Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Fala, Barrichello

"Eu acho que a corrida amanhã tem toda uma coisa boa no ar, uma atmosfera boa, pelo fato que as decisões certas são aquelas que ganharão a corrida."
Este, Barrichello, sétimo no grid, falando aos jornalistas brasileiros em Sepang.
 
Para ouvir a íntegra, é só clicar no Tazio. Passeando por lá, também dá para ouvir Massa, Di Grassi e Bruno.

Escrito por Fábio Seixas às 16h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, bacalhau, plantão, chuva, coluna

Com a grife de Newey, o carro da Red Bull é, de longe, o mais veloz da F-1. Mas, no Bahrein, uma vela acabou com o GP de Vettel. Na Austrália, a culpa foi de uma porca mal colocada. Bonita por fora, a Red Bull é bem feia por dentro. E não adianta: time assim não ganha campeonato.

A coluna de hoje fala sobre a trajetória de Newey para mostrar exatamente isso: genialidade não basta, é preciso organização, estrutura, é preciso alguém que aperte direito os parafusos (ou a porca, no caso).

O texto está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital, página D3.

Escrito por Fábio Seixas às 16h14

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Webber, pole na base do risco

Em Sepang, um treino confuso, com pista molhada, resultados inesperados.
 
Uma prévia do que será a corrida? A meteorologia indica que sim.
 
Pole de Webber, apenas a segunda da carreira do australiano. Vettel, mordido, em terceiro. E gente como Hamilton, Massa e Alonso largando nas últimas filas.
 
Webber, no treino classificatório em Sepang (Rungroj Yongrit/Efe)
 
É... Muita gente que pretendia acordar tarde no domingo de Páscoa vai rever os planos, já dá para imaginar.
 
Pela manhã, o terceiro treino livre aconteceu com pista seca e teve um bom duelo entre Webber e Hamilton, vencido pelo australiano.
 
Mais uma coincidência do que um sinal. O resultado, como os das duas primeiras sessões, não serviu para nada. Como previsto desde sempre, a sessão classificatória aconteceu com pista molhada, e todos os acertos tiveram de ser modificados.
 
O Q1 começou com chuva fraca e, pelo visto, muita gente acreditou que a situação fosse melhorar. Gente que errou redondamente.
 
Quem entrou logo e marcou tempo se deu bem. Quem esperou, dançou bonito _ou feio, dependendo do ponto de vista.
 
Button e Bruno foram parar na brita e de lá não saíram _o inglês ao menos já tinha tempo para avançar ao próximo bloco. Hamilton, Massa e Alonso pegaram a pista encharcada e não conseguiram passar do tempo de corte.
 
Os cortados no Q1, Alonso, Hamilton, Massa, Chandhok, Bruno e Di Grassi.
 
"Houve um erro de todo mundo na equipe. Choveu muito forte antes do treino, melhorou um pouco, mas a gente não saiu. É um erro de todo mundo da equipe, todo mundo pensou igual", disse Massa ao colega Carlos Gil, da Globo, assim que deixou o carro.
 
O mais rápido foi Kubica, com 1min46s283, marca obviamente cravada logo no início da brincadeira. Foi, vejam só, 0s870 melhor que De la Rosa, o segundo. Vettel ficou em terceiro, seguido por Petrov, Kobayashi, Alguersuari, Buemi, Sutil, Hulkenberg e Liuzzi. Barrichello passou em 11º.
 
Gato escaldado tem medo de água fria, já dizia vovó. E, assim, todos entraram mais espertos no Q2, que aconteceu com chuva mais fraca e pista menos encharcada do que na maior parte do Q1.
 
Vettel cravou o primeiro tempo, foi superado por Kubica, deu o troco. Terminou na ponta, com 1min46s828. O polonês ficou em segundo, a 0s123. Sutil foi o terceiro. Avançaram para o Q3, ainda, Hulkenberg, Kobayashi, Webber, Liuzzi, Barrichello e Schumacher.
 
Os cortados foram Petrov, De la Rosa, Buemi, Alguersuari, Kovalainen, Glock e, claro, Button.
 
E então veio o dilúvio. O bloco decisivo da sessão classificatória começou com muita água, e logo veio a bandeira vermelha: treino interrompido por cerca de 15 minutos por falta de segurança.
 
Às 17h10 de Sepang, 6h10 daqui, veio a luz verde.
 
Sutil imediatamente fez o primeiro tempo, mas então Webber mostrou que estava num dia especial.
 
Arriscou. Colocou pneus intermediários, enquanto todo mundo ficou com os pneus de chuva. E se deu muitíssimo bem.
 
Logo cravou a melhor marca e, na sequência, encaixou uma volta sensacional: 1min49s327, 1s346 melhor que Rosberg, o segundo colocado.
 
Vettel ficou a 1s462, em terceiro. Sutil larga em quarto. Na terceira fila, Hulkenberg e Kubica. Na quarta, dois velhos amigos, Barrichello e Schumacher. Kobayashi sai em nono, com Liuzzi em décimo.
 
"Brilhante", disse o engenheiro de Webber pelo rádio. Sim, tem razão. 
 
Saindo na frente, com um bom carro, Webber é candidato, sim, à vitória. Se chover, ainda terá a vantagem de não levar o spray na cara. 
 
Notem que escrevi "candidato à vitória", não "favorito". Porque falar em favoritismo num lugar sujeito a chuvas tão instensas, tão abruptas, é complicado. Lembrem do que aconteceu em 2009.
 
A corrida está aberta.

Escrito por Fábio Seixas às 06h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sobre Kubica, Massa e a Ferrari

Este aqui é o artigo da "Autohebdo" que deu o que falar nas últimas horas.
 
E, pelo visto, alguma coisa ficou perdida na tradução.
 
O texto, assinado por Jean-Côme Decroos e Julien Vaillant, não crava que Kubica já assinou um pré-contrato com a Ferrari para 2011.

Literalmente, diz o seguinte: "De acordo com certas fontes, um acordo já teria sido assinado para a temporada de 2011".

A frase está no condicional, e os repórteres atribuem a informação a "certas fontes". Não a bancam. Isso tudo faz muita diferença.

Kubica, em Sepang, nesta sexta (Bay Ismoyo/France Presse)
 
Kubica é um excelente piloto, dos melhores, e tem mesmo o estilo da Ferrari. Pode até pilotar para a escuderia em 2011. Por que não? O contrato de Massa acaba em dezembro e tanto ele como a equipe têm o direito de buscar o que acharem melhor.

Mas daí a dizer, em abril, que já há um papel assinado com o polonês, soa exagero típico da "silly season". Vale lembrar que, em 2008, a "Autosprint", na mesma época do ano, cravou que Vettel seria o companheiro de Raikkonen no Mundial seguinte...

Escrito por Fábio Seixas às 14h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Fala, Massa

"O treino hoje foi para a gente experimentar e ver como o pneu se comporta pensando na corrida, não na classificação. Meu trabalho hoje foi fazer várias voltas seguidas (...) O aquecimento não deve ser um problema, até porque com o tanque cheio, o pneu funcionou bem, então deve ser melhor que na Austrália."

Este, Massa, falando aos repórteres brasileiros em Sepang.

Massa, nos boxes de Sepang (Srdjan Suki/France Presse)

Para ouvir mais, para ouvir também Di Grassi, Barrichello e Bruno, é só clicar no Tazio.

Escrito por Fábio Seixas às 14h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sepang, 1º e 2º treinos livres

Hamilton de manhã, Hamilton à tarde.
 
Pela manhã, 1min34s921. À tarde, 1min34s175.
 
Em comum, também, o calor e a pista seca. Nesta condição, o óbvio é dizer que Hamilton está na frente, solerte, absoluto.
 
Mas há duas más notícias para o inglês.
 
A primeira, Vettel andando bem na sessão vespertina, a 0s266. 
 
A segunda, a previsão cada vez mais forte de chuva a partir de amanhã. Esta joga para o espaço qualquer trabalho ou prognóstico desta sexta-feira _o consolo para Hamilton é sua notória habilidade no molhado.
 
Pela manhã, Rosberg ficou com o segundo tempo, a 0s185. Buton foi o terceiro, seguido por Schumacher, Kubica, Webber, Sutil, Alonso, Vettel e Buemi. Massa foi o 11º.
 
Barrichello, o 18º. Di Grassi ficou em 21º e Senna foi o 23º e penúltimo.
 
À tarde, Rosberg foi o terceiro, seguido por Button, Schumacher, Kubica, Alonso, Buemi, Petrov e Sutil. Massa foi o 15º, com Barrichello logo atrás. Di Grassi ficou em 22º e Senna foi o lanterna.
 
Mercedes, Renault e Alonso, portanto, andaram bem nas duas sessões. Será que o restante passou a sexta pensando na chuva? É um hipótese que não pode ser desconsiderada.
 
Enfim, parece que tudo está mais nas mãos de São Pedro. E dos engenheiros rápidos e precisos nos acertos. E, parece, dos pilotos bons na água. 
 
Amanhã saberemos. 

Escrito por Fábio Seixas às 04h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Flávio Araújo

Outro dia, coloquei um link aqui para uma notícia do site Ribeirão Preto Online, que trazia boas informações sobre a corrida de Stock na cidade.
 
Pois hoje, recebo este delicioso e surpreendente e-mail do Silvio Américo de Araújo, gerente de operações comerciais do site: "Gostaria de agradecer os elogios ao nosso site Ribeirão Preto Online em seu blog. É um gás tremendo para equipe ver seu trabalho reconhecido e sendo elogiado. Aproveito e te mando um link com um áudio raro do, hoje nosso colunista, Flávio Araújo, que também é meu pai, e teve o privilégio de narrar dentre tantas coisas, os títulos na F1 de Emerson Fittipaldi e a 1ª  vitória do Nelson Piquet durante os 25 anos em que foi locutor da Rádio Bandeirantes. E se vier cobrir a Stock já fica um convite para um chopp você sabe onde."

O histórico Flávio Aráujo, aqui no blog? Uma honra! Para ouvir a narração da vitória de Piquet em Long Beach, façanha que completou 30 anos na última terça-feira, é só clicar aqui.

Ao Silvio e ao Flávio, um grande abraço. Espero encontrá-los em breve, vocês sabem onde.

Escrito por Fábio Seixas às 16h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tudo molhado

Fim de tarde em Sepang, nesta quinta-feira...
 
(Vivek Prakash/Reuters)
 
(Saeed Khan/France Presse)
 
Na quarta, diga-se, foi a mesma coisa.
 
Ufa. Vem corrida boa por aí.

Escrito por Fábio Seixas às 14h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Allons enfants!

A Michelin está perto de voltar à F-1, diz a "Autosport".
 
Mas não como fornecedora única. Porque, desde sempre, a fabricante francesa diz que só vê sentido em fornecer pneus para uma categoria se houver uma concorrência com outra marca.
 
Ou seja, para ter a Michelin, a FIA terá que rasgar o regulamento que prevê fornecimento único e arrumar pelo menos mais uma marca.
 
Hankook e Kumho, duas fábricas sul-coreanas com pretensões de expansão global, são cotadas para serem o saco de pancadas que permitirá o retorno dos franceses. 

Escrito por Fábio Seixas às 14h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

1º de abril

Em Sepang, questionado se está preocupado com a falta de confiabilidade do equipamento da Red Bul, Vettel lançou: "Não, não mesmo."
 
Que dia é hoje mesmo? Ah, tá bom...

Escrito por Fábio Seixas às 13h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pechincha

A Ferrari do pai do Cameron, amigo do Ferris Bueller, está à venda.
 
E é baratinha. Até porque não é uma Ferrari. É uma réplica.
 
"Curtindo a Vida Adoidado", um clássico dos anos 80, tinha orçamento baixo. Daí, a decisão dos produtores de lançar mão de uma réplica da Ferrari 250GT Spyder California.
 
Uma original custa cerca de US$ 10 milhões. A réplica famosa, equipada com motor Ford V8 de 4,7 litros e câmbio automático, deve sair por cerca de US$ 67 mil no leilão marcado para o mês que vem, segundo estimativa dos organizadores.
 
Aos nostálgicos endinheirados, o site da casa de leilões Bonhams é este.

Aos nostálgicos mais modestos, algumas cenas clássicas com a réplica nas imprudentes mãos de Ferris, nosso herói... 

A dica foi do Mauro Oliveira.

Escrito por Fábio Seixas às 17h50

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bota da vez

De vez em quando, algum piloto brasileiro chama minha atenção.
 
E o bota da vez é o curitibano Gabriel Dias, 19, que inicia no sábado sua segunda temporada na F-3 inglesa.
 
Em 2009, correu na National Class, a segunda divisão. Foram 8 vitórias e 15 poles em 20 corridas e o vice-campeonato. Ele corria por uma equipe mediana, a T-Sport. O campeão, Danie McKenzie, estava na Fortec.
 
Em 2010, Gabriel vai correr na divisão principal pela Hitech, uma das melhores equipes do campeonato.
 
Fiquemos de olho.

Escrito por Fábio Seixas às 17h23

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

Dormir é para os fracos.

Segue a programação do GP da Malásia, no horário de Brasília:
 
Quinta-feira
23h-0h30:  1° treino livre
 
Sexta-feira
3h-4h30: 2° treino livre
 
Sábado
2h-3h: 3° treino livre
5h-6h: treino oficial

Domingo
5h: GP da Malásia, 56 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 15h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Maratona

Só nesta quarta-feira, Schumacher andou com o carro da Mercedes na região das Petronas Towers, participou de uma sessão de autógrafos, concedeu entrevista coletiva para a imprensa local.
 
Talvez tenha feito mais, isso foi o que descobri apenas pelas fotos que chegaram à Redação.
 
Trabalho de piloto não é só sexta, sábado e domingo de GP. Na verdade, essa é a menor parte.
 
Schumacher concede entrevista em Kuala Lumpur, nesta quarta (Srdjan Suki/Efe)
 
A dúvida é: será que Schumacher não vai se encher logo de tanta atividade extrapista?

Escrito por Fábio Seixas às 14h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mão aberta

É uma atitude tão rara em se tratando de F-1 que beira o inacreditável: Nick Wirth, projetista da Virgin, responsável, portanto, pelo erro de cálculo no tanque de combustível, disse que sua empresa que vai pagar pelos ajustes necessários.
 
"Quem projetou o carro fomos nós. Não tem nada a ver com os fornecedores de motor ou gasolina. Ou seja, vamos consertar o problema e não vamos cobrar nada da equipe", disse.
 
Além de o tanque ser menor do que o necessário, há também um defeito no pescador de gasolina que força Di Grassi e Glock a disputarem o treino oficial com mais combustível que seus adversários.
 
"A culpa é nossa. Não fizemos um bom trabalho. Em treino oficial, temos que conseguir usar até a última gota da gasolina, mas não estamos conseguindo fazer isso", completou.

Escrito por Fábio Seixas às 13h15

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Não foi o freio

A Brembo, que fornece freios para várias (todas?) as equipes da F-1, entre elas a Red Bull, nega a hipótese de falha no carro de Vettel em Melbourne.
 
"O motivo da saída do piloto na curva 13 não foi problema no freio, como divulgado por algumas publicações. A Red Bull confirmou que Vettel abandonou o GP da Austrália devido a uma interrupção na transmissão do torque entre o eixo dianteiro esquerdo e a roda", diz a nota.
 
Caso encerrado, pois.

Escrito por Fábio Seixas às 20h50

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Passeio pelo museu (1)

O David Morais mandou hoje o seguinte e-mail: "Domingo, após a prova de F-1 da Austrália, me deu vontade de visitar o museu do Gilles Villeneuve, aqui em Quebec. Não sei se você ja teve tempo de ir lá, mas aqui estão algumas fotos dos  carros e de alguns trofeus do Gilles e do Jacques. Espero que você goste."
 
Não, nunca fui. Mas adorei, David, obrigado.
 
E são tantas as fotos que vou publicá-las pouco a pouco, em tom de desafio.
 
Raramente faço isso aqui, mas a ocasião merece. Então vamos lá: quero ver quem identifica os carros e troféus do pai e do filho famosos.
 
Seguem as duas primeiras:
 
 

Escrito por Fábio Seixas às 16h03

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Agenda cheia

Se existem torcedores da F-1 na Malásia (as arquibancadas vazias nos últimos 11 anos dão direito a essa dúvida), eles estão divididos.
 
Sim, porque a Petronas está na Mercedes.

Mas um malaio é dono de equipe: Tony Fernandes, da Lotus. Mais: Fauzy, o piloto de testes, também é local e deve andar na sexta-feira.
 
Não por acaso, as duas equipes saíram na pole para os eventos promocionais em Kuala Lumpur. O que, pelo visto, não deixou os mais veteranos muito empolgados...
 
Schumacher e Rosberg em evento na Malásia, nesta terça (Ahmad Yusni/Efe)

Trulli, Kovalainen e Fauzy em evento na Malásia, nesta terça (Kamarul Akhir/France Presse)

Escrito por Fábio Seixas às 15h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #139

O Pit Stop de hoje comenta bastante (mesmo) o GP da Austrália, fala sobre as expectativas para a Malásia e traz um naftalina duplo: há exatos 30 anos, em Long Beach, Piquet vencia pela primeira vez e Emerson alcançava seu último pódio na F-1.

O cardápio também tem Indy e Stock.
 
Lá vai...

Escrito por Fábio Seixas às 13h41

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

O traçado de Ribeirão

Num belo furo, o Bruno Vicaria, do Tazio, descobriu o layout da pista planejada por Ribeirão Preto para receber a Stock Car.
 
Achei o desenho bem estranho. Mas, como o Anhembi escancarou pela enésima vez, só dá para conhecer uma pista de rua com carro na pista.
 
O traçado está aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 12h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Mudança súbita

Hamilton mudou o discurso.
 
Depois de criticar duramente a decisão da McLaren de chamá-lo para um segundo pit stop em Melbourne, agora diz que "entendeu" a estratégia.
 
"A equipe me explicou as razões por trás daquele segundo pit, e agora entendo que eles estavam se esforçando para que eu superasse Webber e Nico mais para o fim da corrida. Ainda estamos aprendendo sobre os pneus deste ano e talvez tenhamos superestimado a degradação dos compostos do pelotão da frente. Aprendemos com isso e vamos usar este conhecimento para melhorar ao longo da temporada", disse, segundo o site da "Autosport".
 
"Foi bom ver a equipe celebrando a vitória do Jenson. Vitórias são muito importantes porque unem todo o time e mostram que estamos no caminho certo."
 
É, rolou um puxão de orelha...

Escrito por Fábio Seixas às 18h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

Onde começa um carro e termina o outro?

(Mark Horsburh/Reuters)
 
O clique do fim de semana é de Mark Horsburh, da Reuters.

Escrito por Fábio Seixas às 17h17

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Hidratação

Se algo me faz cogitar ir para a Stock em Ribeirão, está bem representado na foto enviada pela assessoria de imprensa da categoria...
 
O bar Pinguim, ponto turístico de Ribeirão (Carlos Natal/Divulgação)

Escrito por Fábio Seixas às 16h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Nas ruas de Ribeirão

A sexta etapa da Stock Car, marcada para 6 de junho, será em Ribeirão Preto, num circuito nas ruas da cidade.
 
O anúncio foi feito hoje pela prefeita Dárcy Vera e pela Vicar.
 
Não sei mais detalhes, mas em princípio sempre acho bacana corrida de rua.
 
(Depois de publicar o post, encontrei este bom site de notícias da cidade, com algumas informações a mais. Como o orçamento da prova: R$ 7 milhões. No site oficial da Stock, até agora, 15h11, nenhuma linha sobre o assunto...)
 
Aguardemos.

Escrito por Fábio Seixas às 15h05

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

70.000

Coube ao Douglas Celente, às 21h31 de ontem, registar o comentário número 70.000 da história deste blog.
 
Foi uma resposta ao Ecio Silva: "Quando vc diz 'alguém da equipe disse ao Massa para tentar ultrapassar o Kubica, em clara situação para Massa errar' você está sendo irônico? Espero que sim, porque não faz o menor sentido".
 
Neste caso, desculpe Ecio, concordo com o Douglas.
 
Mas este não é um post sobre um discussão pontual.
 
É, sim, um post de agradecimento por tantos comentários bacanas, construtivos, elucidativos.
 
Melhor do que dois olhos são os milhares que dia-a-dia fuçam a internet, encontram informações interessantes, mandam para cá, participam, fazem este blog ser o que é.
 
Ah, sim, há muitos comentários inacreditavelmente mal educados. Mas, ao longo desses anos, o blog tornou este jornalista um sujeito mais tolerante, que não esquenta mais com a grosseria dos outros. Não posso fazer muito se há gente grossa por aí. Só há uma saída: ignorar. 
 
Enfim, obrigado aos que sabem comentar com civilidade. O blog é de vocês.

E vamos aos 80.000!

Escrito por Fábio Seixas às 14h52

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Full Power

Se a temporada 2009 da Indy foi marcada por um equilíbrio histórico, a de 2010 já começa a pender para o lado de Power.
 
Power comemora vitória em St.Petersburg (Chris O'Meara/AP)

Não tanto pela segunda vitória em duas corridas, conquistada hoje em St.Petersburg. Mas pela tocada, pelo estilo, pelo embalo, pela inteligência. Pintou mais um ótimo piloto no cenário do automobilismo mundial.
 
Em tempo: Wilson foi o segundo, com Briscoe em terceiro. O melhor brasileiro foi Casto Neves, em quarto.

Escrito por Fábio Seixas às 14h34

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pílulas do dia seguinte

Hamilton fez uma corrida excepcional. Ponto. Mas saiu-se com um discurso histérico após o GP. Sim, porque durante a prova ele reclamou de desgaste dos pneus. Não sei o que a TV disse, mas quem estava ligado na transmissão das rádios Bandeirantes e BandNews FM ouviu quando traduzimos a mensagem do inglês comunicando à equipe que estava complicado conduzir o carro naquelas condições. Culpar a estratégia depois é fácil;
 
Ainda sobre este assunto, Whitmarsh está nos sites hoje defendendo a segunda parada de Hamilton. "Lewis estava perdendo tempo atrás de Kubica, dava para ver o desgaste do seu pneu traseiro esquerdo, e ao mesmo tempo Schumacher e Webber viravam voltas muito rápidas após pararem pela segunda vez. Com as informações que tínhamos naquele momento, nos pareceu a decisão correta", afirmou;
 
Em resumo, para encerrar este caso, Hamilton saiu com a imagem de bebê chorão. Por outro lado, Button, um cara bacana, que raramente se estressa, venceu pela McLaren logo no segundo GP e passou a noite celebrando com o time. Se Hamilton não mudar esta postura, o carinho e a simpatia da equipe mudarão de lado logo, logo;
 
A imprensa espanhola está achincalhando a Ferrari por não ter mandado Alonso para cima de Massa? Não dou a mínima. Em se tratando de F-1, a maior parte apena torce, não analisa. Mais: reportagem que usa como base comentários de torcedores fanáticos na internet não é exatamente um termômetro preciso dos fatos;
 
Por que Alonso não passou Massa? Segundo o próprio espanhol, porque o ritmo dos dois era bem semelhante. Conhecendo um pouco o bicampeão, sei que ele partiria para cima se houvesse uma mínima chance. Não houve, não partiu. Uma polêmica a menos, portanto;
 
A Red Bull tem o carro mais veloz da F-1, sobre isso não há dúvidas. Já era assim, aliás, na segunda metade da última temporada. Em 2009, porém, a falta de resistência do equipamento, principalmente do motor, tirou as chances de Vettel. Em 2010, a história começa a se repetir. "Não há motivo para entrar em pânico", diz Horner. Ou ele finge bem ou é exageradamente sossegado. Para o bem de Vettel, e do Mundial, torço pela primeira hipótese.

Escrito por Fábio Seixas às 14h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Alerta vermelho

O regulamento da F-1 estipula que cada piloto tem direito a oito motores durante a temporada.
 
A punição para quem extrapola este limite é a perda de dez postos no grid.
 
Melbourne recebeu na madrugada a 2ª das 19 etapas do ano. E 13 pilotos já partiram para o segundo motor: Button, Hamilton, Schumacher, Rosberg, Liuzzi, Sutil, Alguersuari, Buemi, Trulli, Kovalainen, Vettel, Bruno e Di Grassi. Até aí, tudo bem, aconteceu mais ou menos o mesmo no ano passado. É algo típico em começo de temporada.
 
Outros dois piloto, porém, já estão no terceiro motor: Massa e Alonso.
 
É bom ficar de olho. Pode ser um problema grave mais pra frente.

Escrito por Fábio Seixas às 19h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Chove, chuva

A chuva em St.Petersburg (Chris Graythen/France Presse)
 
Choveu forte em St.Petersburg, e a segunda etapa da Indy foi adiada.
 
A largada será às 11h (de Brasília) desta segunda-feira.

Escrito por Fábio Seixas às 17h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Replay

Revi várias vezes o incidente com Alonso na largada e o choque entre Hamilton e Webber no fim da prova.
 
Sobre Alonso: ele foi tocado por Button naquilo que chamamos de "incidente de corrida". Eles estavam disputando posições e, na dividida da primeira curva sobrou pro espanhol, como poderia ter sobrado para o inglês. Enfim, ambos abusaram, mas é do jogo, acontece em corridas.
 
No outro acidente, a culpa foi toda do Webber. Hamilton se lançou na curva para tentar superar Alonso, é fato, mas quem passou do limite foi o australiano, que acertou a traseira do McLaren.
 
Há vários vídeos no Youtube, mas como a FOM logo mandará tirar do ar, não vou indicar aqui. Enfim, é só procurar por lá.

Escrito por Fábio Seixas às 17h26

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A chave da vitória

“Em nenhum momento cheguei a cogitar um segundo pit.”

Button pode não ser um piloto de dar espetáculos, mas é dos mais inteligentes e sensíveis com o carro. Se não soubesse poupar equipamento, não teria vencido a corrida.

Ele parou na sétima volta e aguentou 51 com o mesmo jogo de pneus. Hamilton, por exemplo, fez um segundo pit na 38ª e, 18 voltas depois, já dizia que os pneus estavam na lona.

Junte a ousadia de ser o primeiro a colocar os slicks à essa maneira conservadora de conduzir o carro... Está aí a chave da vitória de Button.

Escrito por Fábio Seixas às 05h13

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

GP sensacional, vitória de Button

Quem ficou acordado, assistiu a um GP sensacional. Uma prova cheia de ultrapassagens, asfalto em diferentes condições, acidentes, estratégias diversas, surpresas, pilotos num domingo inspirado.


E vitória de Button. A primeira pela McLaren, a oitava da carreira, a segunda consecutiva no Albert Park. Kubica foi o segundo. Massa, o terceiro.

 

O GP da Austrália começou com pista molhada, e todo mundo com pneus intermediários.

 

Vettel segurou a liderança, Webber e Alonso bobearam e Massa foi o grande nome da largada: pulou de quinto para segundo. E só porque apostei em Alonso e Schumacher no pódio, um bateu no outro: o espanhol rodou e acertou a asa dianteira do alemão.

 

Alonso roda na largada em Melbourne (Rob Griffith/AP)

 

Mas o grande acidente foi protagonizado por Kobayashi, que perdeu a asa dianteira, ricocheteou no muro, levou Hulkenberg e Buemi com ele. Os três tiveram sorte, o pancão foi forte, as consequências poderiam ter sido piores.

 

Safety car, e relargada na quarta volta.

 

Kubica tentou passar Webber, mas não conseguiu. O australiano pisou fundo e, no embalo, superou Massa, que passou a ser pressionado por Kubica, Rosberg e Hamilton.

 

Na sétima volta, Button decidiu arriscar. Foi para os boxes e colocou pneus slick. Momento chave. Os primeiros metros foram complicados, mas logo ele começou a virar rápido e a F-1 percebeu que aquele era o caminho certo. Resultado: todo mundo nos boxes.

 

Vettel manteve a liderança, e Button recebeu o prêmio pela ousadia: pulou para segundo. Kubica ganhou a terceira posição, seguido por Rosberg e Massa. Penúltimo a entrar nos boxes, Webber despencou para sexto.

 

Na 16ª volta, Webber e Hamilton passaram Massa, mas por pouco tempo. Duas curvas depois, o australiano espalhou, acertou o inglês, e o brasileiro retomou o quinto posto.

 

Seis voltas depois, Hamilton deu o bote novamente e, sem Webber para atrapalhar, superou Massa e foi embora.

 

Vettel? Estava sossegado lá na frente. Na 24ª volta, tinha 5s1 sobre Button. E, talvez reflexo desse sossego, perdeu o ponto de tangência, foi parar na brita, abandonou o GP, deu adeus à vitória. Uma vitória que pode fazer falta no campeonato.

 

Pelo rádio, o alemão disse ter sofrido um problema no disco de freios. Será? Sei não... Pareceu-me mais o típico erro de pilotagem.

 

Button agradeceu, claro, e assumiu a ponta.

 

Logo atrás, Hamilton babava: atacava Kubica de todas as formas, tentando a vice-liderança. Na 35ª volta, porém, o inglês foi para os boxes, trocou pneus, retornou em quinto. E continuou dando show. Escapou da pista, perdeu posição para Webber, mas continuou pisando forte e deu o troco.

 

As posições, então, ficaram estáveis. Na 45ª volta, a zona de pontos tinha Button, Kubica, Massa, Alonso, Hamilton, Webber, Rosberg, Liuzzi, De la Rosa e Barrichello.

 

De pneus mais novos, porém, Hamilton e Webber estavam a fim de agito. Viravam 3 segundos mais rápido que a turma da frente e, na 50ª volta, encostaram nas Ferrari. "Não quero saber", respondeu um bravo Alonso, pelo rádio, ao ser informado do forte ritmo do seu desafeto da McLaren.

 

Na penúltima volta, Hamilton tentou com tudo. Não conseguiu. Perdeu o controle, rodou, tocou em Webber pela enésima vez na corrida e ambos foram parar na brita. Bom para Barrichello, que cruzou a linha de chegada em oitavo, com direito a bandeirada do John Travolta.

 

O top 10 no fim, Button, Kubica, Massa, Alonso, Rosberg, Hamilton, Liuzzi, Barrichello, Webber e Schumacher.

 

Kubica, Button e Massa no pódio de Melbourne (Rob Griffith/AP)

 

No Mundial, o líder ainda é Alonso, com 37 pontos. Massa tem 33. Button pula para terceiro, com 31. Hamilton, o quarto, tem 23.

 

E se você preferiu dormir, tente dar um jeito de ver a corrida. O Sportv, por exemplo, mostrará o VT às 15h30. Vale a pena.

Escrito por Fábio Seixas às 04h51

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Deve chover antes da largada, e isso pode jogar todos os prognósticos para o espaço.
 
Mas é preciso dar um palpite. E acho que dá Vettel, seguido por Alonso e Schumacher.
 
E vocês, o que acham? Só não vale apostar depois da largada.

Escrito por Fábio Seixas às 02h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.