Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

O que diz a regra...

Inundado com perguntas e intrigado com a questão do "mini-Kers" da Red Bull, fui ler o Regulamento Técnico da F-1.
 
Não há nada que o proíba.

Primeiro, porque o Kers é opcional.
 
Segundo, porque o artigo 9.9, que trata do sistema, só fala sobre transmissão e sobre medidas de segurança.
 
O que acho que poderia pegar é a questão de o equipamento ser carregado nos boxes, já que a regra é clara sobre "energia cinética dispendida pelos freios". Não fala especificamente sobre o pré-GP, mas proíbe carregar o Kers com uma fonte externa nos pits stops. A interpretação poderia ferrar a Red Bull.
 
Mas esse foi o único detalhe que não me pareceu muito claro e talvez não seja assim.
 
Nas voltas de instalação e apresentação, dá perfeitamente para um piloto carregar uma mini-bateria suficiente apenas para a largada. E acredito que tenha sido esta a solução encontrada por Newey.

Escrito por Fábio Seixas às 15h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Herança de Max

(Srdjan Suki/Efe)
 
Na foto acima, D'Ambrosio e Karthikeyan participam do Q1.
 
O indiano, assim como seu companheiro, Liuzzi, não larga amanhã.
 
Neste ano, voltou a regra do 107%, que, claro, só vale para o primeiro bloco da classificação. 
 
Está no artigo 36.3 do Regulamento Esportivo: "Durante o Q1, qualquer piloto cujo melhor tempo exceda 107% a melhor marca alcançada nesta sessão não terá o direito de participar da corrida. Em casos excepcionais, no entanto, que podem incluir o atenuante de um bom tempo alcançado nos treinos livres, os comissários podem permitir a participação".
 
"Não foi o caso da Hispania", disse, curto e grosso, Charlie Whiting, da FIA.
 
Não foi mesmo.
 
A Hispania só conseguiu fazer o carro funcionar no segundo treino livre: Liuzzi saiu dos boxes e voltou, sem fechar volta. No terceiro, mesma coisa para o italiano. Já Karthikeyan deu cinco voltas, a mais rápida delas a 17 segundos (!!!!) do melhor tempo.
 
No Q1, Vettel cravou 1min25s296. A "nota de corte", portanto, era 1min31s266.
 
Liuzzi fez 1min32s978, ou seja, 1s7 mais lento que o limite. Karthikeyan o extrapolou em pornográficos 3s027.
 
(O próprio D'Ambrosio, diga-se, passou raspando, por apenas 0s444.)
 
O grid em Melbourne terá 11 equipes, 22 carros. E acho que será assim pela maior parte da temporada _ou pior, porque a Virgin ficará fora de vez em quando.
 
Uma vergonha, uma pena. A cobiça de Mosley, ao fazer acordo com a Cosworth e só aceitar estreantes que usassem seus motores, começa a feder agora, com a volta do 107%.
 
Em seu agasalho preto e dourado, mesmo reserva, Bruno Senna deve ter tirado 1829182 kg dos ombros neste sábado australiano.

Escrito por Fábio Seixas às 11h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Peso leve

Está explicado porque a Red Bull não usou o Kers no treino classificatório. A revelação está no blog do James Allen e o motivo é genial.
 
Newey fez a equação peso x compromisso e entendeu que não valeria a pena carregar o equipamento e suas pesadas baterias no carro. Nem em corridas.
 
Mesmo sem o "coice" do Kers _e ao mesmo tempo sem o seu peso_, a Red Bull tem carro de sobra para ficar à frente das rivais.
 
O grande problema seriam as largadas. Suponhamos dois carros iguais, um com Kers e outro sem. Na largada, o equipamento confere uma vantagem de cerca de 7 metros ao primeiro. É quase uma posição a mais no grid.
 
Assim, a Red Bull não tem um Kers convencional, como todas as equipes, mas um Kers "peso leve".
 
Literalmente. Um Kers que é carregado nos boxes ou no grid, antes da largada, e que só garante estes 7 metros. É garantir a posição ali e correr pro abraço.
 
Que, pelo jeito, serão vários nesta temporada.

Escrito por Fábio Seixas às 09h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vettel, pole com recorde

Vettel, na entrevista após a pole (Diego Azubel/Efe)

Em Melbourne, uma lavada de Vettel. Pole, com direito a novo recorde do circuito.

E só não foi uma lavada da Red Bull porque Webber, provavelmente enfrentando problemas com o Kers, cedeu o segundo lugar para Hamilton.
 
Um domínio que já se pronunciava logo cedo.
 
No último treino livre, na manhã australiana, Vettel fez o primeiro tempo, 1min24s507, colocando 0s857 em Webber. Hamilton foi o terceiro, seguido por Button. Depois, Petrov e Alonso.
 
O primeiro treino classificatório da temporada começou com um susto para Massa. O brasileiro errou na sua primeira tentativa de volta lançada e teve apenas um "tudo ou nada" para tentar avançar ao Q2, em 11º.
 
Lá na frente, poucas surpresas. O mais rápido foi Vettel, 1min25s296, seguido por Hamilton, Petrov e Alonso.
 
Os cortados, Kovalainen, Trulli, Glock, D'Ambrosio, Liuzzi e Karthikeyan. As Hispanias, com tempos horríveis _o indiano ficou a quase 9 segundos de Vettel_, terão de contar com a boa vontade das outras equipes para conseguirem largar.
 
A FIA pode alegar "motivo de força maior". Mas aí, vem a pergunta: para que criar a regra? Enfim, esperemos.
 
Veio o Q2.
 
E, logo no começo, Barrichello dançou. Errou na tomada de uma curva e, atolado na brita, não teve outra opção a não ser voltar andando para os boxes
 
"Coloquei uma roda na grama, pelo que pude ver no telão, e o carro perdeu a traseira. Erro meu", admitiu o veterano à  Globo.
 
Além dele, foram cortados Schumacher, Alguersuari, Pérez, Di Resta, Maldonado e Sutil.
 
Lá na frente, adivinhem? Vettel, com 1min24s090. Hamilton ficou em segundo, seguido por Webber, Button e Alonso. Massa passou em nono.
 
Enfim, o Q3. E pela primeira vez na temporada a Red Bull deu tudo. O resultado, uma lavada. Das grandes.
 
Vettel conquistou a pole com 1min23s529, novo recorde da pista. Hamilton ficou em segundo, mas bem distante do alemão, a 0s778.
 
Webber ficou em terceiro e disse, logo após o treino, que não usou o Kers "por motivos que serão discutidos dentro da equipe". Ao seu lado, na segunda fila, larga Button.
 
A terceira fila tem Alonso e Petrov. Rosberg é o sétimo. Massa, que rodou de novo, sai em oitavo.
 
Fechando o top 10, Kobayashi, o mito dos mitos, e Buemi.
 
Foi a 16ª pole de Vettel. Com isso, ele supera Massa e fica atrás apenas de Schumacher (68), Alonso (20) e Hamilton (18) na estatística. Ou seja: logo, só terá o compatriota à sua frente.
 
A Red Bull tem o melhor carro, sobre isso não há dúvida. Mas numa F-1 agora tão cheia de novas variáveis, com previsão de três pits por piloto, é difícil dizer se isso vai se traduzir em domínio na prova.

Escrito por Fábio Seixas às 04h36

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Grid enxuto

O melhor tempo do segundo treino, de Button, foi 1min25s854.
 
Multiplique por 107% e o resultado é 1min31s863.

D'Ambrosio (1min32s106) e Glock (1min32s135), os dois pilotos da Virgin, não largariam, fazendo companhia a Liuzzi e Karthikeyan, da Hispania, que terminaram o dia sem tempo.
 
Tendo em vista que a Red Bull segurou ritmo e que a Virgin não deve ter muito mais a dar, são enormes as chances de um GP da Austrália com apenas dez equipes.

Escrito por Fábio Seixas às 12h33

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sexta, coluna

Melbourne-2005. Na primeira entrevista da temporada, Barrichello dizia estar cheio de ser coadjuvante.
"Estou cansando de perder e fico tentando melhorar. Quando achar que o Michael é imbatível, vou pra casa", afirmou.
Em julho, foi para a BAR.
Massa não disse nada parecido agora, até pelo estilo mais reservado -ou mais enquadrado no esquema da Ferrari, como queiram. Mas é fato que vive, neste 2011, situação muito parecida àquela do veterano, seis anos atrás.
Aos 29, Massa está há cinco na escuderia -Barrichello ficou seis anos em Maranello. Chegou a um vice-campeonato, o limite do compatriota, que experimentou por duas vezes o agridoce do quase lá.
Mais do que os números, porém, o que une os dois momentos é a situação dentro da Ferrari.

Massa inicia neste final de semana uma temporada decisiva para sua carreira. E é este o tema da coluna, que traça um paralelo com a situação de Barrichello em 2005.
 
A íntregra está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital, é só navegar até a pág. D7.

Escrito por Fábio Seixas às 10h27

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Melbourne, 2º treino livre

Acredito na dobradinha da McLaren tanto quanto acredito em duendes.
 
Se o primeiro treino livre em Melbourne começou com um enorme shakedown e viu uma briga por desempenho no final, o segundo treino foi uma volta à rotina: equipes pensando no GP, testando isso e aquilo, muitos sem se preocupar com os tempos.
 
O resultado, Button em primeiro, com 1min25s854, 0s132 melhor que Hamilton. Alonso foi o terceiro, seguido por Vettel, Webber, Schumacher e Massa. Barrichello foi o nono.
 
Button, nesta sexta, em Melbourne (Mick Tsikas/Reuters)
 
Não, não dá pra imaginar Vettel largando em quarto. E não, não dá pra imaginar pole de Button.
 
Nem o próprio Button imagina, aliás. "Eu reparei na volta do Vettel. Ele não acionou a asa traseira", contou aos jornalistas, ao fim da sessão.
 
O terceiro treino livre começa à meia-noite. 

Escrito por Fábio Seixas às 08h18

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Melbourne, 1º treino livre

E começou a temporada 2011 da F-1.
 
Agitada. O cronômetro mal havia sido disparado e, a TV nem mostrava a pista, quando aconteceu o primeiro acidente.
 
Aos 40 segundos de temporada, Chandhok, contratado na semana passada como piloto de testes da Lotus, achou o muro. Deve ser algum recorde mundial.
 
Mas, sejamos justos, a culpa não foi dele. O carro deu uma guinada repentina para a direita e o indiano não pôde fazer nada.
 
O treino ficou naquele ritmo de shakedow. Pilotos iam pra pista e voltavam para os boxes, sem completar uma volta.
 
O primeiro a marcar tempo foi Maldonado, depois de 38 minutos. Na sequência, Massa, Sutil, Ricciardo, Webber e Hamilton acordaram e também fecharam voltas.
 
Logo após completar a sua, aliás, Massa levou o primeiro susto do ano. Com a asa traseira aberta, perdeu a traseira do carro e deu um passeio pela brita.
 
Pouco a pouco, as coisas começaram a fluir, os tempos começaram a ser cravados e baixados. E houve até um prévia do que acredito que será o duelo da temporada.
 
Vettel, com o melhor carro, ficou boa parte do treino com o primeiro tempo: 1min27s739. Alonso se esgoelou na pista e ficou em segundo, a 0s010. Mas durou pouco.
 
Webber, nos boxes da Red Bull em Melbourne (Martin Philbey/Efe)
 
Porque Webber voou na última volta possível e cravou o melhor tempo, 1min26s831. Vettel ficou em segundo, com 1min27s158. Alonso ficou em terceiro, a 0s918 do australiano.
 
Um oceano de diferença. Vai ser mais difícil do que a Ferrari imaginava...
 
Rosberg foi o quarto, seguido por Barrichello, Button, Hamilton, Schumacher, Kobayashi e Petrov. Massa foi o 11º.
 
A Hispania, no seu primeiro vexame do ano, não testou. E já queimou um dos quatro serões a que cada equipe tem direito ao longo da temporada _sim, aquela regra trabalhista para poupar os mecânicos.
 
Mas foi bacana.
 
Bacana por rever a F-1. Bacana por ver as novidades, principalmente o funcionamento da asa móvel. Bacana por ver tudo começar de novo, enfim.

Às 2h30 tem mais.

Escrito por Fábio Seixas às 00h04

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Três curvas

Prestem atenção ao esqueminha abaixo...
 
São as últimas curvas do Albert Park. Depois da 16, começa a Reta dos Boxes.
 
Nos dois pontos marcados em vermelho haverá faixas. Na primeira (detection), a FIA vai monitorar a diferença entre os pilotos. Se um piloto perseguidor estiver a menos de 1 segundo do piloto perseguido, será autorizado a acionar a asa traseira na reta a partir da segunda faixa (activation).
 
A Reta dos Boxes é o único ponto da pista australiana em que os pilotos poderão usar a novidade. 

Escrito por Fábio Seixas às 09h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O primeiro mico do ano

E com a volta da F-1, voltam com toda a força os micos que os pilotos têm que pagar por obra de algum gênio do marketing de seus patrocinadores.
 
Hoje, vejam que bacana, levaram Vettel para pastorear e tosquiar ovelhas numa fazenda perto de Melbourne.
 
(Rob Griffith/AP)
 
(Mick Tsikas/Reuters)

E o cara ainda tem que fingir que está curtindo...

Escrito por Fábio Seixas às 09h48

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

Enfim, vai começar a temporada da F-1.
 
Pilotos da F-1 já estão chegando à Austrália, a temperatura do noticiário começa a esquentar, o burburinho só aumenta.

Em Melbourne, hoje, foi o dia da já tradicional exibição de carros pelo centro financeiro da cidade...

(Mick Tsikas/Reuters)

E com esta imagem automobilística, vamos à programação do primeiro GP do ano, no horário de Brasília:
 
Quinta
22h30-0h, 1º treino livre
 
Sexta
2h30-4h, 2º treino livre
 
Sábado
0h-1h, 3º treino livre
3h-4h, treino oficial
 
Domingo
3h, largada, 58 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 10h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

K de Kanaan

Depois de meses de novela, Tony acertou ontem com a KV Racing para a temporada 2011.
 
Um piloto como Tony não merecia ficar fora do grid. Ótimo.
 
A KV é uma equipe muito menor do que a Andretti, mas que já viveu alguns bons momentos. No ano passado, por exemplo, Viso foi terceiro colocado em Iowa _prova coincidentemente vencida pelo brasileiro.
 
Na Andretti, com Marco e Danica na área, Tony era o responsável pelos acertos dos carros. Leva este know-how agora para o novo time.
 
Tony terá muito trabalho em 2011, não será campeão, mas não fará feio.
 
Mais: se a KV crescer neste ano, ficará claro o motivo. Saber crescer nas adversidades é um mérito.

Escrito por Fábio Seixas às 10h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Greve?

Barrichello, dia desses, levantou a bola sobre os riscos de operar Kers e asa traseira móvel em altas velocidades e/ou durante ultrapassagens.
 
Em entrevista ao "Mirror", Vettel foi um passo além. 
 
Disse que os pilotos vão discutir isso em Melbourne e que, unidos, podem até decidir não correr.
 
"Isso não quer dizer, necessariamente, que vamos entrar em greve. Antes, vamos tentar uma solução com a FIA", afirmou o alemão.
 
Greve não vai acontecer, por 1928198 motivos, entre eles a pressão econômica de promotores, emissoras de TV e patrocinadores, personalizada na figura de Ecclestone.

Mas algo precisa mesmo ser feito, e não parece solução tão difícil.

Se a FIA tem tecnologia para, remotamente, liberar o uso da asa traseira na zona de ultrapassagem, também tem para impedir o uso do Kers simultaneamente.

Escrito por Fábio Seixas às 12h38

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Stoner 1x0 Pedrosa

Em Losail, uma corrida (quase) sem surpresas.
 
Stoner faz homenagem ao Japão no pódio (Fadi Al-Assaad/Reuters)
 
Quem acompanhou a pré-temporada sabia que a Honda está muito à frente da concorrência. E isso vai continuar pelas próximas etapas.
 
Vitória de Stoner, um piloto dos mais talentosos mas que às vezes perde pra cabeça. Se ela estiver no lugar em 2011, Pedrosa terá problemas.
 
Ontem foi assim. Depois que foi superado pelo australiano, Pedrosa ainda foi ultrapassado por Lorenzo e precisou se conformar (ou não) com o terceiro lugar _e esta foi a única surpresa da prova.
 
Rossi saiu em nono e terminou em sétimo. O máximo que a Ducati permitiu ontem.

A próxima etapa será em Jerez, no dia 3 de abril.

Escrito por Fábio Seixas às 09h36

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.