Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Sexta, coluna

O paralelo com o título de Button é inevitável. Há dois anos, a esta altura _42% das provas_, ele tinha 26 pontos sobre o vice, Barrichello, e 32 sobre o terceiro, Vettel. As outras equipes corriam para desenvolver seus difusores, mas, sem testes, demoraram para alcançar a Brawn. Quando conseguiram, Button já administrava sua folga.
Alonso, agora, estima que a Ferrari vá levar dois meses até alcançar a excelência aerodinâmica da Red Bull. Mesmo se Newey ficar parado _o que não vai acontecer_, periga de Vettel já ter fechado matematicamente o título até lá.
Houvesse os testes, a reação seria mais rápida e o Mundial, menos previsível.
Se a F-1 se autoproclama "o pico do automobilismo", que acabe com o veto aos testes. Se a ideia é buscar os limites, que extinga todos. Se o marketing é reunir a nata, que cesse a preocupação com custos. Como dizem por aí, "quem não sabe brincar que não desça pro play".

A coluna de hoje na Folha fala sobre (mais) um efeito colateral da proibição dos testes. Quem larga na frente no campeonato dificilmente é alcançado. A regra, estúpida, mina o poder de reação de quem largou atrás.

O texto está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital, é só ir clicando até a pág. D9.

Escrito por Fábio Seixas às 20h29

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Seguindo a receita

Após testes pela Toro Rosso, Ricciardo fará seu primeiro GP em Silverstone, pela Hispania, na vaga que era de Karthikeyan.
 
O cenário é claro. A Red Bull quer dar quilometragem ao australiano e promovê-lo a titular da equipe satélite em 2012. Para isso, alugou cockpit num terceiro time.
 
Foi mais ou menos o que aconteceu com Vettel. O alemão passou algum tempo emprestado à BMW mas, na hora do vamos ver, a Red Bull fez valer o contrato e colocou-o na Toro Rosso.
 
Difícil é o raio cair duas vezes no mesmo lugar. E Ricciardo ainda não mostrou nada que me fizesse lembrar de Vettel.

Escrito por Fábio Seixas às 15h27

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A Pirelli e a Ferrari

A Pirelli anunciou na manhã desta quarta os compostos de pneus que levará para as próximas etapas da F-1.
 
E a Ferrari levou um golpe duro. A fabricante disponibilizará os pneus macios e duros para Silverstone, apesar dos protestos da escuderia nos últimos dias.
 
A Ferrari tentava convencer a Pirelli a não levar os compostos duros. Em Barcelona, onde as opções eram as mesmas, Alonso terminou uma volta atrás dos líderes...
 
Para a Alemanha, a Pirelli levará médios e macios. Os supermacios e os macios serão as opções para a Hungria.

Escrito por Fábio Seixas às 09h41

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #188

O GP da Europa é o principal assunto do Pit Stop desta terça-feira. O programa também fala de Indy, de MotoGP e faz uma homenagem aos 100 anos de Fangio.

Lá vai...

Escrito por Fábio Seixas às 11h31

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Quaaaaaaaase...

Você acha que é bom de volante por conseguir manobrar sem ralar o carro nas colunas da garagem do prédio?
 
Então veja o que Mikko Hirvonen fez com essa árvore no Rali da Grécia...

 

A dica foi do Ricardo Botto. Obrigado!

Escrito por Fábio Seixas às 10h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A Foto

 

"Senhor Ecclestone, eu odeio barulho."
 
Pois é, nem todo valenciano gosta da F-1 por lá. Ontem, antes da corrida, um grupo de moradores da cidade saiu à ruas para protestar...
 
O clique é de Biel Alio, da agência Efe.

Escrito por Fábio Seixas às 14h55

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Pílulas do Dia Seguinte

A bola foi levantada pelo colega Jan Balder, ontem, na transmissão das rádios Bandeirantes e BandNews FM: se Vettel passar as próximas três corridas em casa e um mesmo piloto vencer todas, ele ainda manterá a liderança do campeonato. É um bom termômetro do início arrasador de campeonato do alemãozinho;
 
Whitmarsh diz que está otimista quanto às chances de Button e Hamilton em Silvestone. É, dirigentes têm que dizer isso. Há patrocinadores esperando para serem bajulados. Mas os próprios pilotos da McLaren já deram pistas de que não compartilham da empolgação;
 
A Ferrari pressiona a Pirelli a não levar os pneus duros para Silverstone. "Não estou otimista com os pneus que teremos lá, pois ouvi que podem ser os médios e os duros. Isso pode ser um problema para nós, não só para nós, mas para a maioria das equipes, talvez com exceção de Red Bull e até mesmo a McLaren”, disse Massa, por exemplo. A fabricante já disse que não vai ceder a pressões e que anunciará a escolha na terça-feira;
 
Depois de Brawn ter dito em Valencia que o contrato de Schumacher tem uma opção para 2012, a critério do piloto, Haug afirmou nesta segunda que são três anos e pronto;
 
Eu disse no começo do ano que Kanaan era o melhor piloto brasileiro em atividade. Cada vez tenho mais certeza disso. O que ele fez no sábado é digno de aplausos. E de um contrato melhor em 2012;
 
Não bastasse ter um carro do outro mundo,  a Red Bull ainda organizou uma "festa na piscina" durante o GP...
 

Escrito por Fábio Seixas às 12h29

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vettel, no GP mais chato do ano

Não viu o GP da Europa? Foi passear, aproveitar o domingão, curtir o parque? Fez bem. Não perdeu muita coisa.

A corrida de Valência, oitava etapa da F-1, foi a mais chata do ano, previsível, com pouquíssimas emoções. Uma medida do agito que (não) houve na pista espanhola: nenhum piloto abandonou, os 24 cruzaram a linha chegada.

Vitória, adivinhem de quem? Vettel. Pela sexta vez em oito corridas na temporada. Alonso foi o segundo, seguido Webber.

Vettel comemora a vitória em Valência (Daniel Ochoa de Olza/AP)

Se dá para falar em algum agito na prova, foi na largada...

Vettel e Webber mantiveram as posições. Massa largou bem, chegou a colocar o bico em terceiro, mas Alonso prevaleceu ao fim da primeira sequência de curvas. Hamilton caiu de terceiro para quinto.

O top 10 ao fim da primeira volta, Vettel, Webber, Alonso, Massa, Hamilton, Rosberg, Button, Schumacher, Sutil e Heidfeld.

Com pista livre à frente, o alemão tentou abrir vantagem. Na terceira volta, tinha 2s2 sobre o companheiro. Mas ficou nisso. Red Bulls e Ferraris impuseram um ritmo muito forte na primeira parte do GP, e Vettel não conseguiu respirar nas primeira voltas. Na sexta, apenas 4s9 separavam o líder de Massa, o quarto colocado.

Na 11ª volta, Maldonado abriu a primeira janela de pits. Na 12ª, Heidfeld, Barrichello e Kobayashi pararam. Hamilton e Rosberg foram os primeiros do pelotão da frente a parar, na 13ª.

Webber parou na 14ª. Vettel, pouco depois de dar uma escapadinha de traseira, entrou na volta seguinte, copiado por Alonso. Massa foi o última da turma a parar, na 16ª volta.

O saldo dessa primeira série de pits: Massa perdeu a posição para Hamilton. E mais, perdeu contato com o pelotão.

Na 20ª volta, o brasileiro estava 5s1 atrás de Hamilton. Vettel liderava, com 2s4 sobre Webber, seguido por Alonso e Hamilton.

Mas o espanhol não estava a fim de esperar. E, na 21ª volta, colocou lado a lado com o australiano e fez a ultrapassagem. Uma belíssima manobra, segunda colocação pra ele.

E a emoção da prova ficou por aí.

Na 23ª volta, Hamilton inaugurou a segunda janela de pits, dando a indicação de que iria para uma estratégia de três pits. Vale o mesmo para Webber, que parou na 29ª, Alonso, que entrou na 30ª, e Vettel, que visitou os boxes na 31ª.

Massa? Quando eu imaginava que ele traçava uma estratégia de dois pits _porque isso explicaria o péssimo ritmo no segundo trecho da prova _, ele entrou na 32ª, colocou pneus macios, mostrou que pararia mais uma vez. A Ferrari se atrapalhou no pit? Sim. Mas não foi isso que o jogou para a quinta posição. Aliás, ele não perdeu posição nenhuma nesse erro. O que foi errado, hoje, foi sua absurda falta de ritmo.

Na 35ª volta, o top 10 era Vettel, Webber, Alonso, Hamilton, Massa, Button, Alguersuari, Rosberg, Sutil e Heidfeld.

Com Vettel e Webber todos os ponteiros na mesma estratégia e com as diferenças estabilizadas entre um e outro, a corrida ficou chata. Bem chata, diga-se.

Na 43ª volta, Webber e Hamilton fizeram o terceiro e último pit. Alonso entrou na 46ª, com 19s9 sobre Webber. Foi arriscado, mas deu certo: saiu à frente do australiano, segurou a vice-liderança.

Vettel, com gigantescos 28s4 sobre Alonso, parou na 48ª, fez seu pit, voltou tranquilamente na ponta.

Daí pra frente, velocidade de cruzeiro para Vettel, que ainda cravou a melhor volta na 53ª.

Queria ver a cara do gênio da FIA que achou que derrubaria a Red Bull com a tal acusação do mapeamento do motor.

Hamilton foi o quarto. Massa, em mais um domingo insosso, precisou se conformar com o quinto lugar. Barrichello ficou na 12ª colocação.

É a 16ª vitória de Vettel na F-1. Com isso, supera Hamilton e fica atrás apenas de Alonso (26) e Schumacher (91) nas estatísticas, entre os pilotos em atividade.

No Mundial de Construtores, a Red Bull tem 295 pontos. A McLaren tem 206, contra 129 da Ferrari.

No Mundial de Pilotos, Vettel tem agora 186 pontos, 77 de vantagem para Button e Webber. Hamilton tem 97. Alonso, 87. Massa, 42.

Alguém duvida do bicampeonato?

Escrito por Fábio Seixas às 10h49

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Em Valência, um domingo de sol. Ou seja, não contem com o clima para alguma surpresa na prova.
 
Acho que dá Vettel, seguido por Alonso e Webber.
 
E você, o que acha?

Escrito por Fábio Seixas às 08h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.