Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

O retorno

Schumacher, 41, é novamente piloto.
 
Piloto de F-1, com contrato assinado por três anos com a Mercedes. Que por anos a fio olhou para aquele alemão vestido de vermelho com um quê de ciúmes, com uma enorme dose de desejo. Foi a Mercedes que preparou Schumacher para o Olimpo, e de certa forma a marca achava que havia algo de errado em vê-lo conquistando tudo, daquela forma arrasadora, por outra escuderia.
 
Acho que foi mais aquela questão de nunca ter surgido a oportunidade certa. Agora, surgiu.
 
Tarde demais? Para conquistar títulos, pode ser. Para vencer GPs rotineiramente, talvez. Para estremecer a concorrência, chacoalhar a F-1, incendiar o esporte, definitivamente, não.
 
Button conquistou o Mundial porque a Brawn pegou todas as adversárias de surpresa com seu difusor revolucionário e porque, no duelo interno, ele superou o companheiro. Dificilmente um trunfo técnico assim se repetirá _e com a mesma equipe. Por isso, se vier, o título será mais brigado.
 
Mas uma coisa é certa: o mundo inteiro, mesmo aquela parte estranha que não gosta de F-1, estará de olho no grid do GP do Bahrein, no dia 14 de março.

Escrito por Fábio Seixas às 09h13

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.