Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Na balança

Correndo, mas deixo aqui a lista dos pesos:

 

Jenson Button (ING/Brawn), 644 kg
Rubens Barrichello (BRA/Brawn), 647
Lewis Hamilton (ING/McLaren), 654,5
Mark Webber (AUS/Red Bull), 661
Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 661
Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), 664
Felipe Massa (BRA/Ferrari), 673,5
Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), 674
Nelsinho Piquet (BRA/Renault), 676
Adrian Sutil (ALE/Force India), 678,5
Timo Glock (ALE/Toyota), 662,3
Giancarlo Fisichella (ITA/Force India), 662,5
Fernando Alonso (ESP/Renault), 668,2
Robert Kubica (POL/BMW), 673,5
Sébastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 674,5
Nick Heidfeld (ALE/BMW), 681
Kazuki Nakajima (JAP/Williams), 683,6
Jarno Trulli (ITA/Toyota), 683,7
Sébastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), 689,5
Nico Rosberg (ALE/WIlliams), 689,6

 

Button estava mais leve que Barrichello (que todo mundo, aliás), mas foi apenas o terceiro. Os tempos em que sobrava na pista parecem estar ficando pra trás;

 

Webber em compensação era o quarto mais pesado e cravou a pole.

 

Acho a lista importante para entender o que aconteceu, mas, desta vez, não para prever o que acontecerá. Pode chover de novo, afinal.

 

Demais considerações, com vocês.

Escrito por Fábio Seixas às 15h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mais alguns pitacos

Nelsinho, pela primeira vez no ano, ficou à frente de Alonso. Tem mais a ver com a oportunidade aproveitada naquele momento de chove-não-molha do Q2 do que propriamente com uma reação à pressão que vem sofrendo. Até porque, tudo indica, a vaca já corre para o brejo;

 

A Ferrari se atrapalhou com os pneus de Massa no Q2. Quase mandou o brasileiro à pista com compostos duros, o que dizimaria suas chances de avançar. E ainda ficam bravos quando dizemos que a bagunça por ali aumentou;

 

Levantamento bacana do Tazio: em toda a história da F-1, Webber é o piloto que mais demorou para conquistar a primeira pole, 130 GPs. Em seguida, aparecem Trulli (116), Boutsen (114) e Hakkinen (93);

 

Agora, é esperar a lista dos pesos.

Escrito por Fábio Seixas às 10h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, frio, chuva, festinha, coluna

Um trecho da coluna de hoje:

Nelsinho não sabe nome de curvas, não lembra ou não sabe fatos que já ocorreram ali, nas entrevistas mostra sempre ares de "tô nem aí". Na Austrália, ele não sabia explicar o funcionamento do Kers. No Bahrein, revelou detestar a primeira volta de um fim de semana porque precisa fazer um check-list com o engenheiro pelo rádio, pontuando por onde está passando. Em Silverstone, no sábado, juntou amigos e amigas em seu motorhome e produziu um churrasco com música alta e pebolim que invadiu a madrugada.

Para um piloto de F-1, é anormal. Por isso, sua condição de "piloto de F-1" talvez não dure muito mais, não passe deste final de semana.

O texto completo está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 10h45

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Webber, pole no 130º GP

Na 130ª corrida, enfim, a pole position.

 

Num treino emocionante, que teve uma chuva fina como protagonista, Webber conquistou a primeira posição no grid do GP da Alemanha, em Nurburgring.

 

É a primeira pole do australiano, na F-1 desde 2002.

 

Uma pole que teve um quê da força da Red Bull. Mas que teve também seu quê de loteria.

 

Até os últimos segundos da sessão classificatória, o dia foi imprevisível em Nurburgring. Na pista e no céu.

 

Pela manhã, no último treino livre, com pista seca, deu Hamilton de novo, seguido por Alonso, Massa, Vettel e Webber.

 

A sessão classificatória começou com 14ºC no ar, 22º na pista.

 

Nos primeiros minutos, tudo normal. Mas veio a chuva. Uma chuvinha, na verdade. Uma garoa fina, mas suficiente para molhar a pista.

 

E aí, quem tinha garantido tempo, se deu bem. Quem não tinha, dançou: Kubica, Buemi, Fisichella, Glock e Bourdais _deve ter sido a última vez que citei o francês num treino oficial da F-1. Nelsinho, outro seriamente ameaçado, ficou no limite da degola, em 15º.

 

O mais veloz foi Webber, com 1min31s257, seguido por Alonso, a 0s045. A seguir, Vettel, Hamilton, Barrichello, Button, Rosberg e Massa.

 

Os minutos entre o Q1 e o Q2 molharam ainda mais a pista. Os pilotos entraram com slicks, mas logo viram que não dava _Massa, com seu passeio pelo brita, que o diga.

 

Todo mundo então colocou intermediários. Mas, naquele chove-não-molha, veio a hora do não-molha. Logo se formou um trilho, e por alguns minutos a melhor opção foram os slicks.

 

Barrichello foi o responsável por mostrar o caminho. E a janela foi curta, porque logo voltou a chover.

 

De novo, quem aproveitou, celebrou. Quem conseguiu colocar slicks e aproveitar essa curta janela, passou para o Q3. Quem não conseguiu, dançou.

 

Barrichello foi o mais veloz, com 1min34s455. Nelsinho também foi esperto, aproveitou a janela, fez o segundo tempo, 1min35s737.

 

Ainda passaram Sutil, Webber, Button, Hamilton, Vettel, Kovalainen, Massa e Raikkonen.

 

Os degolados, Heidfeld, Alonso, Nakajima, Trulli e Rosberg.

 

E veio o Q3, com a pista novamente seca e todo mundo de pneus macios.

 

Na primeira rodada de voltas, Barrichello-Vettel-Webber.

 

Mas a pista foi secando, melhorando, e quando o cronômetro foi zerado, pelo menos cinco pilotos tinham reais chances de pole: Barrichello, Vettel, Webber, Button e Hamilton.

 

O australiano conseguiu extrair um algo mais da volta e fechou em primeiro, com 1min32s230. Barrichello cruzou logo depois, em segundo, a 0s127.

 

Button e Vettel formam a segunda fila. Depois, Hamilton, Kovalainen, Sutil, Massa, Raikkonen e Nelsinho.

 

A corrida será ilustrativa. Se tudo correr bem na largada, pela primeira vez Button poderá exigir sua prerrogativa de primeiro piloto.

 

Como a Brawn vai reagir? A ver.

 

Escrito por Fábio Seixas às 10h22

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nelsinho contra-ataca

Segundo a "Auto Motor und Sport", Nelsinho será dispensado da Renault após a corrida deste fim de semana.

Coincidência ou não, ele chutou o balde na entrevista aos jornalistas brasileiros.
 
Algumas frases:
 
"Esse papo sempre existe e chega na imprensa primeiro. É óbvio que o Flavio [Briatore] quer que as coisas melhorem, mas passar um terço do ano com um carro dois, três décimos mais lento dificulta."

"Não há nada que eu possa fazer. A maioria dos pilotos passa por essa pressão na maior parte da carreira. É preciso aprender a lidar com isso. É uma profissão muito pesada, em que é preciso colocar a cabeça no lugar nas horas certas."

"É um contrato complexo, muito dele combinado na boca. Prometeram dar as mesmas condições, mas já começou errado. Andei 2 mil km [nos testes] e Fernando, 4,5 mil. Tivemos problemas com 'updates', bobeirinhas, azares, e às vezes eles se esquecem dessas coisas."
 
A entrevista na íntegra e o áudio estão no Tazio.

Escrito por Fábio Seixas às 13h58

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nurburgring, 1º e 2º treinos livres

O primeiro dia de treinos para o GP da Alemanha foi didático, um painel claro das situações vividas pelas duas principais forças da F-1 nesta temporada.

Com frio, a Red Bull é imbatível _o carro trabalha melhor com os pneus em temperaturas um pouco mais baixas, vide a lavada que conseguiu em Silverstone.
 
Com tempo mais quente, a Brawn melhora abruptamente.
 
Em Nurburgring, nesta sexta, a temperatura não subiu o suficiente para que Button e Barrichello andassem na frente. Mas melhoraram à tarde, o que deve lhes dar alguma esperança.
 
Pela manhã, com 10ºC no ar e 14ºC na pista, Webber foi o mais rápido, com 1min33s08s, 0s381 melhor que Button, o segundo colocado.
 
Massa foi o terceiro, seguido por Trulli e Fisichella. Vettel foi o oitavo. Barrichello, o 12º. Nelsinho fechou em 15º.
 
À tarde, a temperatura subiu: 12ºC no ar e 21ºC no asfalto. Button chegou a andar em primeiro, mas foi superado por Vettel _por pouco, apenas 0s027.
 
Nos minutos finais, Hamilton superou todo mundo com 1min32s149, mas não sei até que ponto isso é realista _parece mais ser o Rosberg da vez. Vettel ficou em segundo, seguido pelo líder do Mundial.
 
Hamilton, em Nurburgring, nesta sexta (Gero Breloer/AP)
 
Barrichello, que em certo momento surgiu reclamando da aderência dos pneus pelo rádio, foi o sétimo. Nelsinhou terminou em décimo. Massa ficou em 12º.
 
Importante: para amanhã, às 14h locais, a meteorologia prevê 19ºC na região do autódromo. Vai esquentar, portanto. E é tudo o que a Brawn espera.

Escrito por Fábio Seixas às 10h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vozes de Nurburgring, quinta-feira

Barrichello: "Para alguém que tenha de buscar 23 pontos no campeonato, é melhor que haja outra equipe no meio. Mas fica mais difícil ganhar. Apesar disso, acho que, para roubar pontos do Button, é melhor ter outra equipe por perto".

 

Massa: "Não temo nenhum companheiro de equipe. Estou bem dentro da equipe, e a gente sabe que uma Ferrari sempre vai ter pilotos fortes. Eu tenho um companheiro forte (...) Já fez muita coisa para a F-1, já ganhou campeonato, e se vier um outro companheiro, tenho certeza de que será forte, também".

 

Nelsinho: "Na posição da Renault, precisamos de um piloto mais experiente. Não seria a melhor coisa do mundo perder o Alonso. Difícil dizer quem entraria no lugar dele. Para mim, está sendo ótimo tê-lo. É uma referência e tanto".

 

Para ouvir os três pilotos falando aos repórteres brasileiros em Nurburgring, hoje, faça uma visitinha ao Tazio.

Escrito por Fábio Seixas às 16h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Imagens do front

No índice das fotos enviadas hoje pelas agências internacionais, duas chamaram minha atenção...

Vettel, Glock, Heidfeld, Sutil e Rosberg (Roberto Pfeil/AP)

Lado a lado, na sala de imprensa de Nurburgring, Vettel, Glock, Heidfeld, Sutil e Rosberg. Pois é, 25% do grid nasceu na Alemanha. Ou mais: 30%, já que Nelsinho é de Heidelberg.
 
Meu ranking do melhor para o pior: Vettel, Rosberg, Glock, Sutil e Heidfeld.

Volantes da Toyota (Peter Steffen/Efe)

Na foto acima, um técnico da Toyota abre um case com volantes dos carros.
 
Mas achei bacana um detalhe...

 
No canto direito do volante, indicado pela flecha e pela sigla FW (front wing), há um disco que os pilotos giram com o dedão. É uma das novidades do regulamento deste ano: a possibilidade de os pilotos regularem o ângulo do aerofólio dianteiro.
 
Ainda não tinha reparado nisso, nem sei se todas as equipes adotaram essa solução. Mas a da Toyota é interessante. Não basta pilotar, falar no rádio, apertar ou girar botões. Há agora também um disquinho colorido para brincar...

Escrito por Fábio Seixas às 16h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hamilton, 14

O Marcus, de Arapongas, achou uma matéria minha de dez anos atrás e mandou para o Pezzolo, que postou no seu blog e gentilmente me avisou.
 
Na reportagem, publicada em 13 de agosto de 1999, eu citava três jovens negros com chances de alcançar o topo do automobilismo. Só Hamilton chegou lá.

Em especial, lembro bem da entrevista com o inglês, em Silverstone, semanas antes da publicação da matéria. Hamilton tinha 14 anos, mas mostrava maturidade e muita confiança _aquela confiança ousada e inocente do jovem que acha que vai dominar o mundo e que alguns confundem com arrogância.
 
A foto também é bacana.
 
Para ler/ver/rever, é só dar um pulo na Pezzololândia.

Escrito por Fábio Seixas às 15h45

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Guerra de palavras

Voltou o vaivém de comunicados.
 
O primeiro (e até agora único) de hoje é da FIA.
 
Mosley diz que escreveu duas vezes para Montezemolo reforçando que qualquer mudança nas regras para 2010 necessitaria de unanimidade.
 
Segundo a nota, essa exigência tem base no Código Esportivo Internacional e no Pacto da Concórdia, e nem a Assembléia Geral nem o Conselho Mundial podem interferir na questão.
 
"Qualquer um com conhecimento básico sobre o comando do esporte a motor sabe disso. Imaginem a confusão que ocorreria se o Conselho Mundial, por exemplo, tivesse mudado as regras após a adesão da Fota", diz o texto.
 
A FIA afirma ainda que o acordo de Paris definiu que o novo Pacto seria uma "pequena revisão" do atual. Mas que, no dia seguinte, recebeu uma proposta completamente nova da Fota, um contrato de 350 páginas, já lido, relido, comentado e que deve ser assinado nos próximos dias.
 
Daqui a pouco sai algo do lado da Fota. É só esperar.

Escrito por Fábio Seixas às 12h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Barganha

Escrevi na coluna de sábado que o silêncio dos últimos dias na F-1 era estranho, um indicativo de que algo deveria estar acontecendo nos subterrâneos.
 
E estava.
 
Mas confesso que não imaginava o que aconteceu hoje, em Nurburgring.
 
As equipes se reuniram com a FIA, para um encontro decisivo do Grupo de Trabalho Técnico. O objetivo, definir as regras para 2010. Assunto importante, pois não?
 
Tudo corria bem até que Whiting, garoto de recados de Ecclestone e Mosley, disse que as oito integrantes da Fota não estão oficialmente inscritas no Mundial do ano que vem e que, portanto, não têm ingerência sobre o regulamento.
 
Como assim? Como a FIA diz que não estão inscritas?
 
No comunicado do Conselho Mundial, no dia 24, a mesma FIA escreveu "os seguintes times foram aceitos no Campeonato Mundial de F-1 de 2010" antes de publicar a lista dos 13.
 
Revoltadas, as integrantes da Fota, claro, se retiraram da sala.
 
Em nota, afirmam que a FIA queria condicionar a assinatura do novo Pacto da Concórdia (que interessa a elas) à aprovação unânime do regulamento, algo que não foi discutido no Conselho Mundial.
 
A FIA contra-atacou com nove linhas cínicas. A pérola: "As oito equipes da Fota foram convidadas para o encontro para discutir as propostas para 2010. Infelizmente, tal discussão não foi possível porque elas saíram da reunião".
 
Tempo fechado em Nurburgring, nesta quarta (Jens Buettner/DPA)
 
Não é um retorno à estaca zero, não chega a tanto. Mas é um retrocesso, claro.
 
Qual é a intenção de Mosley com isso? Minha opinião: usar o regulamento de 2010 como barganha para conseguir aprovação das equipes à sua continuidade.

Escrito por Fábio Seixas às 16h39

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

E chegou a vez de Nurburgring, no rodízio com Hockenheim pelo GP da Alemanha.

 

Ontem, no Pit Stop, eu fiquei em dúvida sobre o horário do treino classificatório. Será às 9h. Segue a programação: 

 

Sexta-feira

5h-6h30: 1o treino livre

9h-10h30: 2o treino livre

 

Sábado

6h-7h: 3o treino livre

9h-10h: treino oficial

 

Domingo

9h: GP da Alemanha, 60 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 12h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #106

O Pit Stop de hoje recebeu Chico Serra e falou muito sobre tudo: F-1, MotoGP, Stock, Indy...

Não poderia ser diferente com um cara que já correu tanto, que conhece tanto.
 
Lá vai...

Escrito por Fábio Seixas às 20h31

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Do rali para as urnas

A candidatura de Vatanen à vaga de Mosley, que vinha se insinuando nas últimas semanas, cresceu, apareceu, confirmou-se, tornou-se pública.
 
"Neste momento estou conversando com os membros da FIA. Por enquanto, todos os contatos são positivos. Acredito que chegou o momento de uma mudança. Tentarei, ainda que não esteja seguro se ganharei ou não", disse o finlandês ao "Guardian".
 
Vatanen foi campeão mundial de rali em 1981, tetracampeão do Dacar e já se aventurou pela política _foi eleito deputado do Parlamento Europeu em 2004, mas não se reelegeu no mês passado.
 
Acho que tem tudo para essa candidatura crescer ainda mais. Vatanen pode ser o homem com quem a Fota sonhava. E a força das equipes pode ser o empurrãozinho que ele precisava.
 
Estou curioso para acompanhar os próximos capítulos.
 
PS: Em tempo, é sempre bom ver gente do ramo concorrendo a esse tipo de cargo.

Escrito por Fábio Seixas às 16h58

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Boxes abertos

Correndo pro Pit Stop, que terá Chico Serra e que começa às 14h30, aqui.

Espero vocês por lá. Até.

Escrito por Fábio Seixas às 12h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mudança de canal

A Stock é o novo alvo da Record, informa Bruno Vicaria, no Tazio.
 
A emissora teria oferecido horários mais bacanas, no recém-lançado "Esporte Fantástico", cobertura mais extensiva e transmissão ao vivo de todas as etapas.
 
Já deve ter muita gente agitada por aí...

Escrito por Fábio Seixas às 12h49

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cenas fortes

As fotos abaixo acabaram de chegar à Redação e são de Duda Bairros, da agência We. Realmente, não sobrou nada.
 
O que restou dos carros da Action Power após acidente na Régis Bittencourt (Duda Bairros/Agência We)
 
O caminhão da Action Power destruído após acidente na Régis Bittencourt (Duda Bairros/Agência We)
 
A Action Power já fala em deixar o campeonato.
 
"Nem todo o dinheiro do mundo conseguirá recuperar o time a tempo de participar das próximas etapas. Temos que levantar a equipe do zero de novo, porque, além dos três carros, o incêndio destruiu completamente todos os nossos equipamentos: peças reservas, estrutura de box, balanças, ferramentas etc.  É realmente muito triste, ainda mais no momento em que o time se encontra no campeonato, após a vitória em Interlagos”, disse Paulo de Tarso, dono da equipe.

Escrito por Fábio Seixas às 19h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Chico no Pit

Chico Serra, 52 anos, 18 GPs na F-1, tricampeão da Stock, será o terceiro elemento na bancada do Pit Stop desta terça-feira.
 
Para participar, é só mandar sua pergunta para o uolnewsformula1@uol.com.br ou fazer um vídeo bacana _as instruções estão aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 18h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cinzas

O caminhão da Action Power sofreu um acidente na Régis Bittencourt e pegou fogo. O carro abaixo, de Marcos Gomes, vencedor em Interlagos, virou cinzas...
 
Marcos Gomes, em Interlagos (Luca Bassani)
 
A equipe não correrá em Salvador. E, provavelmente, as chances de continuar fazendo um bom campeonato foram para o espaço. Uma pena.
 
Mas não é a primeira vez que algo assim acontece.
 
Em 1972, o caminhão da Lotus sofreu um acidente indo pra Monza, quase dizimando as chances de Emerson conquistar ali o primeiro título. 
 
Com João Paulo Oliveira, foi pior: em Hockenheim, em 2001, o caminhão pegou fogo depois de um curto-circuito e arrasou suas chances de continuar naquela temporada da F-3 alemã.
 
Alguém lembra de mais algum desastre rodoviário/automobilístico?

Escrito por Fábio Seixas às 17h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

Sempre que o assunto é a volta da F-1 aos EUA, sou repetitivo.

Adoraria ver um GP em Laguna Seca.
 
Sim, falo isso sempre. Sou repetitivo porque acho que devo ser. Porque a pista é sensacional. Porque o cenário é fantástico. Porque o traçado é dos mais ecléticos. Porque tem a Corkscrew, a Saca-rolhas, onde passei uma tarde em 1997 babando com os carros da Indy fazendo a tomada para aquela sequência de curvas tão desafiadora. 
 
Mais pela mágica do local do que pela imagem em si, segue a foto do fim de semana.
 
Pedrosa lidera pelotão em Laguna Seca (Robert Laberge/France Presse)

Escrito por Fábio Seixas às 14h17

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Resumão

Na MotoGP, Pedrosa venceu e desabafou. "Está sendo um ano difícil para mim. Desde o ano passado, quando caí na Alemanha, tudo de ruim aconteceu, e era um problema após o outro".
 
Na Indy, vitória de Wilson, que há tanto tempo vem dando murro em ponta de faca. Helinho foi o melhor brasileiro, em quarto.
 
Mas a notícia do fim de semana foi o comentário de Ecclestone sobre Hitler, um elogio à maneira como o füher "fazia as coisas acontecerem".
 
Às portas dos 80, o inglês perdeu, talvez, a melhor chance da vida de ficar calado.

Escrito por Fábio Seixas às 13h07

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Fala, Massa

Átila foi punido, Cacá subiu para terceiro e foi a 65 pontos no campeonato.

Mas o mais importante em Interlagos foi a entrevista de Massa.
 
"Alonso não é novela nenhuma. Sempre existem rumores dele com várias equipes. A gente tem dois pilotos com contrato pro ano que vem."
 
O áudio do bate-papo do ferrarista com os jornalistas em Interlagos está no Tazio.

Escrito por Fábio Seixas às 15h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Marcos vence, Cacá lidera

A corrida começou morna, teve os quiprocós de sempre e um lance polêmico no final, o choque entre Átila e Maurício.
 
A vitória ficou com Marcos Gomes, que largou em terceiro e teve o grande mérito de se livrar das confusões.
 
Cacá, quarto, é o novo líder.
 
As arquibancadas corporativas de Interlagos já começam a esvaziar.

Escrito por Fábio Seixas às 12h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sol, visitas, dica, aposta

A tal garoa que se insinuava foi embora. O sol abriu, é chegada a hora de tirar a blusa;
 
Lá embaixo, muita gente bacana do automobilismo. Di Grassi está por aqui, Massa deve chegar. Programa de piloto, na folga, é autódromo...;
 
Uma opção inovadora para acompanhar a Stock é o blogueiro móvel. O jornalista Andrei Spinassé está montado num segway do Chevrolet Power Team, atualizando as informações direto do paddock, dos boxes, do grid (!!), de onde for;
 
Na pole, Ricardo Maurício, que conhece Interlagos desde moleque _fase que não acabou há muito tempo. Acho que leva hoje.

Escrito por Fábio Seixas às 10h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Na Stock

Em Interlagos, para acompanhar a Stock.
 
Interlagos que parece-me mais cheia que o normal para corridas da categoria, apesar do frio, da pouca TV nesta temporada, do regulamento que muda no meio do campeonato, da garoa que se insinua.
 
Vou dar um giro, daqui a pouco eu volto.

Escrito por Fábio Seixas às 09h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado (?), atraso, frio, Interlagos, coluna

Os últimos dias dias foram silenciosos, estranhamente silenciosos. A troca de farpas cessou, as ameaças calaram, as notícias convenientemente plantadas aqui e ali, nas publicações simpáticas a uma causa ou outra, murcharam.

O último ato público foi a discussão entre Mosley e Montezemolo, no final da semana passada. O inglês falou em desrespeito ao acordo, o italiano colocou panos quentes, e a partir de então nada mais se falou. O que é estranho, repita-se. E o que, em se tratando de F-1, é fortíssimo indício de que algo está ocorrendo.
 
Com atraso de um dia, segue aqui a coluna desta semana.
 
O texto completo está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 09h18

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.