Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Sexta, coluna

Então por que a Red Bull não deu a ordem -o que, diga-se, seria compreensível nesta altura da temporada?
Três opções.
A) É movida por valores éticos, morais e esportivos e não se incomoda de, em nome da dignidade, arriscar um campeonato no qual investiu 230 milhões, aproximadamente R$ 534 milhões.
B) Está esperando o cenário ficar mais claro, levando a situação ao limite. Mas, se a coisa continuar assim, a ordem virá logo.
C) Quer que o campeão seja Vettel, o menino de ouro, o garoto em que tanto investiu, alguém perfeito para representar o espírito juvenil da marca mundo afora.
O colunista vai com a C.
Há sete meses, o australiano era apenas um coadjuvante. Mesmo líder, não caiu nas graças da equipe.
E a Red Bull ainda tem o melhor carro. Se Vettel vencer as próximas duas, com Webber em segundo, o Mundial chegará empatado aos Emirados Árabes. Cada um terá 256 pontos.
Muita conspiração?
A ver.
 
Este, um trecho da coluna de hoje.

A íntegra está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital, pág. D11.

Escrito por Fábio Seixas às 14h16

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

O último über-playboy da F-1

Quer uma boa leitura pro fim de semana?
 
Eu aconselho este ótimo perfil de James Hunt no Mail Online.
 
Hunt posa para foto com modelo (Reprodução)
 
Tem trechos ótimos sobre o estilo de vida do último über-playboy da F-1.
 
Um cara que transou com 33 aeromoças nas duas semanas que antecederam o GP que lhe deu o Mundial.
 
Um cara que desembarcou em Londres, após a conquista, bêbado feito um gambá, mas conseguindo ficar em pé.
 
Um cara sobre quem a mãe disse "não é o tipo de homem para casar". E sobre quem Moss lançou "se você tivesse a estampa dele, não faria a mesma coisa?"
 
Um personagem de primeira. Vale a pena.

Escrito por Fábio Seixas às 14h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #160

Excepcionalmente, o Pit Stop desta semana foi numa quinta-feira. Hoje.

Na pauta, Massa, Alonso, Vettel, Webber, Kobayashi, Briatore, Piquet.
 
Lá vai...

 
PS: Houve um problema no player, que talvez seja consertado em algum momento. Por enquanto, assista à íntegra aqui.

Escrito por Fábio Seixas às 14h26

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Rumo à Rússia. Ou não

Ecclestone e Putin, hoje, no anúncio (Sergei Karpukhin/Reuters)
 
A F-1 deve correr na Rússia a partir de 2014.
 
O contrato foi assinado por cinco temporadas. O circuito seria construído em Sochi, e o custo de US$ 200 milhões seria dividido por grandes empresas como Megafon (telefonia), Lukoil (lubrificantes) e Rusal (alumínio).
 
Seria? Pois é... Notaram o condicional? Tem razão de ser: essa não é a primeira vez que um anúncio assim acontece por aquelas bandas.

Numa das últimas vezes, uma máfia dos jogos de azar melou a negociação.
 
Não é questão de torcer contra. Aliás, se a corrida vai sair ou não, para mim, tanto faz. Só torço para, se acontecer, que seja num circuito bom e não nessas porcarias que vivem construindo por aí. É só isso que conta.

Escrito por Fábio Seixas às 12h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O País da F-1

O e-mail e a foto são de autoria do Fernando Marqueto:

"Sou de Ribeirão Preto (SP) e atualmente estou morando em Fortaleza.  Minha esposa, filha e tia vieram me visitar e fomos conhecer as falésias na Praia do Morro Branco, no município de Beberibe (CE).

Acompanho sempre o seu blog, e quando vi esse lugar lembrei de você. Na hora, minha esposa não gostou muito de parar o carro para tirar fotos para enviar para um blog de F-1. Mas, enfim, eu estava no volante. Parei o carro, dei meia volta, deixei todo mundo passando calor no carro e fui tirar a foto..."

Valeu, Fernando. Mostra agora o post pra ela. Diz que você vai ficar famoso. ,Quem sabe a bronca não passa...

Escrito por Fábio Seixas às 14h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Habemus circuitum

Fim da novela: a FIA aprovou Yeongam, e a corrida do dia 24 vai acontecer.

Bom pro Mundial, pros sul-coreanos, bom pro bolso de Ecclestone, claro.

E este último ponto explica muito da aprovação, apesar de o autódromo claramente não estar finalizado.

Escrito por Fábio Seixas às 10h34

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A foto

Desolação.

Massa, após abandonar o GP do Japão (Issei Kato/Reuters)
 
O clique do fim de semana é de Issei Kato, da Reuters.

Escrito por Fábio Seixas às 13h09

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Pílulas do dia seguinte

Para a Ferrari, os treinos classificatórios serão essenciais na disputa do título. "Se fizermos um trabalho melhor do que eles na classificação, já percebemos que podemos batê-los", disse Domenicali. "Eles", claro, são os pilotos da Red Bull. O italiano tem razão. Em ritmo de GP, a Ferrari (a de Alonso, pelo menos) parece bem próxima dos Red Bull. Mas em velocidade pura, em disputa pelo grid, Vettel e Webber ainda sobram. Em 16 etapas, foram 13 poles. Que me desculpem os ferraristas, mas não vejo boas perspectivas de que eles alcancem os rivais nessa condição;
 
O nome do fim de semana foi Kobayashi. Não mediu riscos, não pensou duas vezes antes de tentar ultrapassagens, mandou a bota e chegou em sétimo. Na transmissão das rádios Bandeirantes e BandNews FM debatemos se ele já é o melhor piloto japonês da história da F-1. Acho que ainda não, Sato fez mais. Mas também acho que ele ocupará o posto logo;
 
Massa não desaprendeu a pilotar. Mas quando a fase é complicada, não tem jeito. É esperar passar. O problema é que há corridas no calendário para disputar. E que há um chefe na equipe pedindo publicamente para o brasileiro tirar pontos dos adversários de Alonso. Massa, mais do que ninguém, deve estar torcendo para esta temporada acabar;
 
Vale a pena ouvir as explicações de Massa no Tazio. "Comecei a pegar o vácuo do Rosberg, tentei virar um pouco o carro pra esquerda mas tinha um Force India ali. Achei um espaço do lado direito, coloquei o carro do lado direito, mas o Rosberg antecipou a curva e fechou o espaço. Entrei na grama, peguei a zebra e ela me jogou pra esquerda. Acabei batendo no Liuzzi. Foi uma pena." É meu diagnóstico também. Acidente de corrida;
 
Webber tem sua matemática particular. Acha que, com mais uma vitória, coloca a mão na taça. Conta, é claro, em manter a regularidade de chegar ao pódios nas outras corridas. Faz sentido;
 
Charlie Whiting inspeciona nesta segunda-feira o circuito de Yeongam. A foto abaixo foi feita hoje. Vai ter GP no dia 24.
 

Escrito por Fábio Seixas às 12h55

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lorenzo, 23, campeão

Lorenzo comemora o título em Sepang (Ahmad Yusni/Efe)
 
Jorge Lorenzo Guerrero, 23, espanhol de Palma de Mallorca.
 
Campeão das 250 cc em 2007. Estreante agressivo na MotoGP em 2008. Campeão da MotoGP em 2010.
 
Neste domingo, em Sepang, ele precisava apenas de um nono lugar para conquistar seu primeiro título.
 
Foi terceiro, atrás de Rossi e Dovizioso.
 
Comemorar um título no pódio, afinal, é especial.
 
Parabéns, foi merecido. Se é verdade que o espanhol abusou do direito de errar nas suas duas primeiras temporadas na categoria, também é que, neste ano, ele aprendeu a administrar o ímpeto. Deu no que deu.  E não será seu único título de MotoGP, tenho certeza.
 
Em tempo: como que para mostrar ao novo campeão que não está morto, Rossi fez uma das grandes corridas da vida dele. Caiu de 6º para 11º na largada e veio ultrapassando todo mundo até cravar a 79ª (!!) vitória da carreira.

Escrito por Fábio Seixas às 15h09

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vettel, e Mundial afunilado

Em Suzuka, uma corrida que afunilou a disputa do Mundial.
 
Porque Button, na opinião deste blogueiro, já está fora da briga. E Hamilton, quase.
 
Vettel beija o troféu no pódio (Kim Kyung-hoon/Reuters)
 
Vitória de Vettel, a terceira no ano, a oitava na carreira. E um GP não muito emocionante.
 
Um domingo, porém, que começou agitado, com grid definido quatro horas antes da largada.
 
Que teve Di Grassi batendo em plena volta de instalação. Um acidente estranho, na 130R, que destruiu seu carro e as chances de participar da prova.
 
Que teve uma largada agitada. Vettel manteve a ponta. Kubica saltou para segundo. Webber caiu para terceiro.
 
Que teve acidentes.
 
Nono no grid, Hulkenberg largou soltando óleo pra todo lado. Petrov, 13º, se atrapalhou com um carro tão lento à sua frente e bateu.
 
Quase que simultaneamente, Massa, numa largada muito agressiva, escapava da pista ao disputar posição com Rosberg. Quando voltou, já passageiro do carro, acertou Liuzzi. Os dois bateram, abandonaram a corrida.
 
É, 2010 será um ano para Massa esquecer...
 
A corrida ainda estava sob safety car quando Kubica abandonou, na quarta volta, sem o pneu traseiro direito.
 
O abandono do polonês serviu para juntar os cinco candidatos ao título. Na relargada, na sétima volta, o top 5 era Vettel, Webber, Alonso, Button e Hamilton.
 
Sem muita ameaça lá na frente, a notícia ficou um pouco mais pra trás. Com Kobayashi, o dono da casa.
 
Na 14ª volta, o japonês ultrapassou Alguersuari no grampo, numa belíssima manobra. Quatro voltas depois, a vítima foi Sutil.
 
Na 19º volta, Sutil e Heidfeld abriram a janela de pits. Barrichello parou na 21ª.
 
Hamilton entrou na 23ª e voltou exatamente atrás do inspirado Kobayashi. Na 25ª, Vettel e Alonso pararam. Enquanto eles deixavam os boxes, Hamilton passava o japonês no fim da reta. Bonito de ver.
 
Webber assumiu a ponta, mas parou logo depois, na 26ª. A liderança então caiu nas mãos de Button, o único dos cinco a largar com pneus duros.
 
Cabia ao inglês, então, mandar o chinelo, abrir vantagem, construir ali sua corrida. O que não conseguiu.
 
Quando entrou nos boxes, na 37ª volta, tinha apenas 9 segundos de vantagem sobre Hamilton, o quinto.
 
Resultado: a quinta posição acabou com ele, Button.
 
Na 38ª volta, posições reestabelecidas, pois.
 
O top 10, Vettel, Webber, Alonso, Hamilton, Button, Rosberg, Schumacher, Heidfeld, Barrichello e Sutil. 
 
Tudo seguia calmo e tranquilo até que... "Perdi a terceira marcha! Perdi a terceira marcha!"
 
Era Hamilton, pelo rádio, avisando a equipe.
 
Button agradeceu. Encostou e, na 44ª volta, fez a ultrapassagem.
 
No fim do GP, enfim, um pouco de emoção. Com Kobayashi, claro. Passou Alguersuari com direito a totó e, voltas depois, deixou Barrichello e Heidfeld para trás.
 
Rosberg também sentiu o coração bater forte. A quatro voltas do fim, rodou, bateu, abandonou. Aparentemente, um problema na traseira, talvez a roda esquerda.
 
Na bandeirada, o top 10 foi Vettel, Webber, Alonso, Button, Hamilton, Schumacher, Kobayashi, Heidfeld, Barrichello e Buemi.
 
Com o resultado, Webber mantém a ponta do Mundial, agora com 220 pontos. Alonso e Vettel têm 206. Hamilton, 192.
 
Button? Tem 189. Bye, bye.

Escrito por Fábio Seixas às 04h39

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Faltando pouco mais de meia hora pra largada, hora do último palpite.

Dá Vettel, seguido por Alonso e Webber. E você, vai cravar o quê?

Escrito por Fábio Seixas às 02h25

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vettel, pole, só perde para ele mesmo

Parou de chover em Suzuka, enfim.
 
Sol brilhando, pista seca. Não parecia o mesmo lugar do dilúvio da sexta-feira.
 
E faltando cinco horas pra largada, às 22h de Brasília, começou o treino classificatório.
 
Que levou a uma conclusão rápida. A inutilização do sábado foi ótima para a Red Bull. Porque não deu chance de as rivais trabalharem para alcancá-la.
 
Logo no Q1, Vettel mostrou que nada mudou. Cravou o melhor tempo, 1min32s035.
 
Hulkenberg foi o segundo, seguido por Rosberg, Barrichello e Webber.
 
Os cortados, Buemi, Trulli, Kovalainen, Di Grassi, Glock, Bruno e Yamamoto.
 
Veio o Q2. Com dobradinha da Red Bull. Vettel fez 1min31s184 contra 1min31s241 de Webber. Logo depois, as duas McLaren: Hamilton e Button. Alonso foi o quinto. Barrichello, Rosberg, Hulkenberg, Kubica e Schumacher completaram o top 10.
 
Massa? Não conseguiu. Ficou em 12º, foi cortado. Com ele, dançaram Heidfeld, Petrov, Kobayashi, Sutil, Alguersuari e Liuzzi.
 
Isso, dias depois de Montezemolo dizer que confiava no brasileiro para tirar pontos dos adversários de Alonso...
 
E, então, com quase um dia de atraso, veio o Q3, a hora do vamos ver, a luta pela pole.
 
Logo na primeira rodada de voltas, Vettel mandou 1min30s792, com Webber logo atrás, com 1min31s185.
 
Já seria o suficiente. Mas, no finalzinho, ainda fez questão de melhorar: 1min30s785.
 
O alemão cravou a 13ª pole da carreira, a 8ª do ano, a 13ª da Red Bull em 16 etapas neste ano.
 
Webber também melhorou, fez 1min30s853, e sai em segundo.
 
Hamilton ficou em terceiro, mas larga em oitavo por ter trocado o câmbio. Assim, a segunda fila terá Kubica e Alonso.
 
Acho que hoje (ou amanhã, tanto faz, já que não vou dormir) ninguém tira essa vitória de Vettel.
 
A não ser, claro, ele mesmo.

Escrito por Fábio Seixas às 23h03

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.