Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Abre e fecha

É bem estranho, pra dizer o mínimo, o funcionamento do sistema de duto da Ferrari.
 
Na McLaren, os pilotos usam o joelho para abrir e fechar passagem do ar. Já é complicado.
 
Mas, na Ferrari, é ainda pior: isso acontece com o dorso da mão esquerda. Como se o piloto não tivesse trocentos comandos para acionar no volante a cada volta...
 
Não entendeu nada? Veja o vídeo abaixo...

Obrigado ao Silvio Rodrigues, que mandou a dica por e-mail.

Escrito por Fábio Seixas às 17h48

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Rumo a Indy

Bia vai correr em Indianápolis.
 
Num esquema parecido com o que obteve para a prova de São Paulo, patrocínio da Ipiranga no carro da Dreyer & Reinbold Racing, ela embarca para os EUA na segunda-feira e no próximo fim de semana participa dos treinos para estreantes.

 

"Será a realização de um sonho. Sempre sonhei correr em Indianápolis e desde o ano passado eu já sonhava também estar na prova do centenário da Indy 500. Vai ser uma grande festa e a disputa na pista vai ser muito forte", disse Bia, no comunicado de imprensa.

 

O comunicado só não explica o tamanho do sorriso da Bia ao dizer tudo isso.

 

Mas acho que todos podem imaginar, não?

 

Parabéns, Bia, você merece! Boa prova pra você.

 

Escrito por Fábio Seixas às 16h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Cadê o LAK?

Reparem na base da garrafinha de Bruno Senna.
 
Bruno, no cockpit da Hispania em Barcelona (Luca Bassani/Tazio)
 
"Cadê o LAK?"
 
Quem é LAK? O que é LAK? Por que ele não apareceu?

O instantâneo é do sagaz Luca Bassani. Para ver a imagem um pouco maior, é só clicar aqui.
 
Quem souber sobre o LAK, por favor, esclareça o mistério...

Escrito por Fábio Seixas às 11h58

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Até ele...

Amanhã, na corrida, minha esperança é ter uma performance mais próxima à da Red Bull. Se você está a dois ou três décimos, talvez consiga lutar por vitória, mas se você está um segundo atrás, só pode esperar para não ficar muito longe deles. Em condições normais, eles são os favoritos.
 
Este, Alonso, bicampeão do mundo, correndo em casa, pela Ferrari.
 
Se ele, quarto no grid, está jogando a toalha assim, é porque a distância é mesmo astronômica.

Escrito por Fábio Seixas às 11h42

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sábado, treino, saudade, churrasco, coluna

Ronaldo está ferido. Craque, maior artilheiro das Copas, eleito três vezes o melhor do mundo pela Fifa, foi questionado no meio da semana após a eliminação do seu Corinthians na Libertadores.

"Não vou deixar que parem comigo. Vou parar antes. Quando sentir que não dá mais, que não me divirto mais, aí vai ser a hora de encerrar."  (...) 

Schumacher ficou três anos parado e resolveu voltar. Encontrou uma F-1 bem diferente, com pneus slick, menos apoio aerodinâmico, motores limitados a 18 mil giros. Fez quatro GPs, marcou 10 pontos, 40 a menos que o companheiro, Rosberg.

Mais: em Xangai, sofrendo para entender o comportamento dos intermediários ("muito diferentes daqueles que eu conhecia"), lembrou o "carrinho trapalhão" do meu antigo TCR: foi ultrapassado por um monte de gente, várias e várias vezes.

Pronto, virou uma porcaria, um "ex-piloto em atividade", impressão encampada até por gente gabaritada: para Moss, a época dele passou.

A coluna de hoje traça um paralelo entre duas estrelas do esporte. Dois craques que já passaram por seus momentos de auge mas que, nem por isso merecem ser desprezados como nas últimas semanas.
 
Aliás, o alemão acabou de mostrar isso no treino classificatório em Barcelona. E Ronaldo já cansou de contrariar aqueles que decretaram seu fim de carreira.
 
O texto está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital, pág. D6.

Escrito por Fábio Seixas às 10h37

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Webber e Vettel, para não deixar dúvidas

No segundo treino livre em Barcelona, dobradinha da Red Bull: Vettel e Webber.
 
No terceiro treino livre em Barcelona, dobradinha da Red Bull: Vettel e Webber.
 
No treino oficial em Barcelona, dobradinha da Red Bull: Webber e Vettel.
 
Alguma dúvida?
 
Sobre a força da Red Bull, nenhuma, não dá para ter, os carros de Adrian Newey não dão margens a incertezas. Numa pista que serve como termômetro para avaliar a qualidade dos modelos da F-1, o refinamento aerodinâmico, o equilíbrio motor x chassi, o RB6 deu um banho na concorrência.
 
O treino classificatório para o GP da Espanha foi mera formalidade, serviu para definir a ordem de largada dos Red Bull e o grid da segunda fila para trás.
 
A sessão aconteceu com sol, 19ºC no ar, 37ºC no asfalto. 
 
No Q1, os cortados foram Barrichello, Trulli, Kovalainen, Glock, Di Grassi, Chandhok e Senna.
 
Barrichello? Pois é...
 
"Peguei tráfego. Nosso rádio é ruim, o engenheiro tentou me alertar que na frente tinha um carro muio lento e isso me atrapalhou. Daí, peguei o Bruno na minha frente, que vinha numa volta lenta", explicou à Globo.
 
A lambança não parou na Williams. Os dois carros da Virgin largam na última fila: a equipe, acreditem, atrasou para entregar à FIA um documento sobre a relação de marchas e, com isso, perdeu cinco posições no grid.
 
Quando digo que essas novatas são uma piada, cheias de gente despreparada, é por coisas assim. Pobres pilotos.
 
Ah, sim: os mais rápidos no primeiro bloco foram os Red Bull, com Webber e Vettel. Hamilton foi o terceiro, seguido por Button e Alonso.
 
No Q2, Webber foi de novo o mais rápido, com Vettel em segundo. Button ficou em terceiro, com Hamilton em quarto. Completam a turma da superpole Alonso, Schumacher, Kubica, Kobayashi, Massa e Rosberg.
 
Os cortados foram Sutil, De la Rosa, Hulkenberg, Petrov, Buemi, Alguersuari e Liuzzi.
 
Veio então o Q3, a hora da decisão.
 
Hamilton e Button até tentaram, fizeram os melhores tempos nas primeiras voltas, mas a brincadeira da McLaren acabou quando a Red Bull foi pra pista.
 
Webber logo cravou o melhor tempo, seguido por Vettel. A vantagem de Webber para Hamilton, o primeiro do resto, incrível 1s2. Vettel então superou o companheiro, mas levou o troco logo depois.
 
O dia era do australiano. Foi sua terceira pole na carreira, a segunda nesta temporada. O tempo que lhe deu a primeira posição, 1min19s995. Vettel não conseguiu chegar à casa do 1min19s, fez 1min20s101.
 
Hamilton larga em terceiro. E Alonso, num belíssimo trabalho em casa, sai em quarto. Button é o quinto. Schumacher, pela primeira vez no ano, sai à frente do companheiro, em sexto. Kubica é o sétimo, seguido por Rosberg, Massa e Kobayashi.
 
Lá no começo do post perguntei se havia alguma dúvida sobre a força da Red Bull. Não, nenhuma. Webber e Vettel são favoritíssimos à vitória. 
 
O problema é que só um pode vencer, e a dúvida que surge agora é: o que vai acontecer nesta largada?
 
Só vendo. O GP da Espanha começa às 9h deste domingo.
 
Ah, sim: pode chover, e essa é a única _e ainda assim frágil_ esperança das outras 11 equipes.

Escrito por Fábio Seixas às 10h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lixo sobre rodas

"A tampa do motor está queimando por um motivo que não sei. A parte de trás está soltando e eliminando o pouco downforce da traseira", lançou Bruno, hoje.

Está fácil a vida de piloto da Hispania? É bom o projeto da Dallara?

Escrito por Fábio Seixas às 17h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Além do espelho

A corrida deste final de semana em Barcelona marca a volta dos espelhos retrovisores ao lugar de sempre, juntos ao cockpit.

Peguemos o caso da Red Bull.
 
Na China, o carro de Vettel era assim.

(Philippe Lopez/France Presse)

Na Espanha está assim.

O ar chegará mais "sujo" à asa traseira? Com certeza. Mas os pilotos terão mais visibilidade e, portanto, mais segurança.
 
Daí a decisão da FIA de impor a mudança. Uma decisão acertada, enfim.

Escrito por Fábio Seixas às 11h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Barcelona, 1º e 2º treinos livres

Hamilton, nesta sexta, em Barcelona (Josep Lago/France Presse)
 
Pela manhã, dobradinha da McLaren. À tarde, dobradinha da Red Bull.
 
Vettel, nesta sexta, em Barcelona (Fred Dufour/France Presse)
 
O GP da Espanha é das duas equipes, simples assim.
 
E previsível. Foi o que comentamos no Pit Stop, na terça-feira: Barcelona é um circuito com uma longa reta, curvas de alta e, nessas condições, os dois modelos de aerodinâmica mais refinada do grid saem na frente.
 
Mais: é um autódromo que todas as equipes conhecem profundamente, que raramente produz surpresas.
 
As outras que corram atrás, tarefa bem complicada.
 
Na primeira sessão, Hamilton cravou 1min21s134, 0s538 melhor que Button. Schumacher foi o terceiro, seguido por Webber, Vettel, Rosberg, Kubica, Alonso, Petrov e Kobayashi. Massa foi o melhor brasileiro, em 12º.
 
Na segunda, Vettel cravou 1min19s965, 0s210m melhor que Webber. Schumacher conseguiu o terceiro tempo, seguido por Alonso, Hamilton, Kubica, Rosberg, Massa, Button e Sutil.
 
Notaram algo mais? Bom eu notei Schumacher em terceiro em ambos os treinos, sua melhor sexta-feira em 2010. É a estreia do novo carro da Mercedes, mais traseiro, feito ao gosto do alemão.
 
Coincidência? Não mesmo.

Escrito por Fábio Seixas às 10h54

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A próxima novelinha

A Mercedes inovou. Vejam como ficou a nova entrada de ar para o motor...
 
Detalhe do carro da Mercedes, nos boxes de Barcelona (Xavier Betral/Efe)
 
Futuramente, a mesma entrada pode ser usada para desviar ar para um duto, como no caso da Ferrari. 
Aliás, a pergunta que não quer calar é: como funciona o controle da passagem de ar?
 
Na McLaren, todos já sabem, o sistema é acionado com o joelho do piloto. Mas com a entrada de ar lá atrás...
 
A suspeita é que sensores eletrônicos de pressão, colocados na asa traseira, acionem uma lingueta dentro do duto.
 
Se for isso mesmo, começará outra discussão, sobre o uso da eletrônica para mover um componente aerodinâmico.
 
As equipes alegarão questão semântica, tentarão dar sua própria definição para "componente aerodinâmico", buscarão enquadrar tudo numa brecha do regulamento.
 
E conseguirão. Porque uma delas, afinal, se chama Ferrari.

Escrito por Fábio Seixas às 16h21

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

À moda italiana

O sistema de duto da Ferrari é diferente daquele da McLaren.

O princípio, claro, é o mesmo. Mas a captação do ar acontece na barbatana, logo atrás do cockpit.

Mais fotos e uma explicação técnica detalhada aqui, neste site espanhol. A dica é do Lando Fontes.

Escrito por Fábio Seixas às 20h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Réplica

Já vi o troféu Borg-Warner algumas vezes. E perdi bons minutos olhando as carinhas dos pilotos, procurando este ou aquele.
 
Mas confesso que não sabia que os vencedores das 500 Milhas de Indianápolis levam para casa uma réplica.
 
Agora eu sei, graças ao Cristiano Scorvo, que foi à exposição do Helinho em Ribeirão e que mandou essas fotos.
 
 
 
 
Ao Cristiano, um muito obrigado, um grande abraço.
 
Alguém mais por aqui foi à exposição? Algo a contar? Sabem até quando fica em cartaz?

Escrito por Fábio Seixas às 14h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Tempos difíceis

Falei ontem no Pit Stop que a meteorologia indicava tempo seco em Barcelona.

Mas a Williams, pelo jeito, trabalha com outra possibilidade.
 
"A previsão inicial é de chuva durante a prova", diz Barrichello, na nota divulgada há pouco por sua assessoria. Fiquemos atentos, pois. E com os dedos cruzados.
 
Depois de seis anos na Ferrari e de uma temporada muito boa pela Brawn, ele volta, porém, a sentir as complicações de trabalhar numa equipe que está longe da ponta.
 
"Algumas novidades já vamos utilizar e outras peças vão chegar em cima da hora, provavelmente só no sábado."

Dureza...

Escrito por Fábio Seixas às 12h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Aperto em Ribeirão

Eis o traçado definitivo da Stock em Ribeirão...
 
 
É ligeiramente diferente em relação ao desenho anterior. Basicamente, apenas aumentaram a área entre as duas grandes retas, uma atitude prudente.
 
Mas, peraí... O comunicado oficial diz que a pista tem apenas 2,2 km. E é de rua, o que, por definição, significa aperto.
 
Querem colocar 34 carros de Stock numa pista de rua com 2,2 km de extensão?
 
Minhas expectativas por uma boa corrida começam a ir pelo ralo.
 
A venda de ingressos começa hoje, num quiosque no Ribeirão Shopping e pela internet. Também haverá postos de venda em lojas da Bosch Service, da Goodyear e em postos Esso de Ribeirão e de cidades ali da região, como Franca e Orlândia. 
 
Os preços variam de R$ 80 a R$ 120, com meia-entrada para estudantes.
 
Precinhos salgados, lembra Douglas Santos, no "A Cidade": em outros circuitos, a arquibancada da Stock não passa de R$ 30. O argumento da organização: os altos custos de montagem de um traçado provisório.
 
Ou seja, a conta vai para o torcedor. O que, numa primeira experiência na cidade, no momento de conquistar o coração de um novo público, talvez não seja a atitude mais simpática.

Escrito por Fábio Seixas às 12h01

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

Ufa! Acabaram as corridas na madrugada.

 

Neste fim de semana, tudo volta ao "normal". Pelo menos até o GP do Canadá, em junho _fui checar e, não, o horário da corrida não coincide com o de nenhum jogo da Copa do Mundo.

 

Segue a programação em Barcelona, horários de Brasília:

 

Sexta-feira

5h-6h30, 1º treino livre

9h-10h30, 2º treino livre

 

Sábado

6h-7h, 3º treino livre

9h, treino oficial

 

Domingo

9h, largada

Escrito por Fábio Seixas às 22h36

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Outro passo para a F-3

A F-3 Sul-Americana deu mais um importante passo para resgatar a relevância que teve por anos e anos na formação de pilotos.
 
A TV aberta.
 
Serão oito rodadas de disputa, e a última prova de cada fim de semana será mostrada ao vivo pela RedeTV. A estreia acontece no dia 16, em Brasília.
 
Sem cortes, prometem os organizadores.

Escrito por Fábio Seixas às 19h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #144

O Pit Stop de hoje teve F-1, Indy, MotoGP, F-2. Teve os palpites pra Barcelona. E uma seção Naftalina bem bacana. 

Lá vai...

(Eu já disse que adoro quando o vídeo congela numa cena bizarra como esta?)

Escrito por Fábio Seixas às 15h46

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Só um

A Virgin vai estrear seu novo chassi, aquele com dimensões corretas do tanque de gasolina, em Barcelona.

Mas o time só conseguiu preparar um carro.

A culpa, alega, é do célebre Eyjafjallajökull, o vulcão islandês, que dificultou tanto a volta dos engenheiros para a Inglaterra após o GP da China como conturbou toda a logística de entrega de peças.

"O que deveria ter sido um intervalo de três semana no calendário e uma oportunidade para nos prepararmos para a temporada europeia acabou virando uma corrida contra o tempo graças ao vulcão", disse John Booth, chefe do time.

Agora, a má notícia para os torcedores brasileiros: o tal carro novo ficará com Glock, o mais experiente piloto da equipe.

Di Grassi, pelo menos em Barcelona, continua com o carro velho.

Escrito por Fábio Seixas às 14h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto (e o vídeo)

Lorenzo, ontem: vibração, alívio, desabafo após uma ultrapassagem na última volta.

(Jose Manuel Vidal/Efe)
 
A foto do fim de semana é de Jose Manuel Vidal, da agência Efe.
 
O vídeo do fim de semana, porém, é o do acidente de Ricardo Teixeira durante etapa da F-2 em Marrakesh.

Apesar do voo, o angolano nada sofreu.

Escrito por Fábio Seixas às 13h06

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Passando a régua

Na Indy, ontem, a Ganassi deu sua resposta. Sim, continua a mesma Ganassi de sempre, ótima em ovais. Quem esperava um passeio da Penske no campeonato terá de rever as projeções.
 
Dobradinha: Dixon e Franchitti. Kanaan foi o terceiro. O melhor da Penske foi Helinho, em quarto.

Na MotoGP, hoje, deu Lorenzo, com direito a show: ultrapassagem na última volta, sobre Pedrosa. Rossi foi o terceiro, e o resultado deu a liderança do campeonato ao espanhol da Yamaha.
 
Show que continou após a bandeirada, na comemoração. Deem uma olhadinha no vídeo abaixo.
 
 
Na Stock, na estreia do Velopark, venceu Maurício. Uma prova acidentada, com o paulista pulando para a frente no pit, quando os boxes foram abertos, na 19ª volta.
 
Vi as primeiras voltas da Indy. Vi a largada da MotoGP. Tentei ver a Stock, mas a Globo fez o desfavor de cortar a transmissão da corrida a três voltas do fim.
 
Para cometer algo assim, é melhor não mostrar nada... Se alguém na emissora acha que o público fica satisfeito em ver o começo da prova e perder exatamente a conclusão, sinto informar, mas não é bem assim.
 
E vocês? O que viram (ou não)? Dia corrido aqui na Redação hoje, final do Paulista: a caixa de comentários é toda de vocês.

Escrito por Fábio Seixas às 14h20

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.