Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

O peso da inexperiência

A regularidade valeu o tricampeonato a Franchitti.
 
A inexperiência em ovais custou o campeonato a Power.
 
Assim se pode resumir a batalha pelo título da Indy.
 
Não só em Homestead, nesta noite, mas ao longo da sequência final de ovais.
 
O escocês, que saiu de Sonoma com 59 pontos de desvantagem, terminou a temporada na frente. Na prova final, terminou em oitavo. E viu Power encontrar o muro a 65 voltas do fim e danificar a suspensão.
 
Que Power encare a derrota retumbante como um aprendizado _e o paralelo com Hamilton-2007 é inevitável.
 
É um ótimo piloto, mas ainda verde.
 
Franchitti agradece.

Escrito por Fábio Seixas às 22h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Apoio ao candidato

Com certo atraso, porque a apresentação oficial foi na quinta-feira, este blogueiro declara apoio a um candidato...
 
O Mini do WRC, no Salão de Paris (Boris Horvat/France Presse)
 
O Mini do WRC, no Salão de Paris (Jacky Naegelen/Reuters)
 
O Mini do WRC, no Salão de Paris (Boris Horvat/France Presse)
 
Não, não haverá carro mais lindo competindo na terra ou no asfalto. 
 
A torcida no Mundial de Rali do ano que vem será toda do Mini.

Escrito por Fábio Seixas às 15h30

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lorenzo é campeão

Correu tudo bem com a cirurgia de Pedrosa, que quebrou uma clavícula ontem, no primeiro treino livre em Motegi.
 
Pedrosa chega ao hospital em Barcelona, neste sábado (Andreu Dalmau/Efe)
 
Os médicos não sabem, porém, quando ele voltará às pistas.
 
Resultado: aos 23 anos, Lorenzo é campeão da MotoGP.
 
Um garoto rapidíssimo, que errou muito ao subir de categoria, que foi ajudado neste ano pelos acidentes de Rossi e, agora, de Pedrosa. Mas que mereceu. É um baita piloto.
 
O título está em excelentes mãos.
 
(E nutro a impressão de que a MotoGP terá um novo dono depois que o "Doutor" decidir pendurar o capacete.)

Escrito por Fábio Seixas às 14h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Insônia

Franchitti, nesta sexta, em Homestead (Nick Laham/France Presse)
 
Franchitti cravou a pole em Homestead. Power sai em terceiro. Entre os duelistas pelo título, Dixon. Que vem a ser companheiro do escocês na Ganassi.
 
A diferença, que era de 59 pontos antes da série final de circuitos ovais, caiu mais um pontinho hoje: de 12 para 11.
 
Sei não, mas acho que um certo australiano não vai dormir bem nesta noite.

A corrida acontece às 20h (de Brasília) deste sábado, com transmissão da Band. 

Escrito por Fábio Seixas às 19h40

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Escudeiro

"Espero um Felipe com a faca entre os dentes nas últimas quatro corridas. Quero um Massa forte, que consiga tirar pontos dos rivais. Em Cingapura, ele teve má sorte, mas está em boas condições para vencer. Aqueles que correm pela Ferrari não correm por eles próprios, mas pelas cores da Ferrari. Quem quiser correr por si mesmo terá que enfrentar o seu time."

Este, Montezemolo, em um evento em Paris.

Massa terá situações bem desconfortáveis pela frente.

Escrito por Fábio Seixas às 14h22

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sexta, coluna

Assume um ar contrito ao lembrar da primeira vitória na F-1, que completará 40 anos na quinta-feira. Porque um elemento importante na conquista foi a morte do amigo Rindt, em Monza. E sorri com a lembrança de Chapman jogando a boina para o alto: "Aquele gesto que o vi fazendo tantas vezes... Naquele dia foi pra mim!".
Na hora de ir embora, engata de novo no papo sobre Pietro. "No grid, veio um piloto que estava do lado dele, quase com o dobro da altura, desejar boa sorte. Foi muito engraçado."
Vai embora sorrindo o mesmo sorriso de 40 anos atrás.

A coluna de hoje relata conversas nos bastidores da entrevista com Emerson, na terça-feira.
 
A animação dele com o neto Pietro, 14, que estreou no domingo numa categoria-escola da Nascar, é contagiante.
 
O texto está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital, é só dar um pulinho na pág. D11.

Escrito por Fábio Seixas às 12h41

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Yankee, go home!

Que tipo de sujeito ficaria irritado em poder ver uma corrida de F-1 da varanda do quarto do hotel?
 
Um americano desavisado em Cingapura, claro...

A dica é da Alicia Klein, a autora de "A Máquina", o livro sobre o Schumacher oferecido no link da Livraria da Folha, aí do lado. Ah, sim: o prefácio é deste que vos bloga.

Escrito por Fábio Seixas às 16h43

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Canteiro de obras

Mike Choi, diretor do circuito de Yeongam: "Tudo estará pronto antes de a inspeção acontecer".
 
A inspeção, conduzida por Charlie Whitting, deveria rolar nesta semana. Não rolou, porque não há circuito pronto para vistoriar.

A nova data é 11 de outubro, 13 dias antes da corrida.
 
Esta foto é de segunda-feira. Dá para notar os guindastes, algumas montanhas de cascalho, a falta de zebras e de áreas de escape...
 
Obras no circuito da Coreia do Sul (Lee Jin-man/Associated Press)
 
Ainda acho que vai dar, pelo que vi da organização sul-coreana na minha passagem pelo país, em junho. Mas já não aposto todas as minhas fichas.
 
E você, o que acha?

Escrito por Fábio Seixas às 12h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #158

É sempre especial entrevistar um mito. E foi o que fizemos hoje no Pit Stop.

Simpático, divertido, analítico, Emerson falou de jogo de equipe na F-1, afirmou que prefere esperar 2011 para avaliar a volta de Schumacher, classificou Alonso como o piloto mais talentoso do grid e disse que Hamilton abusa da sorte.
 
Falou mais, muito mais. Sobre Massa, Indy, moto, passado, presente e futuro.
Aprendi. E dei boas risadas.
 
Um Pit Stop marcante, enfim. Lá vai... 

Escrito por Fábio Seixas às 14h17

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Diário de um fiscal (7)

“Ano que vem estarei de volta!”

 

Essa foi a frase mais dita na festa dos oficiais da F-1 logo após o GP. Depois de 4 dias de trabalho, corpo exausto e com os ouvidos ainda zunindo, posso falar que valeu a pena trabalhar neste espetáculo.

 

Tá bom, a corrida não foi tão emocionante. Mas ficar a 3 m dos carros a mais de 200 km/h já fez com que nos sentíssemos recompensados.

 

Chegamos aos Marina Bay Street Circuit ao meio-dia, com 38ºC, umidade alta e sem previsão de chuva. Pelos alto-falantes, a cada 20 minutos vinha uma mensagem: “Atenção fiscais, não esqueçam de beber água.” Com aquele calor, era impossível esquecer.

 

Após um curto briefing, todos fomos para as respectivas posições porque a F-BMW, e logo depois a Copa Porsche, iriam começar. Provas tranquilas, sem maiores problemas.

 

Tivemos um intervalo de 30 minutos e aí veio outra parte recompensadora: pudemos ficar dentro da pista para o desfile dos pilotos.

 

Sobre a corrida: no meu trecho não houve problema algum, mas deu para perceber como os carros da Hispania são pobres em arranque. Você consegue ver Red Bull, Mclaren e Ferrari muito mais ágeis. Bem da verdade, o Alonso quase beijou o muro que eu estava.

 

Já li relatos e críticas (até do Galvão Bueno) sobre o carro que começou a pegar fogo e o piloto precisou apagar. Só para esclarecer: não é por causa de um carro que acabou de parar que o fiscal tem que pular na pista.

 

A ordem vem dos controladores quando há um intervalo de tempo seguro para que os fiscais possam entrar na pista. Se entrarmos com carros ainda por vir, pode gerar um problema ainda maior. Lembrem-se que é um circuito de rua, estreito.

 

Corrida encerrada, dever cumprido e festinha para relaxar ao som de samba do Bloco Singapura (da Malásia)… Era uma mistura medonha de olodum com samba, mas o povo gostou.

 

Não sei nos outros países mas aqui muitas pessoas querem tirar foto com fiscal. Antes da prova foram mais ou menos 20 fotos. Até me senti bonito.

 
 
 

 

Carro mais bonito de noite: Lotus e McLaren, empatados

Carro mais feio de noite, de dia ou a qualquer hora: Hispania

O que ganhei: os 3 macacões que usei durante o evento. Acho até que vou vender 1 deles.

O que perdi: 3 kg.

 

Obrigado, Fábio! Por causa do seu blog, o "Lance!" fez uma matéria comigo.

 

Eu que agradeço, Thiago. E está contratado: esperamos seus relatos em 2011!

 

Para continuar acompanhando as aventuras do Thiago do outro lado do mundo, é só visitar o blog Lah em Cingapura.

Escrito por Fábio Seixas às 12h58

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Caso encerrado (ou não)

Escrevi há pouco que Fernandes e a Lotus haviam chegado a um acordo.
 
Errei. Não chegaram. Deixei-me levar pelo tom otimista do press release.
 
Fernandes e sua turma anunciaram, na verdade, que vão entrar com ação na Justiça inglesa para provar seu ponto: compraram o nome da Lotus Ventures, que era de Hunt.
 
Continua valendo, portanto, a previsão de briguinha boa pela frente.

Escrito por Fábio Seixas às 14h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop especial

Pela primeira vez, um campeão da F-1 sentará na bancada do Pit Stop.
 
Campeão, não. Bi. E da Indy. E vencedor das 500 Milhas de Indianápolis. Duas vezes. Esse rapaz aqui...
 
merson, em exibição com a Lotus em Montjuich, em 2007 (Albert Gea/Reuters)
 
Sim, o convidado desta terça-feira, a partir das 10h30, será Emerson Fittipaldi.
 
Se você quiser mandar já sua pergunta, o e-mail é uolnewsformula1@uol.com.br
 
Você pode também comentar ou perguntar durante o programa, pelo twitter do UOL Esporte.
 
Para assistir, é só ficar ligado no link que será disponibilizado na homepage do UOL. Você também pode assistir pelo twitcam. O link estará no meu twitter pouco antes do programa.

Escrito por Fábio Seixas às 12h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

O senhor na foto é Emilio Botin, presidente do Santander.

Vocês acham que Alonso está com moral na equipe?
 
(Bazuki Muhammad/Reuters)
 
O clique é de Bazuki Muhammad, da Reuters.

Escrito por Fábio Seixas às 11h22

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Diário de um fiscal (6)

Por absoluta falta de tempo, estou postando só agora o relato do Thiago Gomes sobre o início dos trabalhos em Cingapura. Por absoluta falta de tempo dele, imagino, ainda não chegou aqui o capítulo pós-GP.
 
 
 
 
Na sexta-feira começou de verdade nosso trabalho e, diferentemente do que a maioria pensa, não é apenas a Fórmula 1 que acontece no final de semana. Tem também F-BMW e Copa Ásia de Porsche. Essas duas categorias são as que mais nos dão trabalho, pois são pilotos jovens (o mais novo tem 14 anos) com carros muito, mas muito, potentes. Para apimentar, sempre ao meio dia cai um temporal que consegue deixar o asfalto úmido para o resto do dia. Acho até que o Hülkenberg chegou a rodar na minha frente.

Fizemos uma simulação para ver quem será a primeira opção para entrar na pista caso algo aconteça e sim, acreditem, eu fui o mais rápido. Não sei se fico orgulhoso ou preocupado pois, se eu fui o melhor, dá para imaginar o restante da equipe? Enfim até agora, infelizmente, não precisei entrar na pista para pegar pedaço de carro e nem auxiliar piloto após acidente.

Um dos meus desafios foi buscar uma solução para tirar fotos. Solução simples: Fazer amizade com algum espectador e pedir para ele tirar fotos com a minha câmera. Sim, deu certo. O fiscal de costas nas fotos, sou eu.

Ao final de 2 dias, tendo que ficar em pé por 12 horas seguidas, o saldo é: estou quebrado mas super animado para o GP de domingo. A programação será F-BMW, Copa Porsche e Fórmula 1.

Momento "sem noção do dia": uma chinesa pediu para tirar foto comigo e me pergunta qual a minha função. Respondo que sou fiscal de pista e que, caso haja alguma coisa na pista eu teria que entrar para pegar. Ela pergunta: "Você pode jogar alguma coisa para entrar e pegar e assim eu tiro uma foto?"
 
Juro, virei as costas e fui embora.

Escrito por Fábio Seixas às 11h14

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pílulas do dia seguinte

Alonso conquistou um Grand Chelem: pole, vitória, liderança de ponta a ponta e volta mais rápida. A F-1 não via desempenho tão arrasador desde o GP da Hungria de 2004, com Schumacher. Alonso está em excelente forma, embalado, com um carro que melhorou muito. Mas está no oitavo motor, e há quatro etapas pela frente. Por isso, hoje, vejo Webber mais perto do título;
 
Eric Boullier falou publicamente sobre Raikkonen. "Quero Kimi supermotivado para correr conosco. Pode ele ser finlandês, chinês ou franco-suíço, ele tem de provar motivação." Cada vez acredito mais na volta do campeão de 2007;
 
Antes de Cingapura, 24 pontos separavam o líder, Webber, do quinto colocado, Vettel. Agora, a diferença é de 25 pontos, o quinto é Button e falta uma prova a menos. Menos pela matemática do que pelo comportamento apático dos últimos GPs, o campeão do ano passado está fora da briga.
 
Sutil e Hulkenberg foram punidos. E, enfim, Massa passou o alemão da Williams;
 
Em Cingapura, Fernandes anunciou a mudança do nome do time para o velho e bom Team Lotus. Agora, a Proton diz deter os direitos sobre a marca. Briguinha boa à vista;
 
"A inspeção deveria ter acontecido há semanas. Isso não está bom", lançou Ecclestone, em Cingapura. "Estaremos prontos", dizem os organizadores do GP da Coreia do Sul. Pelo que vi em Seul, na minha viagem da Copa, ainda dou crédito aos sul-coreanos.

Escrito por Fábio Seixas às 11h00

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Alonso vence, Mundial embola

Em Cingapura, vitória de Alonso, seguido por Vettel e Webber. Button ficou em quarto, Hamilton abandonou.
 
E, assim, o bolo na luta pelo campeonato ficou ainda mais apertado. Webber lidera, com 202 pontos, 11 a mais que Alonso. Hamilton fica nos 182. Vettel tem 181.
 
Button, com 177, já começa a virar carta fora do baralho.
 
Se sobra emoção no campeonato, faltou um pouco na única corrida noturna do calendário.
 
Na largada, Alonso foi agressivo, jogou o carro para o lado de Vettel, espremeu o alemão no limite da legalidade.
 
Barrichello perdeu duas posições. De resto, poucas mudanças lá na frente.
 
O top 10 na primeira volta, Alonso, Vettel, Hamilton, Button, Webber, Rosberg, Kubica, Barrichello, Schumacher e Petrov.
 
Lá atrás, Massa fez o que disse que tentaria: arriscou na estratégia. Parou nos boxes, trocou os pneus, voltou à pista para tentar algo diferente.
 
Na segunda volta, safety car na pista: Liuzzi parou na pista com a suspensão arrebentada.
 
Boa notícia para Massa, 11 pilotos foram para os boxes, Webber entre eles. Na quarta volta, o ferrarista já era o 15º colocado.
 
Na sexta volta, a relargada. Alonso manteve a ponta e ainda cravou o melhor tempo até então: 1min53s462.
 
Vettel ficou em segundo, mas sem conseguir acompanhar o ritmo do espanhol.
 
Coincidência ou não, na 11ª volta o engenheiro entrou no rádio e pediu para ele tomar cuidado com a temperatura dos freios.
 
Massa, trancado por voltas e voltas atrás de Hulkenberg, também ouviu um alerta: a Ferrari estava preocupada com a temperatura da caixa de câmbio.
 
Então, sejamos francos, a corrida ficou chata.
 
A grande "emoção" tornou-se acompanhar o ritmo de Webber e fazer as contas para ver se ele chegaria ao pódio quando a turma da frente parasse. Seu grande alvo era Hamilton, em terceiro, mas distante de Vettel.
 
O GP só melhorou com a proximidade da janela de pits. Porque Vettel resolveu apertar o ritmo e, na 27ª volta, reduziu sua desvantagem para Alonso de 3s para 1s2.
 
Na 29ª volta, Hamilton parou e perdeu a posição para Webber.
 
Na seguinte, Alonso e Vettel entraram.
 
E não entendi a decisão da Red Bull. Com o carro tão melhor que o do ferrarista, a equipe deveria ter adiado o pit do alemão em algumas voltas.
 
Se alguém quer passar nos boxes, que tente algo diferente. A Red Bull não tentou, dançou.
 
Na 32ª volta, após um enrosco com Schumacher, Kobayashi errou o ponto de frenagem e acertou o muro da curva 18. Bruno não conseguiu desviar e acertou o japonês.
 
Safety car. E Barrichello e Kubica foram para os boxes, fechando a janela de pits.
 
Na relargada, na 36ª volta, o top 10 era Alonso, Vettel, Webber, Hamilton, Button, Rosberg, Kubica, Barrichello, Sutil e Hulkenberg.
 
E foi quando Hamilton, mais uma vez, não segurou seu instinto de arriscar. Tentou tudo numa ultrapassagem sobre Webber e, quando já estava à frente, foi tocado e abandonou.
 
Culpa do Webber, na opinião deste blogueiro. Mas se Hamilton tivesse ficado quietinho, na dele, seu lucro seria maior. Enfim, instinto é instinto...
 
Duas voltas depois, na mesma curva, um acidente bem parecido entre Schumacher e Heidfeld.
 
Os dois casos foram para julgamento dos comissários. E não deram em nada.
 
Dois pesos e duas medidas: em Spa, Vettel teve menos culpa _virou passageiro da perda de pressão aerodinâmica_ e foi punido
 
Enfim, assim é a FIA.
 
Na frente, já que falamos em instinto, Vettel grudou em Alonso. Mas não teve chance de dar o bote.
 
O único a trazer algum agito à corrida nas últimas voltas foi Kubica, que fez um segundo pit após um furo, colocou os compostos moles e saiu passando todo mundo.
 
Deixou Petrov, Massa, Hulkenberg e Sutil para trás, terminou a prova em sétimo.
 
O top 10 na bandeirada, Alonso, Vettel, Webber, Button, Rosberg, Barrichello, Kubica, Sutil, Hulkenberg e Massa.
 
É a quarta vitória de Alonso no ano, a 25ª na carreira. Ele supera Fangio e torna-se o sexto piloto com mais vitórias na F-1, empatado com dois mitos, Lauda e Clark.
 
Sobre os brasileiros, belíssima corrida de Barrichello, péssimo domingo para Massa, que vai sonhar com a asa traseira do Hulkenberg. Bruno errou, e Di Grassi pelo menos conseguiu levar o carro até o fim.
 
E parabéns para a Red Bull, que não inverteu posições. Não deveria ser mérito ou motivo de aplausos, mas é. Legal de ver.

Escrito por Fábio Seixas às 11h07

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Corrida com pista seca em Cingapura.

Acho que não muda nada lá na frente. Dá Alonso, Vettel e Hamilton.

E vocês, o que acham?

Escrito por Fábio Seixas às 08h28

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.