Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Vettel, uma pole brigada

Vettel ressurgiu.
 
Após dois GPs fora da primeira posição no grid, conquistou a pole para o GP da Hungria.
 
É sua 24ª pole na carreira, a 8ª do ano e talvez uma das mais brigadas. E mais significativas. Porque, desta vez, enfrentou concorrência forte.
 
Hamilton ficou a 0s163. Button, a 0s209. Passou longe da moleza das poles do início da temporada.
 
Pela manhã, no terceiro treino livre, Vettel voltou a liderar a turma, lembrando a todos que não estava morto.
 
Marcou 1min21s018, 0s301 melhor que Alonso. Button foi o terceiro, seguido por Webber, Massa, Rosberg, Hamilton, Schumacher...
 
O treino classificatório começou com 22ºC no ar, 29ºC no asfalto e muito vento.
 
No Q1, Alonso foi o mais veloz, com 1min21s578, 0s058 melhor do que Hamilton. Vettel ficou em terceiro, a 0s162. Depois vieram Button, Massa e Webber.
 
O pessoa da frente, com os pneus mais duros. Ou seja, sinal de que ainda tinham tempo para tirar.
 
Entre os degolados, nenhuma surpresa: Buemi, Kovalainen, Trulli, Glock, Liuzzi, Ricciardo e D'Ambrosio.
 
No Q2, já foi hora de muitos optarem pela tática de segurança e usarem os supermacios. Quase todos os da frente fizeram isso. Quase. Porque Hamilton avançou com os mais duros. Mais do que um trunfo, um sinal de força.
 
Novamente, Alonso foi o melhor. Seu tempo, 1min20s262, 0s316 à frente de Button. Webber foi o terceiro, seguido por Vettel. Fechando o top 10, Massa, Hamilton, Rosberg, Schumacher, Sutil e Pérez.
 
Ficaram pelo caminho Di Resta, Petrov, Kobayashi, Heidfeld, Barrichello, Alguersuari e Maldonado.
 
O venezuelano nem sequer foi pra pista, guardando pneus para a corrida. Com isso, o placar de grids na Williams agora aponta 6 a 5 para ele.
 
"O botão do Kers ficou apertado na saída dos boxes e desperdicei tudo na volta de instalação. O carro não tem melhorado aquilo que a gente espera, mas não dá só pra falar das coisas ruins. A gente teve uma estratégia de salvar pneus na classificação. Eu salvei dois jogos de pneus moles", disse Barrichello, à Globo.
 
E veio o Q3. Na primeira tentativa, Hamilton quebrou a barreira do 1min20s. Cravou 1min19s978 e liderou o pelotão.
 
A pole seria dele? Não.
 
Vettel foi pra pista e fez 1min19s815. Hamilton até voltou pra tentar melhorar, mas não conseguiu. Alonso não só não conseguiu como, pela primeira vez no ano, ficou atrás de Massa.
 
O top 10, portanto: Vettel, Hamilton, Button, Massa, Alonso, Webber, Rosberg, Sutil, Schumachr e Pérez.
 
Para a prova, o que dá para esperar é uma versão ampliada do treino: briga dura.
 
Pena que o circuito seja ruim. A emoção deve ficar mais nos boxes do que na pista.

Escrito por Fábio Seixas às 10h11

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hungaroring, 1º e 2º treinos livres

Nos primeiros treinos em Budapeste, o mesmo resultado: Hamilton na frente.
 
Hamilton, nos boxes da Hungria, nesta sexta (Srdjan Suki/Efe)
 
O treino da manhã começou com um duelo Hamilton x Button. Vettel depois foi pra pista e cravou o melhor tempo. Mas, faltando 20 minutos, o campeão de 2008 fez 1min23s350, 0s214 mais veloz que o alemão.
 
Atrás deles, Alonso, Webber, Button, Massa, Rosberg, Schumacher, Pérez...
 
Barrichello foi o 14º. Bruno conseguiu um bom 15º lugar _levou 0s762 de Petrov, mas, calma lá, foi sua primeira experiência com o carro desde a pré-temporada.
 
Na segunda sessão, com muita gente empenhada em "long runs", pensando na corrida, Alonso foi o mais veloz enquanto a moda era usar pneus macios.
 
Mas assim que a turma passou para os supermacios, Hamilton garantiu a ponta, com 1min21s018. Alonso ficou a 0s241. Depois, Button, Webber, Vettel, Massa, Rosberg, Schumacher..  Barrichello ficou em 13º.
 
A pista, como sempre na Hungria, foi melhorando ao longo do dia. O pior incidente, uma batida de Webber no primeiro treino, sem grandes prejuízos.
 
É sempre saudável lembrar que a Red Bull não mostra tudo às sextas-feiras. Tem sido assim desde o ano passado. Mais: as coisas não mudam tão rápido assim na F-1 e, no ano passado, a Red Bull fez barba, cabelo e bigode na Hungria.
 
Em outras palavras, não dá pra descartar Webber e Vettel da luta pela pole.
 
Mas, claramente, já dá para prever que Hamilton vai, no mínimo, incomodar.

Escrito por Fábio Seixas às 12h34

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sexta, coluna

Kobayashi contou a história algumas vezes, rindo, no último fim de semana.
Assim que chegou a Nurburgring, deu um presente à namorada: um passeio pelo Nordschleife -por 89, qualquer mortal pode acelerar o quanto quiser nos 20,8 km do anel norte do circuito.
"Entramos na pista e, na primeira curva, ela começou a chorar. Não teve jeito, tive que fazer a volta toda a 60 km/h. Levei quase 20 minutos! E joguei fora o dinheiro das outras três voltas." Piada pronta no paddock.
Ué, quem não choraria?

O melhor japonês da história da F-1, o piloto mais arrojado da categoria e de contrato renovado com a Sauber, é o tema da coluna desta semana. Adoraria vê-lo (como a Kubica e Sutil) num carro de ponta.

A íntegra está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital e na Folha de papel, a coluna está na página D8.

Escrito por Fábio Seixas às 09h47

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

F-1 sem mimimi (4)

Motorhome? Hospitality Center? Energy Station?
 
Hunt e Lauda passaram a mão no prato de arroz com frango e mandaram bala ali mesmo...
 
 
A contribuição veio do Marcelo Pereira, a quem o blogueiro agradece. 
 
(N.B.: Muitos comentários defendem que trata-se de uma montagem. Não sei, tenho dúvidas. E obviamente só comecei a desconfiar ao ler os comentários _se cogitasse isso antes, não postaria. Não vou tirar o post do ar, até porque ele suscita uma nova discussão. Fica aqui o aviso, porém.)

Escrito por Fábio Seixas às 14h32

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

Budapeste continuar no calendário não tem outra explicação que não, digamos, a "proximidade" de Ecclestone com os promotores locais.
 
Um circuito tão ruim, tão pouco usado e tão nonsense que seu único lance memorável aconteceu há 25 anos...
 
 
Depois disso, quase mais nada.
 
Segue a programação da corrida deste final de semana, no horário de Brasília:
 
Sexta-feira
5h-6h30: 1° Treino Livre
9h-10h30: 2° Treino Livre

Sábado
6h-7h: 3° Treino Livre
9h-10h: Classificação

Domingo
9h: Largada, 70 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 10h10

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #192

Dois GPs da Alemanha são temas do Pit Stop. O de 2011, em Nurburgring, com a merecida vitória de Hamilton. O de 1993, em Hockenheim, última vitória de Prost na F-1, é destaque do quadro "Naftalina".

O programa ainda fala de Vettel, Bruno, Stoner, Power...
 
É clicar e assistir.

Escrito por Fábio Seixas às 11h44

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

A foto

Tragado por um dia maluco, ontem não consegui postar aqui a foto do final de semana.

O clique é de Jon Woitas, da Efe. E acho que dispensa legenda...

(Jon Woitas/Efe)

Escrito por Fábio Seixas às 09h55

Comentários () | Enviar por e-mail | A foto | PermalinkPermalink #

Pílulas do Dia Seguinte

Domenicali: "Lamento por Felipe, que perdeu uma posição no último pit stop: essas coisas acontecem como vimos com tristeza tantas vezes neste ano." É, Domenicali... Entre as equipes de ponta, a Ferrari é a que mais erra nos boxes, disparado. E só lamentar não adianta muito...;

Para Webber, a Red Bull precisa melhorar. "Não fomos rápidos o suficiente. Fiz tudo o que pude, estou contente com meu trabalho na corrida, mas eles tinham um algo a mais. Sabemos no que temos de melhorar", disse o australiano;

Whitmarsh não acusou o favoritismo. "Vettel cometeu alguns erros aqui. Não podemos acreditar que isso vai acontecer sempre, principalmente se lembrarmos do seu início de temporada. Temos que nos concentrar em melhorar em todas as áreas possíveis. O momento ainda não é nosso";
 
De ontem pra hoje aumentou o tom do zunzunzum sobre Senna ocupar de vez a vaga de Heidfeld após o treino de sexta-feira. Nunca é demais lembrar que, semanas atrás, Gerard Lopez, do grupo Genii, esteve no Brasil sondando patrocinadores;
 
Depois de duas corridas seguidas sem cruzar a linha de chegada, Power venceu em Edmonton. Está 38 pontos atrás de Franchitti, faltando sete etapas. Taí um campeonato aberto, escancarado...;
 
Com ataques cirúrgicos contra Pedrosa e Lorenzo na segunda metade da corrida, Stoner conquistou, em Laguna Seca, sua quinta vitória na temporada. O australiano tem agora 20 pontos sobre Lorenzo, faltando oito etapas para o fim da temporada. Taí outro campeonato aberto, escancarado...;

Em Charlotte, Pietro Fittipaldi, 15, largou na pole, liderou as 25 voltas e venceu a etapa de sábado da Whelen All American Series. E assim segue a sina de pioneirismo dos Fittipaldi: é a primeira vitória de um brasileiro em alguma divisão da stock car americana. E foi muito divertido acompanhar o avô babão se derretendo do Twitter;  
 
Villeneuve vai correr a Corrida do Milhão da Stock, em Interlagos, no dia 7 de agosto. É uma excelente promoção para a categoria, claro: sites lá de fora já escrevem sobre isso. O outro lado da moeda é que a corrida será vista com mais atenção pelo mundo. Mais um dos vexames habituais da categoria, se acontecer, terá outra repercussão.

Escrito por Fábio Seixas às 09h53

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Bruno escalado

A Lotus Renault anunciou que Bruno vai andar com o carro na próxima sexta-feira, no primeiro treino livre para o GP da Hungria. Heidfeld ficará de fora.
 
"Queremos ver como o Bruno se adapta ao carro durante uma sessão competitiva de treinos. A partir da segunda sessão de treinos, Nick retorna ao carro por todo o final de semana, ao lado de Vitaly", disse o chefe da equipe, Éric Boullier.
 
"Não é tão frequente você ganhar essas oportunidades com grandes equipes e estou muito grato por essa chance. Espero que faça um grande trabalho e mostre ao time o meu potencial, além de nos ajudar a evoluir", emendou o brasileiro.
 
Analisar F-1, muitas vezes, é juntar peças. E juntando este anúncio com um zunzunzum que vem circulando há tempos, já começo a acreditar que Bruno corre ao menos um GP neste ano. Interlagos.

Escrito por Fábio Seixas às 16h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Hamilton, num GP alucinante

Ufa! Havia tempos a F-1 não tinha uma corrida em ritmo tão alucinante como este GP da Alemanha.

Perseguição intensa, aceleração plena, um show dos três primeiros colocados, Hamilton, Alonso e Webber.

Na linha de chegada, apenas 9s7 separaram o inglês do australiano. E, pela maior parte da prova, a diferença foi menor do que essa...

Uma vitória que começou a ser conquistada nos primeiros metros.

A largada do GP da Alemanha (Kai Pfaffenbach/Reuters)

Luzes vermelhas apagadas, Hamilton fez uma belíssima largada. Pulou para a frente de Webber e segurou a posição. Vettel perdeu terreno, foi ensanduichado pelas duas Ferrari, caiu para quarto.

Os primeiros colocados, ao fim da primeira volta, Hamilton, Webber, Alonso, Vettel, Rosberg e Massa.

Na segunda volta, Alonso deu uma escapada e perdeu a segunda posição. Logo depois, pelo rádio, o engenheiro ferrrista deu uma ordem para Massa. Algo na linha "ou você passa o Rosberg ou sua estratégia de corrida vai pro saco".

O brasileiro fez a primeira tentativa na sexta volta. Colocou o carro lado a lado com a Mercedes, mas perdeu a tangência e continuou atrás.

Alonso não tinha as mesmas dificuldades. Na primeira curva da oitava volta, mergulhou pra dentro de Vettel e ganhou a terceira posição. Duas voltas depois, o alemão voltou a sofrer. Rodou sozinho, perdeu a vantagem que tinha pra Rosberg, mas manteve-se em quarto.

Massa, enfim, passou Rosberg na 12ª volta.

Na volta seguinte, um belo duelo Webber x Hamilton. O australiano passou na reta, mas o inglês deu o troco na primeira curva. Alonso aproveitou e encostou. A diferença entre os três primeiros colocados era de apenas 0s9, sem margem para erro.

Na 15ª volta, Webber inaugurou o pit lane. Hamilton e Alonso pararam na 17ª. Todo mundo se encontrou na saída, mas não houve muita briga.

Vettel os acompanhou e trocou os pneus na sequência. Massa entrou na 18ª. 

Ao fim da primeira janela de pits, Webber era o líder, seguido por Hamilton e Alonso. Massa ganhou a posição de Vettel e, mantendo uma agressividade tão bem-vinda quanto rara, ultrapassou Petrov.

Webber, seguido por Hamilton e Alonso (Dimitar Dilkoff/France Presse)

Na 25ª volta, Button foi o último ali da frente a parar. Ordem reestabelecida, o top 10  era formado por Webber, Hamilton, Alonso, Massa, Vettel, Rosberg, Sutil, Button, Schumacher e Kobayashi.

Com ar limpo à frente, Webber então começou a acelerar, tentando abrir vantagem. Mas Hamilton e Alonso não estavam a fim de deixar. Na 30ª volta, metade da prova, apenas 1s6 separavam o líder do terceiro colocado.

Pelo rádio, Vettel relatava à Red Bull problemas nos freios traseiros. Sua corrida ruim estava explicada.

Coube ao australiano, novamente, abrir a janela de pits. E deu a tônica do que seria a estratégia-padrão no pelotão da frente: colocou novamente os compostos macios, indicando que faria uma terceira parada para colocar os médios. A ideia era prolongar ao máximo a permanência na pista até o último pit.

Na 31ª, Hamilton parou. Na 32ª, Alonso.

E, desta vez, o inglês levou a melhor. Passou Webber no pit e superou Alonso na pista, quando o espanhol deixava os boxes exatamente à sua frente, mas com os pneus pouco aquecidos. Hamilton, Alonso e Webber, a ordem no terceiro trecho da prova.

Na 36ª volta, Button abandonou com problema hidráulico. Rosberg parou na 37ª. Vettel entrou na 41ª. Massa, na seguinte, mantendo-se à frente do alemão, mas tomando sufoco a partir da 50ª volta.

A decisão ficou para a terceira e última janela de pits.

Hamilton parou na 52ª e logo começou a sofrer com os compostos médios. Alonso foi informado, acelerou e entrou na 54ª. Não deu: o inglês manteve a ponta.

As atenções então voltaram-se para Webber. Mas ele não conseguiu abrir vantagem suficiente. Na saída do seu pit, voltou em terceiro.

Restou o duelo Massa x Vettel pelo quarto lugar. Um jogo de marcação em altíssima velocidade, um esperando o outro para decidir o momento de parar.

A Red Bull chama Vettel para os boxes

Como ninguém se decidiu, as paradas vieram só na última volta. E aí a Ferrari fez lambança. De novo. Um mecânico deixou a porca escapar, o brasileiro perdeu tempo e a posição. Vettel cruzou em quarto, com Massa em quinto.

Completando o top 10, Sutil, Rosberg, Schumacher, Kobayashi e Petrov.

Na classificação do Mundial, Vettel tem 216 pontos. Webber é o segundo, com 139. Depois aparecem Hamilton, com 134, e Alonso, com 130. Button tem 109. Massa é o sexto, com 62.

Entre os Construtores, a Red Bull tem 355 contra 243 da McLaren e 192 da Ferrari.

Que Hamilton aproveite muito o fim do domingo. Merece.

Foi uma de suas maiores vitórias na F-1.

Escrito por Fábio Seixas às 11h03

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

O último palpite

Em Nurburgring, faltando pouco mais de 20 minutos para a largada, pista úmida e todo mundo olhando pro céu.
 
Chove ou não chove? Eis a questão.
 
Vou arriscar: dá Webber, seguido por Alonso e Vettel.
 
E você, o que acha? 

Escrito por Fábio Seixas às 08h37

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.