Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Sábado, frio, ponte aérea, coluna

À exceção do anúncio das três novatas, a lista de Mosley não passa de fantasia. É uma peça de cinismo porque, por trás da bandeira branca, há um pavio aceso levando a uma bomba colocada por ele no núcleo da associação das equipes.


Ao misturar num mesmo saco aliadas, rebeldes e novatas, Mosley busca criar um ruído, um estranhamento. Mas tem muito mais.

Ao dividir as equipes da Fota entre aquelas com asterisco (BMW, McLaren, Renault, Toyota e Brawn) e as sem asterisco (Ferrari, Toro Rosso e Red Bull), joga no ar uma enorme suspeita: estariam as três últimas traindo a associação, já mancomunadas com a FIA?

 

Este, um trecho da coluna deste sábado.

 

O texto completo está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 11h16

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

O país da F-1

O Eduardo Macedo, de São Paulo, mandou mais uma valorosa contribuição para a seção...
 
"Trabalho em Diadema e perto do escritório tem um auto-peças que vai resolver qualquer problema de confiabilidade da Ferrari. Se alguma peça do Felipe quebrar, acho que ele devia mandar buscar ali. Fornecedor melhor, não há."
 

Sensacional! Conheço gente em Maranello que vai ter ataque cardíaco se descobrir isso.

Ao Eduardo, um grande abraço.

Escrito por Fábio Seixas às 17h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

¿Por qué no te callas?

"Não pude me conter com esta novela que se tornou a F-1. Não irei suportar ver a F-1 sem os grandes nomes de pilotos e marcas (...) Acho que a charge que montei mostra bem o descaso dos dirigentes. Poder e dinheiro demais na mão de uma única pessoa!", escreveu o Guilherme, de Curitiba.
 
Lá vai...
 

Escrito por Fábio Seixas às 17h18

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Fim da novela. Ou não

Scuderia Ferrari Marlboro
Scuderia Toro Rosso

Red Bull Racing
At&T Williams

Force India F1 Team
Campos Grand Prix
Manor Grand Prix
Team US F1
Vodafone McLaren Mercedes*
BMW Sauber F1 Team*

Renault F1 Team*
Panasonic Toyota Racing*
Brawn GP Formula One Team*

 

Esta, a lista de equipes divulgada hoje pela FIA. São as 13 inscritas no Mundial de 2010.

 

As cinco últimas, com asteriscos, ainda precisando esclarecer as condições de suas inscrições.

 

E, você já percebeu, Campos, Manor e US F1 são as três novatas eleitas.

 

Sobre a Manor, ninguém sabia que estava no páreo. A FIA, aliás, diz que 15 novos times tentavam as três vagas. Eu imaginava que a Prodrive estaria na lista. E se não está, imagino que seja porque Richards não achou prudente dar um passo maior que as pernas _não seria a primeira vez que ele adota a prudência como lema.

 

Em comum, as três novatas são de gente que realmente conhece o meio. A Campos é de Adrián Campos, ex-piloto de F-1, dono de equipes em categorias de base, um dos responsáveis pelo surgimento de Alonso. A Manor vem da F-3 e da F-Renault e já teve Raikkonen, Hamilton, Pizzonia e Di Grassi, entre outros. E a US F1 é dirigida por Peter Windsor, ex-Williams e Ferrari, e Ken Anderson, ex-diretor técnico da Ligier.

 

Aventureiros? Sim. Mas no bom sentido.

 

Fim da novela? Ainda não. A Fota já anunciou que fará várias reuniões na próxima semana e pediu que o Conselho Mundial intervenha para ajudar num acordo que garanta um “governo bilateral” do esporte entre FIA e equipes.

 

Afinal, e o teto de custos? Como ficou? A FIA, hoje, não tocou no assunto...

Escrito por Fábio Seixas às 11h06

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pole da Peugeot

Em Le Mans, Sarrazin e a Peugeot conquistaram a terceira pole consecutiva. O tempo, 3min22s888, apenas quatro segundos mais lento que a marca do ano passado _uma façanha diante do regulamento que reduziu a potência em estimados 10%.

 

Seus companheiros neste ano serão Bourdais, o próprio, e Montagny.

O Peugeot do trio pole position em ação em Le Mans (Jean François Monier/France Presse)

À Audi, por ora, restou a segunda colocação. O melhor carro da montadora alemã foi o do trio McNish-Kristensen-Capello, com o tempo do primeiro treino: 3min23s650.

 

Por ora, repito: basta ver o que eles fizeram nos últimos anos. Podem até não ganhar, claro. Hegemonias existem para ser quebradas. Mas é óbvio que vão dar trabalho.

 

Em terceiro, quarto e quinto, mais Peugeot. Em sexto e sétimo, mais dois Audi.

 

O primeiro carro, digamos, "normal" no grid é o Lola-Aston Martin de Charouz-Enge-Mucke.

 

Senna larga em 15º. Seus companheiros são o monegasco Stephane Ortelli e o português Tiago Monteiro.

 

Há mais brasileiros em outras categorias. Erdos sai em 24º na geral e em quarto na LMP2. Melo sai em 40º na geral e terceiro na LMGT2.

 

Ah, sim: boa parte da prova será transmitida por aqui.

 

O Speed Channel (canal 97 da NET) abrirá a transmissão 30 minutos antes da largada e intercalará a transmissão da prova de pista com os compactos das etapas da Le Mans Series em Barcelona e Spa.

 

Para acompanhar a categoria, ao vivo e nos compactos, a programação é essa, no horário de Brasília:

 

Sábado

24 Horas de Le Mans (vivo), 9h30-13h
6 Horas da Catalunha (compacto), 15h30-16h30
6 Horas de Spa (compacto), 16h30-17h30
24 Horas de Le Mans (vivo), 17h30-21h30

Domingo
24 Horas de Le Mans (vivo), 5h30-10h30

Escrito por Fábio Seixas às 19h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Maratona à vista

Chegou a hora de Le Mans.

O grid para a corrida do final de semana sai hoje, após o segundo treino oficial.
 
O primeiro acabou de acabar: McNish na ponta, com o Audi R15 TDI. Ele estava em segundo até o finalzinho da sessão, quando entrou nos boxes, colocou pneus novos e foi para uma única tentativa de volta voadora. Deu certo.
 
O octocampeão Kristensen, que divide carro com McNish, em treino livre na quarta-feira (Jean François Monier/France Presse)
 
Desbancado pelo escocês, o Peugeot 908 HDi FAP dirigido por Montagny. Boullion, com outro Peugeot, conquistou o terceiro tempo, seguido pelo Audi de Rockenfeller.
 
O carro de Bruno Senna, um protótipo Oreca 01-AIM, ficou na 14ª colocação, a 10s058 do melhor tempo.
 
De 2000 para cá, a marca alemã só não venceu em 2003, quando a Bentley levou. Para este ano, a própria Peugeot já começa a reconhecer que será difícil quebrar essa hegemonia.
 
O segundo e decisivo treino oficial começou às 17h (horário de Brasil) e vai durar duas horas.
 
A largada será no sábado, às 10h.

Escrito por Fábio Seixas às 17h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A ameaça de Bernie

Ecclestone, que andava estranhamente calado, decidiu falar.
 
Em entrevista ao "Daily Express", fez uma advertência àqueles que cruzarem seu caminho.
 
"Se as equipes quiserem fazer seu próprio campeonato, e não acho que sejam capazes disso, encontrarão vários problemas pela frente. Se elas buscarem pessoas com quem mantenho contrato, empresas, emissoras de TV, tomaremos medidas sérias. Isso seria indução a quebra de contrato. Eu não faço isso, então não vou deixar que algo assim aconteça. Qualquer ação como essa implicará centenas de milhões de libras", disse.
 
Em resumo: se as equipes quiserem organizar um campeonato paralelo, tudo bem, mas terão de começar tudo do zero, sem promotores, emissoras de TV ou patrocinadores que hoje estejam ligados à FOM.
 
Ecclestone é negociante à moda antiga. Sei, por ouvir de pessoas próximas a ele, que muitas vezes acerta negócios milionários na base do "fio do bigode". Se a Fota atravessar um dos seus negócios, mesmo que para fazer cortina de fumaça, aí sim as ameaças dos dois lados podem tornar rumos mais drásticos.
 
Quanto a Mosley, continuo com minha opinião: Fota e FIA vão levar a queda-de-braço até o limite para conseguir pedacinhos do que querem.
 
E então servirão a pizza.

Escrito por Fábio Seixas às 16h13

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A F-1 de Mosley

O site Pitpass decidiu ser engraçadinho hoje.
 
Publicou uma nota com o título: "Exclusivo: As primeiras fotos do carro de F-1 sob o teto de custos".
 
O link é este.

Escrito por Fábio Seixas às 15h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #102

Segue o Pit Stop de hoje, que conversou com Leonardo Cordeiro, que revisitou a única vitória de Alesi na F-1, que falou da Turquia e do Texas, que interagiu com os internautas.

Lá vai...

Escrito por Fábio Seixas às 19h02

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Mais um Pit Stop

Correndo.

 

Mas espero vocês no Pit Stop, às 15h, ao vivo, aqui.

 

Até lá.

Escrito por Fábio Seixas às 10h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agora é sua vez

A partir desta semana, você pode participar do Pit Stop mandando sua pergunta ou seu comentário em vídeo.
 
Como? O UOL preparou um tutorial bem didático. Em vídeo, claro. Lá vai...

A estreia é amanhã, terça-feira. Seria legal conhecer um pouco mais sobre vocês, que tanto agitam o programa e que já são de casa.
 
Para os tímidos, o canal de e-mail continua: uolnewsformula1@uol.com.br
 
O programa desta semana, aliás, terá a participação de Leonardo Cordeiro, que venceu de ponta a ponta a segunda prova da rodada de abertura da F-3, no fim de semana.

E, claro, terá imagens da F-1, da Indy, a já festejada seção Naftalina y otras cositas más.

Escrito por Fábio Seixas às 18h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais um passo

Mosley mandou uma carta para a Fota dizendo que se todas as equipes confirmarem as inscrições para 2010, a mudança no regulamento será mais fácil.
 
Para isso, evoca a lógica do artigo 66 do Código Esportivo Internacional. Uma vez inscritas, as equipes podem mudar o que quiserem, desde que sejam propostas unânimes.
 
Aí é que mora o busílis.
 
Em tese, Lola, Prodrive, USF1 e as outras sete candidatas-novatas não têm motivo nenhum para concordar com o aumento do teto de custos. Teria de haver uma contrapartida por parte dos times da associação: cessão de equipamentos, de tecnologia ou de bufunfa mesmo.
 
A bola agora está com a Fota.
 
Pode ser esta a solução. Pode ser outra qualquer. A única certeza deste blogueiro é que Ferrari, McLaren e companhia estarão no grid de Melbourne, na abertura da F-1 em 2010.

Escrito por Fábio Seixas às 17h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

Precisa explicar?

Ross Brawn, em Istambul (Luca Bruno/Associated Press)

O clique é de Luca Bruno, da Associated Press.

Escrito por Fábio Seixas às 12h19

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Pílulas do dia seguinte

Barrichello deu longa entrevista aos jornalistas brasileiros em Istambul. O áudio está no Tazio, vale a pena ouvir. Separei alguns trechos;

 

Sobre o problema na largada: “"Estava muito confiante de que passaria o Button na largada, só que quando soltei a embreagem [o carro] não andou, e aí quando joguei a outra embreagem, entrou em ponto morto. Ppara me recuperar disso tive que abrir a embreagem, saí patinando, e deu aquele chamado 'overtork', que foi o que me parou no final da corrida, porque a temperatura do câmbio estava muito alta e eles estavam com medo que o câmbio travasse";

 

Sobre a pecha de azarado: “Azarado eu não sou. Não dá para considerar azarado um cara que corre [na F-1] há 17 anos, que depois de tanto tempo com um carro ruim volta a ter um carro bom. Eu acho que a minha vida é cheia de provas e testes, essa minha guerra para que eu possa ser campeão é um incentivo pra muita gente no Brasil, uma pessoa quase esquecida de repente em um carro competitivo com chances de ganhar, então não dá para pensar em azar. Tem coisas que acontecem, tem coisas que são falhas humanas. Posso dizer claramente que não ganhei a corrida no Brasil em 2003 por falha humana, porque esqueceram de colocar gasolina no carro, mas hoje infelizmente não foi uma falha minha. Eu sou o primeiro a dizer quando erro. Hoje eu soltei a embreagem, o carro não andou e tocando no limitador durante a reta, não tive o que fazer, tive que arriscar. É uma pena que tenha acontecido no meu carro";

 

Ok, pode ser, falhas mecânicas acontecem. Mas ele teve problemas também na relação de marchas. A sétima estava muito curta. E isso é escolha do piloto junto com os engenheiros. Aliás, sejamos justos, ele admitiu esse erro: “Para piorar a questão de hoje, erramos muito feio na sétima marcha, que era muito curta, e eu tocava o limitador por oito segundos por volta; eu não ia conseguir passar ninguém”;

 

O que concluir disso tudo? Que correr em 2009, por enquanto, vem sendo um desastre para a imagem do brasileiro;

 

Uma constante nos relatos da imprensa de todo o mundo: a baixa presença de público em Istambul. O traçado é ótimo, o autódromo é de primeira linha, mas o povo não é apaixonado pelo esporte. E, em tempos de crise, há outras prioridades. Só Ecclestone não vê isso;

 

Segundo Massa, o carro da Ferrari “andou um pouco para trás” na Turquia, e entender o motivo disso será fundamental para tentar alguma coisa em Silverstone. Fato é que, tirando lampejos de uma equipe aqui, outra ali, apenas a Red Bull consegue pressionar a Brawn. E olhe lá...

Escrito por Fábio Seixas às 10h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Foi o câmbio

“Foi um dia difícil e imensamente frustrante para mim. Na largada, tive um problema na embreagem, que acionou o sistema que impede o motor de morrer, e então não consegui sair. Isso me jogou para o fundo do pelotão e complicou ainda mais as coisas: estava atingindo o limite de giros na reta, o que significava que eu não podia fazer ultrapassagens ou assumir riscos. Foi uma primeira metade de corrida complicada, já que ao tentar me recuperar, tive dois incidentes com outros carros. Estava preparado para ganhar posições, mas a falha na caixa de câmbio começou a piorar e tive que abandonar. É difícil ter um dia como esse sabendo que o carro tinha um ritmo fantástico e que a recuperação era possível. Silverstone é um dos meus circuitos favoritos, então vou manter o otimismo e pensar no GP de daqui a duas semanas.”

 

Barrichello, no comunicado divulgado há instantes pela Brawn.

Escrito por Fábio Seixas às 13h41

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Button, mais uma pra conta

Não foi tão chato como Mônaco nem tão legal como o Bahrein.

O GP da Turquia começou bem, com movimentações na ponta. Mas ficou por isso mesmo.

O resultado? Oh, que surpresa. Vitória de Button, a sexta em sete corridas no ano. Webber foi o segundo colocado, seguido por Vettel.

Entre os brasileiros, o melhor foi Massa, em sexto.

Na largada, Vettel manteve a ponta, com Button na cola.

Barrichello sumiu, ninguém sabe, ninguém viu. Quando reapareceu, era o 13º colocado. O replay mostrou o carro saindo lentamente do grid, aparentemente com algum problema de câmbio ou erro no engate da marcha ou tudo ao mesmo tempo. E assim mais um discurso otimista e mais um promessa de virada foram pro espaço.

 

Mas era só o começo de um dia difícil para ele.

Enquanto Barrichello lutava contra Glock, Button assumia a ponta do GP. Vettel errou na curva 9, foi duas vezes para a grama, e o inglês não bobeou. Fechou a primeira volta na liderança.

A turma dos pontos, Button, Vettel, Webber, Trulli, Rosberg, Massa, Alonso e Kubica.

Barrichello?  Rodou após um toque com Kovalainen no duelo pelo 11º lugar, ainda na nona volta. Foi parar em 16º, atrás de Nelsinho.

Na décima volta, Button já tinha 4s2 sobre Vettel, que abria 5s sobre Webber. Na sequência, os mesmos: Trulli, Rosberg, Massa, Alonso e Kubica.

Barrichello? Na 12ª volta, arrebentou a asa dianteira num toque com Sutil, lutando para ser 14º. Na volta seguinte, teve de parar para trocar o bico e antecipou, assim, seu pit.

Logo depois, começou a primeira rodada de visita aos boxes. Alonso e Vettel pararam na 15ª volta _o alemão, por apenas 6s5, indicando que iria para três pits. Na 17ª, Trulli entrou. Na 18ª, Button e Massa. Na 19ª, Webber e Rosberg. Na 20ª, Kubica. E então a ordem foi reestabelecida.

Na 21ª volta, Button tinha 1s6 sobre Vettel, mais leve e voando na pista. Webber estava 10s7 atrás do companheiro.

Barrichello? Sofria no 19º e último lugar, atrás de Bourdais.

Lá na frente, Vettel lutava para tentar superar Button, manobra vital para que sua estratégia funcionasse. Não conseguiu, e na 29ª volta entrou para um segundo pit: 8s6 de gasolina. Voltou em terceiro, a 7s4 de Webber, que estava 16s3 atrás do inglês.

Nelsinho fez uma belíssima ultrapassagem sobre Hamilton, por fora, na 34ª volta.

Barrichello? Na 40ª volta, fez seu segundo pit, colocou pneus macios, voltou em 17º.

Na mesma volta, Alonso, de novo, abriu a janela de paradas para a turma da ponta.

Na 41ª, Rosberg entrou. Na 43ª, Massa parou. Na 44ª, Button, Webber e Trulli.

Faltava Vettel, com seu terceiro pit. Que veio na 48ª volta. Voltou em terceiro, atrás de Webber. Fatura encerrada.

Barrichello? Na mesma volta, recolheu o carro nos boxes. Com a cara fechada, como era de se imaginar.

Massa terminou em sexto, fazendo o que dava. Largou em sétimo, ganhou as posições de Raikkonen e Barrichello, perdeu uma para Rosberg, terminou em sexto. Nelsinho teve aquele momento de brilho, mas ficou nisso. Terminou em 16º, antepenúltimo entre aqueles que cruzaram a linha de chegada.

No Mundial de Pilotos, Button tem agora 61 pontos, contra 35 de Barrichello. Matematicamente, o inglês passa a ser o único a depender apenas de seus resultados para ser campeão. O brasileiro não garantiria o título nem se vencesse todas daqui pra frente _Button leva o Mundial se chegar sempre em segundo. Vettel tem 29. Webber, 27,5

Acabou.

Escrito por Fábio Seixas às 10h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Chegou a hora do palpite para a corrida.

 

Dá Button, seguido por Barrichello e Webber.

 

Você tem meia hora para apostar...

Escrito por Fábio Seixas às 08h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vitórias na madrugada

O domingo começou com duas belas vitórias brasileiras.

 

No comecinho da madrugada, Castro Neves levou em Fort Worth. Assumiu a ponta na última bandeira amarela, segurou Briscoe e já está em quarto no campeonato, a 13 pontos de Briscoe.

 

No finzinho da madrugada, Di Grassi levou de ponta a ponta em Istambul, sua primeira vitória na temporada. É agora o sexto colocado no campeonato, com 16 pontos. Petrov, o líder, tem 33.

Escrito por Fábio Seixas às 08h22

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.