Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

O dia em Budapeste

Schumacher visitou hoje o amigo Massa no Hospital Militar de Budapeste. Estava acompanhado do filho Mick, 10.
 
Entrou, saiu para almoçar com Todt, voltou, foi embora, não falou com a imprensa.
 
Schumacher e Todt, diante do hospital (Viktor Veres/Reuters)
 
Que teve de se virar como pôde para tentar registrar alguma imagem...
 
Fotógrafos tentam registar alguma imagem de Schumacher (Reuters)

Escrito por Fábio Seixas às 15h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, sol, pastel, plantão, coluna

A F-1 vivia o fim de semana do GP do Canadá, em setembro de 79, quando foi surpreendida pelo anúncio da aposentadoria de Lauda. Campeão em 75 e 77, mito do esporte, o austríaco deu uma explicação prosaica para a decisão: "Cansei de ficar correndo em círculos".

Assim começa a coluna desta semana, sobre a difícil decisão de parar. Decisão que parece ser mais dura ainda para pilotos campeões, especiais, geniais.

A íntegra está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 13h39

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Recadinho

Em tempo: Interlagos recebe neste domingo a 27ª edição dos 500 km de São Paulo, prova que já teve como vencedores nomes históricos: Celso Lara Barberis, Fritz D'Orei, Luiz Pereira Bueno, Totó Porto, Bird Clemente...
 
O estacionamento, dentro do autódromo, custa R$ 10. A entrada, 1 kg de alimento não perecível. A largada será às 13h, mas haverá outras categorias em ação por lá desde as 8h.

Escrito por Fábio Seixas às 19h21

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cronômetro

Schumacher deu 67 voltas em Mugello com a F2007 equipada com pneus da GP2. Seu melhor tempo, 1min23s736.
 
Em janeiro, Massa, com a F60, cravou 1min23s981.
 
"Não dá para fazer comparações. Não há nenhum ponto de referência", afirmou o alemão.
 
Ele tem razão. São carros diferentes, pneus diferentes e nestes sete meses, claro, a F60 evoluiu.
 
Mas fica o registro. Porque não é todo dia que um gênio volta a pilotar.

Escrito por Fábio Seixas às 19h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Meio anúncio

A Indy acaba de anunciar seu calendário para 2010.
 
Serão 17 etapas: 8 em ovais, 4 em circuitos mistos e 5 em pistas de rua. Duas provas, Texas e Chicago, serão noturnas.
 
O Brasil abrirá a temporada, em 14 de março. A outra parte do anúncio, a Indy ficou devendo: o local da prova só deve ser divulgado daqui a duas semanas.
 
"Nosso foco principal continuará sendo aumentar o interesse pela Indy nos EUA, mas a corrida no Brasil será uma oportunidade única para visitar este país tão apaixonado pelo automobilismo", disse Terry Angstadt, presidente da divisão comercial da categoria.
 
Rio e Ribeirão estão na briga, tecnicamente empatadas no momento, contam.

Escrito por Fábio Seixas às 18h50

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Túnel do tempo

Schumacher testou hoje com a F2007 em Mugello, mas deve trabalhar pelo menos um dia com a F60.
 
Schumacher treina em Mugello (France Presse)
 
Um teste com o carro deste ano? Sim, a Fota já teria autorizado.

Fota, vejam que coincidência, que tem como comandante Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari.
 
Antes de sumir por algumas horinhas, dois pitacos:
 
1. Por que Alguersuari não teve o mesmo privilégio?
 
2. Massa disse hoje ao seu engenheiro que estará pronto em três semanas. E se isso acontecer? A Ferrari então divulgará aquele comunicado agradecendo Schumacher pela disposição, louvando a recuperação do brasileiro, etc e tal. Mas até aí, o alemão já terá testado um dia inteiro com o carro deste ano, os ingressos para Valência estarão esgotados, a F-1 terá vivido dias de noticiário quente mesmo durante as férias... Não duvido mais de nada.

Escrito por Fábio Seixas às 15h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Polegar pro alto

Dudu Massa, nesta quinta-feira (Bela Szandelsky/AP)

Não, não é o Felipe, é o Dudu, mas é também uma prévia do que vem por aí.
 
Porque dentro de poucos dias será o ferrarista, sinal de positivo, expressão tranquila, deixando o Hospital Militar de Budapeste.

As notícias seguem boas. Dino Altmann resumiu bem a situação: já não há muito o que falar, ele está bem, agora são apenas curiosidades do tipo o que comeu, que brincadeiras fez com quem...
 
"Isso se eu deixar, né?", ele lançou, ao ser informado que Schumacher correrá em seu lugar em Valência.

A propósito, ainda não houve uma previsão dos médicos sobre a volta de Massa às pistas.

Escrito por Fábio Seixas às 12h50

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Dois toques

Um: Massa só soube que Schumacher será seu substituto depois que o comunicado da Ferrari já havia sido divulgado. Para os dirigentes da escuderia italiana, provavelmente, não seria conveniente discutir esse tipo de assunto com alguém que ainda está no hospital.
 
Dois: agora há pouco, Massa recebeu uma mensagem assinada por Dunga, "em nome da CBF e dos jogadores da seleção brasileira", desejando recuperação rápida. No ano passado, o ferrarista foi uma das atrações do amistoso Brasil x Portugal, em Brasília.

Escrito por Fábio Seixas às 16h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Questão de lealdade

"Embora seja verdade que o capítulo F-1 já tenha se fechado para mim há muito tempo, também é verdade que, por razões de lealdade à equipe, não posso ignorar esta situação complicada."

Este, Schumacher explicando a decisão de voltar. Mais, aqui.

Desde já, é um dos maiores retornos da história do esporte.

Escrito por Fábio Seixas às 14h51

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #109

As últimas horas foram barra pesada, mas pouco a pouco vamos retomando a programação normal.

Para quem não viu ainda, segue o Pit Stop desta semana...

Escrito por Fábio Seixas às 14h41

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Schumacher volta

A Ferrari acaba de anunciar o substituto de Massa em Valência.

Será Michael Schumacher.

Escrito por Fábio Seixas às 13h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Menos uma

"Claro que esta é uma decisão difícil para nós, mas é um passo considerável em nosso realinhamento estratégico".
 
Assim, Norbert Reithofer, do Conselho da BMW, anunciou o fim da aventura da montadora na F-1.

Mosley muitas vezes chuta o balde, mas sempre teve razão na maneira como encara o envolvimento das montadoras na categoria. Para as grande fabricantes de automóveis, a F-1 é apenas mais uma ação de marketing, como qualquer outra. E ações de marketing são feitas e desfeitas o tempo todo, muitas vezes variando com o fluxo de caixa ou simplesmente com a cabeça do sujeito que está no comando.

Por isso, sua inglória defesa dos garagistas. Que deu em nada.

Uma pena.

Até porque a BMW comprou a equipe de um garagista, Sauber. E tinha uma estrutura bem montada, bem organizada, à moda suíça.

E assim o mercado de pilotos ganha dois nomes fortes, e desempregados, para 2010. E a F-1 ganha uma fábrica vazia. Será que nenhuma das novatas vai comprar?

Escrito por Fábio Seixas às 13h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Até um dia

E quando já sabia ter perdido a amiga mais especial que já tive, na hora da despedida o pai me conta que ela tinha colunas minhas guardadas.
 
O mundo está vazio sem aquela gargalhada.
 
Mas vamos à luta. Foi o que a Aninha nos ensinou.

Escrito por Fábio Seixas às 13h02

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hoje tem Pit Stop

O acidente de Massa será, claro, o destaque do Pit Stop desta terça-feira. O programa acontece a partir das 14h30, ao vivo, aqui.
 
Para mandar perguntas e comentários, o e-mail é uolnewsformula1@uol.com.br
 
Para participar por vídeo, as instruções estão aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 12h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Boletim médico

"Ele não tem qualquer sinal de qualquer deficiência. Respondeu hoje a perguntas em três línguas diferentes, respostas apropriadas. Durante exercício de fisioterapia, sabe muito bem, os faz ativamente. Sabe muito bem o que é direita e esquerda (...) Ele enxerga com o olho esquerdo. As notícias são muito boas, estamos muito felizes com sua recuperação até aqui."
 
Este, o médico Dino Altman, lá em Budapeste. Mais, aqui.
 
Pouco a pouco, começam a surgir prognósticos sobre sua volta.
 
Valência está praticamente descartada _praticamente, porque ninguém falou de forma oficial_ e já há quem diga que Massa retorna em Cingapura, no fim de setembro.
 
Sobre o substituto, a assessora de Schumacher disse hoje que ele poderia "pensar no assunto" se houvesse um convite. Continuo achando improvável.
 
Na Espanha, Gené parece ser um bom nome.

Escrito por Fábio Seixas às 11h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Papo com Cristiano

Já escrevi algumas vezes que o Cristiano da Matta é um dos heróis deste blog.
 
Um dos caras mais bacanas que já conheci. Divertido, inteligente, humilde, batalhador. E um baita piloto.
 
Cristiano continua sendo bacana, divertido, inteligente, humilde, batalhador. E tenta continuar piloto.
 
Estranha coincidência: a batida dele, que vai completar três anos na próxima segunda-feira, o último grave acidente de um brasileiro, envolveu também um corpo estranho no meio da pista. Um veado, em Elkhart Lake.
 
Hoje, aos 35, ajuda os irmão numa distribuidora de produtos para ciclismo em Belo Horizonte. Mas viajará aos EUA em setembro para tentar uma vaga na GrandAm para 2010.
 
Conversei com Cristiano ontem. O resultado está na Folha de hoje.
 
Um trecho:
 
"Vou te dizer uma coisa... Quando você é piloto, tem sempre uma série de receios. Você sabe que está num esporte de risco, sabe o que pode quebrar, você sabe quais trechos de quais pistas são mais perigosos... Mas você nunca pensa que uma coisa estranha pode acertar sua cabeça (...) Não dá tempo de pensar nem de reagir. Não sei nem se deu tempo de o Felipe ver que tinha algo vindo. No meu caso, era uma curva cega. Saí dela, estava acelerando e vi o bicho, mas já estava perto demais. Não deu pra desviar."
 
A entrevista completa está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 10h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Didatismo

A dica veio pelo Twitter, via @dandangallagher.
 
É uma animação do acidente de Massa, bem feitinha. A narração é em italiano. Mais, não sei...

(Em tempo, o irmão caçula deste blog é o @fabio_seixas)

Escrito por Fábio Seixas às 16h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O substituto

Montezemolo e Domenicali vão se reunir agora à noite em Maranello para discutir um eventual substituto para Massa.
 
Ainda é cedo para dizer que ele não correrá mais nesta temporada. Mas já parece sensato pelo menos começar a pensar numa substituição para a próxima etapa, o GP da Europa.
 
Badoer? Gené?
 
Não necessariamente. Em 1999, quando Schumacher quebrou a perna direita, Badoer já era piloto de testes da Ferrari. Mas o escolhido foi Salo, que nunca havia tido nenhuma relação com Maranello mas que, naquele ano, já tinha feito três provas como substituto de Zonta na BAR.
 
Mika Salo é apresentado pela Ferrari, em 1999 (Giorgio Benvenuti -13.jul.99/France Presse)
 
Lauda falou em Schumacher. Duvido. Primeiro porque Lauda, um dos meus heróis na pista, cada vez mais se notabiliza como um manancial de declarações sem sentido. Segundo porque Schumacher não toparia. Se a Ferrari estivesse num momento-chave, de disputa de título, ele até poderia posar de salvador da pátria. Mas não é o caso...
 
Alonso?
 
Já disse que acredito no espanhol correndo em Maranello em 2010. Em 2010. Em 2009, acho improvável.
 
Entre todos esses nomes, eu ficaria com Gené _até porque a prova é na Espanha, pegaria bem. Mas, repito, a Ferrari sempre pode decidir "inventar".
 
Aguardemos.

Escrito por Fábio Seixas às 15h39

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Segunda, atraso, jornal, café, coluna

Atropelado pelos acontecimentos do fim de semana, não tive tempo de postar aqui a coluna de sábado.

Segue um trecho:
 
É sintomático: além do aterro, as outras opções analisadas pela Indy foram/são São Paulo, Brasília, Salvador, Campinas e Ribeirão Preto.
 
A pista de Brasília hoje não reúne condições. Precisaria de uma belíssima reforma. Interlagos, pelo contrato com a F-1, não receberia a categoria americana. As três últimas cidades não possuem autódromos. Como no caso carioca, teriam de apelar para circuitos improvisados.
 
O resumo desse tão ampliado lado tão ruim da questão: com as exceções de Interlagos e Curitiba -que estranhamente não aparece entre os cotados-, o Brasil não conta hoje com praças adequadas para o esporte a motor em alto nível. Como prosperar assim? Não dá.
 
O texto está aqui, para assinantes da Folha e do UOL.

Escrito por Fábio Seixas às 15h36

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

O último boletim médico

Massa não está mais sedado nem entubado, reconhece e conversa com os familiares e a morfologia do seu olho esquerdo não foi afetada. A recuperação superou as expectativas dos médicos.

São essas as últimas notícias que chegam de Budapeste. Excelentes.

Escrito por Fábio Seixas às 14h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pílulas do dia seguinte

Horner celebrou a evolução de McLaren, Renault e Ferrari. Acha que isso pode ajudar a Red Bull a se aproximar da Brawn. Ou seja, está confiante de que Webber e Vettel ficarão na ponta e que as outras se colocarão à frente dos carros de Button e Barrichello. Pode até ser. Mas ontem não foi assim;
 
Uma rápida conta. A reviravolta da Red Bull pra cima da Brawn começou em Silverstone. Quando a F-1 chegou lá, Button era o líder, com 26 pontos para o vice-líder, Barrichello. Vettel era o terceiro, com 32. Passaram-se três provas, a própria etapa da Inglaterra e os GPs de Alemanha e Hungria. Button continua líder, com 70 pontos, folga de 18,5 para o vice-líder, Webber;
 
Ou seja, em três provas em crise, Button perdeu 7,5 pontos de sua vantagem. Faltam sete GPs. Pela média, ele perderia mais 17,5 pontos e ganharia o campeonato por um ponto. Mas é claro, isso é um baita chute e não é o objetivo desta conta. A ideia é mostrar que o campeonato está escorrendo pelos dedos de Button, e que ele está impotente. A margem de segurança está indo, ou já foi, pro espaço. Daí, seu nervosismo ontem;
 
Button pode até se dar o luxo de não ganhar mais. Mas essa coisa de ficar chegando em sexto pode não ser suficiente. E, claro, não pode nem sonhar em abandonar um GP;
 
Apesar de vários comentários na direção contrária, continuo achando absurda e hipócrita a punição da FIA à Renault. É apenas média para a imprensa. Aposto que a Renault ganhará o recurso e correrá em Valência. Mas até aí, a FIA poderá dizer que fez sua parte. Que fazer algo? Ótimo, algo precisa ser feito mesmo. Mas por que, por exemplo, não reforçar o tal cabo que deveria prender rodas e que quase nunca funciona? Por que não reforçar e treinar melhor as equipes de fiscais que ficam às margens da pista para avisar e paralisar um treino sempre que houver um detrito no asfalto?
 
Sobre Massa, é impressionante a série "lost in translation" das agências de notícia e sites de toda espécie. Imagine alguma notícia, da mais positiva à mais negativa, e ela já foi veiculada por alguém. A dica: confie nos veículos que investem em F-1 durante todo o ano, há tempos, e que, por isso, têm repórteres na porta do hospital.

Escrito por Fábio Seixas às 13h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

A imagem do fim de semana é esta, um mero quadro da transmissão da TV, mas que diz muito.
 

Escrito por Fábio Seixas às 12h28

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

A mola

A mola que acertou Massa é idêntica a esta, exibida hoje à imprensa em Hungaroring...
 
(Dimitar Dilkoff/France Presse)
 
Já é noite em Budapeste, e Massa foi dormir com o quadro melhor do que ontem. O que é uma ótima notícia.

Escrito por Fábio Seixas às 18h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Post de uma linha

A punição da FIA à Renault merece uma palavrinha: hipocrisia.

Escrito por Fábio Seixas às 18h22

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Muito prazer

O pódio de Donington...
 
Edwards, Dovizioso e De Puniet, no pódio (Andrew Yates/France Presse)
 
Ué? Cadê a turma de sempre?
 
Ficou pelo caminho.

A vitória foi de Dovizioso, a primeira de sua carreira. Edwards foi o segundo colocado, seguido por De Puniet.
 
Rossi caiu, foi parar em 11º, recuperou-se e cruzou em quinto.
 
Lorenzo também caiu e abandonou. Pedrosa terminou em nono.
 
Os sorrisos na foto dizem tudo: é sempre legal ver gente diferente na ponta...

Escrito por Fábio Seixas às 18h09

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hamilton, para alívio de Button

Na Hungria, a primeira vitória da McLaren no ano, com Hamilton. Para alívio de Button e da Brawn, cada vez mais distantes do topo.

Raikkonen e Webber completaram o pódio. 

A corrida em Budapeste aconteceu com temperatura até amena para os padrões do verão húngaro: 24ºC no ar, 41º no asfalto.

Na largada, Alonso, leve como uma pluma, manteve tranquilamente a primeira posição. Logo atrás, alguma confusão. Raikkonen tocou Hamilton e Vettel. Com isso, Webber completou a primeira curva em segundo lugar.

Por pouco tempo. Na quinta volta, Hamilton passou o australiano, assumindo a segunda colocação e partindo pra cima do antigo desafeto.

Hamilton chegaria? Ultrapassaria? Novamente, não houve muito tempo para pensar.

Porque, com problemas de desgaste nos pneus traseiros, Alonso parou na 12ª volta, antecipando seu pit. E então, a lambança: o pneu dianteiro direito foi mal encaixado na roda e saiu voando assim que o espanhol voltou pra pista. A calota também foi pro espaço.

Para os piadistas de plantão (sim, eu bloqueei todos os comentários idiotas de ontem), é uma prova de que carros de corrida, de todos os pilotos, soltam peças pela pista o tempo todo.

Alonso voltou para os boxes, colocou um novo pneu, mas abandonou uma volta depois.

Hamilton assim ficou com pista livre, e sem ninguém no cangote, para acelerar e abrir vantagem. Tanto que os adversários anteciparam suas paradas para tentar algo diferente.

Webber e Raikkonen pararam na 20ª volta. Na marcação, Hamilton reagiu e parou na seguinte. Rosberg aproveitou e entrou junto.

Ao fim da primeira janela de pits, Hamilton continuava líder, seguido por Raikkonen e Webber _o finlandês passou o australiano nos boxes.

Na 30ª, com problemas de equilíbrio no carro, Vettel abandonou. Button agradeceu. Até porque, lutando para ficar na zona dos pontos, mostrava-se desesperado pelo rádio. “O carro está saindo de traseira! Como, como, o carro pode estar tão ruim?”, gritava.

Barrichello, o mais pesado do grid, foi o último a parar, na 34ª das 70 voltas. Era sexto, voltou à pista em 13º, mas com os pneus mais duros, dica de que não pararia mais.

E veio o segundo trecho da prova. Menos emocionante que o primeiro. Hamilton seguiu tranquilo na frente, com vantagem média de 7 segundos sobre Raikkonen, o segundo.

Em terceiro, Webber não conseguia acompanhar o ritmo dos dois. Tanto que passou a receber forte pressão de Kovalainen e Rosberg, quarto e quinto colocados. Na 40ª das 70 voltas, Glock, Trulli e Button completavam a zona de pontos. Nelsinho era o nono.

Hora da segunda janela de pits, inaugurada por Kovalainen, na 45ª volta. Raikkonen parou na 46ª. Hamilton entrou nos boxes na 47ª e tinha tanta folga que voltou ainda à frente de Webber.

Na 51ª, Webber entrou, retornou à pista em terceiro, atrás de Raikkonen. Rosberg conseguiu passar Kovalainen nos boxes e colocou-se em quarto.

Button parou na 56ª volta e ficou à margem dos pontos, em nono. E foi quando, curiosamente, a Brawn chamou Barrichello para os boxes. Sim, Barrichello, então o oitavo colocado e que tecnicamente não precisava mais parar. Se era para fazer dois pits, por que largar com 84 kg? Todo mundo fez duas paradas, largando bem mais leve. Button fez dois pits também e tinha 59,5 kg...

Barrichello só parou para que Button entrasse nos pontos.

Funcionou. Com o pit de Glock, Button chegou em sétimo. Barrichello foi o décimo.

Na bandeirada, Hamilton, Raikkonen e Webber.

Hamilton recebe a bandeirada em Budapeste (Petr David Josek/AP)

Nelsinho? Teve alguns bons momentos, chegou a flertar com os pontos, mas foi só o 12º. Agora, é esperar pra ver o que acontece.

No Mundial de Pilotos, Button tem agora 70 pontos. Webber é o novo vice-líder, com 51,5. Faltam 7 etapas. É um jogo de gato e rato. Com o gato já assustado, mas aliviado por ver outros bichos andando bem.

Escrito por Fábio Seixas às 11h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Manhã complicada. Mas a boa notícia que vem da Hungria é que a nova tomografia de Massa não encontrou nenhuma lesão cerebral.

Na corrida, acho que dá Vettel, Webber e Rosberg.

Ah, sim: durante a prova, vou pitacar no Twitter. O link está aí no menu ao lado.

Escrito por Fábio Seixas às 08h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.