol.com.br

Escrito por Fábio Seixas às 09h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rumo à Europa

A turma da F-3 sul-americana, que vem fazendo um trabalho bacana na reativação da categoria, marcou mais um belo gol.

Assinou contrato de três anos com a Red Bull que dará aos campeões e vices das categorias principal e Light testes com carros do Red Bull Junior Team, de campeonatos como a GP2 e a World Series.
 
Um belo incentivo, sem dúvida. E mais uma prova de que automobilismo bem feito é algo possível no Brasil, apesar dos maus exemplos deixados pela CBA nos últimos anos.

Escrito por Fábio Seixas às 14h27

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Despejado

Junqueira foi contrato pela Conquest na semana passada, pilotou o carro pela primeira vez no domingo e, mesmo assim, classificou-o em 30º lugar no grid das 500 Milhas.
 
Tagliani participou de todos os treinos pela equipe e, nos últimos instantes, perdeu a posição no grid.
 
A solução do chefe, o ex-piloto Eric Bachelart, provavelmente pressionado por patrocinadores: o brasileiro sai do carro 36, entra o canadense.

Em Indianápolis, a vaga no grid é do carro, não do piloto. No seu novo blog, Celso Miranda, que está lá, conta mais detalhes. 

Azar de Junqueira. Mas ficam aqui os meus (nossos?) parabéns.

Bruno é cumprimentado por Martine, mulher de Eric, antes de ser sacado do grid (Tom Strattman/Associated Press)

Escrito por Fábio Seixas às 13h48

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

Lorenzo, 22, se quebrou todo no ano passado, fez um fim de temporada apagada e iniciou 2009 precisando mostrar serviço já que seu contrato vence em dezembro.

Ontem, fez por merecer um crédito da Yamaha. E, mostrando que tem aprendido com Rossi, foi irreverente ao cruzar a linha de chegada.

Lorenzo celebra em Le Mans (Jean François Monier/France Presse)

A foto é de Jean François Monier, da agência France Presse.

Escrito por Fábio Seixas às 13h22

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Domingo no parque

Assisti à MotoGP, uma corrida impecável de Lorenzo, com Rossi irreconhecível.

Não vi a Stock nem a entrevista de Massa ao Galvão _o sol do parque me chamava. Quem viu? O que achou?

Escrito por Fábio Seixas às 09h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.