Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Discussões à parte, pole da Red Bull

Em Silverstone, um sábado quente nos bastidores e molha-seca na pista.

Com pole da Red Bull, mas desta vez com Webber.
 
Um forte golpe naqueles que lutaram por mudanças no regulamento que derrubassem o time do genial Adrian Newey.
 
Pelo visto não será desta vez...

 
O centro das discussões foi o difusor de ar quente. Depois de proibir o sistema e de voltar atrás, permitindo motor acelerado a 50%, a FIA mudou de ideia de novo e estabeleceu neste sábado um limite de 10%.
 
A Red Bull, claro, chiou e prometeu contra-atacar. A novela terá próximos capítulos, mas só depois de Silverstone _para este final de semana, ficará mantido este limiar de 10%. 
 
A resposta da Red Bull, por ora, veio na pista mesmo...
 
No último treino livre, Vettel mostrou não se preocupar muito com a discussão e colocou ordem na casa. Foi o mais rápido, com 1min31s401, volta cravada a três minutos do fim. Alonso ficou a 0s063, seguido por Webber e Massa.
 
O treino oficial começou com nuvens ameaçadoras sobre Silverstone e todo mundo com pressa para marcar tempo antes da chuva. 
 
Faltando 5 minutos para o fim do Q1, começou a cair água. Quem conseguiu, se deu bem. Quem não conseguiu...
 
Foram cortados Alguersuari, Buemi, Glock, Trulli, D'Ambrosio, Liuzzi e Ricciardo.
 
O mais rápido foi Webber, com 1min32s670, seguido por Maldonado, Massa, Vettel, Alonso, Barrichello, Hamilton...
 
No intervalo pro Q2, a chuva deu uma aliviada. Alguns até foram para a pista com pneus intermediários, mas logo ficou claro que já havia condição para os slicks.
 
Nessa indecisão, nesse vai-não vai, muita gente acabou fondo, se perdendo, desperdiçando tempo.
 
Sutil, Pérez, Schumacher, Petrov, Barrichello, Heidfeld e Kovalainen foram os degolados. O mais veloz foi Massa, com 1min31s640. Webber ficou a 0s033. Depois, Alonso, Button, Rosberg, Vettel, Kobayashi, Hamilton, Di Resta e Maldonado.
 
"Peguei tráfego no final da minha primeira volta, perdi muito tempo e isso danificou minha segunda volta também. Dar a cara pra bater assim, você fica muito lá pra trás. Uma pena", disse Barrichello.
 
No placar interno de grid da Williams, o estreante Maldonado impõe agora 5 a 4 sobre o brasileiro. Mais: as três vezes em que a equipe avançou para o Q3 neste ano foram com o venezuelano.
 
Veio o Q3. E na primeira rodada de voltas, Webber colocou 1min30s399 contra 1min30s431 de Vettel.
 
Quando o alemão se preparava para desafiar o companheiro, viu suas asinhas cortadas pela chuva, que voltou a cair.
 
Alonso larga em terceiro, com 0s608 sobre Massa. Na terceira fila, Button e Di Resta. Maldonado sai em sétimo, com Kobayashi em oitavo. Na quinta fila, Rosberg e Hamilton.
 
É a oitava pole de Webber na F-1, a segunda nesta temporada. A Red Bull mantém a invencilidade em grids: está 100% em 2011.
 
Para a corrida, é a favorita, claro.
 
E querem saber? Dependendo do que acontecer, não duvido nada que o domingo termine com um bem humorado comunicado de imprensa da equipe, informando às rivais que não vai mais brigar no caso do difusor. Porque, no fundo, a Red Bull já sabe que não precisa disso.

Escrito por Fábio Seixas às 10h16

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Silverstone, 1º e 2º treinos livres

Uma sexta-feira molhada e perdida em Silverstone. Porque a previsão para amanhã é de pista seca.
 
Muito pouco, quase nada, do que os pilotos observaram hoje será útil para o resto do fim de semana.
 
O dia só serviu para uma coisa: mostrar que a Red Bull não perdeu terreno. Quando quis, Webber andou bem.
 
Webber e Hamilton em Silverstone, nesta sexta (Ben Stansall/France Presse)
 
Pela manhã, o mais veloz foi justamente o australiano, com 1min46s603, 0s660 mais veloz do que Schumacher, o segundo. Barrichello ficou em terceiro, seguido por Pérez, Massa, Rosberg... A maior emoção foi um pancão de Kobayashi, o mito, na saída da última curva.
 
À tarde, Massa cravou o melhor tempo na última volta: 1min49s967. Rosberg ficou em segundo, a 0s777, seguido por Kobayashi, o mito, Hamilton, Button, Sutil, Di Resta, Barrichello.
 
Vettel? Foi 13º no primeiro treino e 18º no segundo. Mais do que nada, isso mostra que o dia não valeu pra muita coisa...

Escrito por Fábio Seixas às 10h49

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

F-1 sem mimimi (1)

Anda circulando por aí um e-mail com fotos antigas da F-1.
 
São imagens de situações corriqueiras de épocas em que a categoria não conhecia computadores, não era dominada pelo marketing, não vivia em motorhomes de três andares com seguranças na porta, tinha menos empáfia, era menos arrogante.
 
Vou começar a publicar essa imagens aqui. E, claro, aceito novas colaborações.
 
Será nosso protesto silencioso contra a babaquice. Não se trata de ser romântico, utópico ou de fechar os olhos para a realidade. É só uma maneira de dizer: "dá pra ser legal sem tanta frescura".
 
Segue a primeira. Mecânicos da Ferrari batendo um rango nos boxes de Hockenheim, nos anos 70. Reparem nos detalhes...
 
 
Contribuições para o e-mail fabio.seixas@grupofolha.com.br

Escrito por Fábio Seixas às 10h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sexta, coluna

A primeira chance veio em 1977. Rompido com a turma da Wolf, Frank Williams arregimentou alguns colegas, entre eles Patrick Head, e fundou a Williams Grand Prix Engineering, com o belga Patrick Neve como piloto de um velho March vermelho e patrocínio da cerveja Belle-Vue.
Parecia que daria errado quando a equipe caiu nas graças da família Bin Laden -sim, aquela. O dinheiro saudita jorrou. E deu certo.
Três temporadas depois, a Williams ganhava os Mundiais de Pilotos, com Alan Jones, e de Construtores.
Foi a base para anos e anos de sucesso na F-1: mais seis títulos com pilotos e outros oito entre as escuderias.

Depois, veio o acordo com a BMW, uma aliança em que tudo deu errado. Agora, com a Renault, Frank Williams vê pela terceira vez a luz no fim do túnel. É este o mote da coluna de hoje.

A íntegra está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital e no bom e velho papel, a coluna está na pág. D7.

Ah, sim: a coluna traz o link para um belo vídeo sobre o Silverstone Wing, o novo complexo construído no paddock do circuito inglês.

Veja aqui...

Escrito por Fábio Seixas às 09h33

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Na geladeira

Uma coisa puxa a outra. Ou, às vezes, uma coisa empaca a outra.
 
Webber deve ficar na Red Bull, o que deixaria Hamilton na McLaren. Schumacher disse hoje que cumprirá seu contrato com a Mercedes até o fim.
 
Massa, portanto, não teria para onde correr em 2012. Parece mais lógico imaginá-lo mesmo na Ferrari, em que pese o fato de que haverá um Alonso cada vez mais prestigiado por lá.
 
E assim, a silly season aterrisa pouco depois de decolar. O paddock de Silverstone há tempos não era tão gelado em termos de especulações do mercado.
 
Mudanças, mesmo, só do pelotão do meio pra baixo. E, sejamos francos, isso não empolga muito.

Escrito por Fábio Seixas às 18h35

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

E a F-1 chega ao renovado circuito de Silverstone.

 

Novos prédios, mudanças no traçado, novo pitlane, novo paddock... Foram R$ 70 milhões bem gastos.


(Enquanto isso, a reforma na Curva do Café não saiu do papel, como esperado.)

Segue a programação, no horário de Brasília:

Sexta-feira

5h-6h30: 1o treino livre

9h-10h30: 2o treino livre

 

Sábado

6h-7h: 3o treino livre

9h: Treino oficial

 

Domingo

9h: GP da Inglaterra, 52 voltas 

Escrito por Fábio Seixas às 12h19

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Lotus-Renault, não mais

Com o anúncio do contrato Williams-Renault, comentou-se por aí que a fábrica francesa forneceria motores para quatro equipes em 2012.
 
Errado. Este blogueiro apurou que serão três: Williams, Lotus e Red Bull.
 
A Lotus-Renault, preta e dourada, usará Cosworth a partir do ano que vem.
 
Perderá não só sobrenome mas a atenção especial que a Renault lhe devotava. Será o rompimento oficial da marca francesa da estrutura que carregou seu nome após a saída da Benetton da F-1.

A partir de 2012, toda essa atenção, com ares de parceria técnica mais sólida, estará voltada para a Williams.

Escrito por Fábio Seixas às 11h12

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #189

Há exatos 30 anos, um piloto conquistava sua primeira vitória na F-1. Um certo Alain Prost. Este é o tema do quadro "Naftalina" desta semana, com belas imagens daquela prova em Dijon.

O programa também fala bastante do acordo Renault-Williams, com um vaticínio que já começa a se concretizar: Barrichello vai querer ficar na equipe.
 
Ainda estão no cardápio Silverstone, Hispania, Virgin, McLaren, Stock e MotoGP.
 
Lá vai...

Escrito por Fábio Seixas às 11h09

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Williams-Renault

E saiu o anúncio da Williams. Uma novidade com gosto retrô.
 
A equipe inglesa assinou com a Renault e voltará a usar os motores franceses na próxima temporada. O contrato é válido por dois anos, com opção de prorrogação para 2014 e além.
 
Damon Hill e sua Williams-Renault nos treinos para o GP da Alemanha de 1995 (Thomas Kienzle/AP)

Williams-Renault é um binômio de sucesso. As duas marcas estiveram juntas de 1989 a 1997, o que resultou em quatro Mundiais de Pilotos e cinco de Construtores.
 
É verdade que, ao perder a Renault, a Williams entrou num espiral de decadência. Mas não é garantido que, ao recebê-la de volta, voltará àquela fase. Os tempos são outros e, na opinião deste blogueiro, o pecado de Frank foi não ter se associado a uma montadora _o relacionamento com a BMW era um inferno.
 
De qualquer forma, é uma ótima notícia para uma equipe histórica, vencedora e simpática. Os motores Renault são um grande salto em relação aos Cosworth. Não tem como piorar.
 
Isso vai convencer Barrichello a querer ficar? Acho que sim.

Escrito por Fábio Seixas às 11h56

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Semana quente

A semana começa agitada na F-1.
 
Nesta manhã de segunda, a Virgin anunciou parceria técnica com a McLaren, dispensando Nick Wirth, aquele mesmo que revolucionaria a categoria dispensando o túnel de vendo e trabalhando apenas no computador.
 
É, eu vi a revolução...
 
A Wirth Racing Technologies, em Banbury, foi incorporada à equipe e servirá de base para seu futuro centro tecnológico. Em 2012, o time continuará com motores Cosworth.
 
Ainda pela manhã, mais novidade com outra nanica. O grupo de investimentos Thesan Capital comprou as ações de Jose Ramon Carabante e assumiu o controle da Hispania. Uma das primeiras medidas dos novos controladores deve ser a dispensa de Colin Kolles, o chefe do time.
 
É o tipo de decisão que pode ter impacto no mercado de pilotos. Só espero que a tal Thesan mostre algum comprometimento com o esporte. Sim, a F-1 é um negócio, mas sou sempre reticente à entrada de grupos sem nenhum histórico afetivo com o meio.
 
Parou por aí? Parece que não.
 
A Williams promete um anúncio ainda hoje à tarde. Por enquanto, há um enorme mistério e milhares de especulações. Aguardemos alguma informação concreta.

Escrito por Fábio Seixas às 09h44

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.