Fábio Seixas

Automobilismo e pitacos sobre tudo o mais

 

Cartão amarelo

Maldonado foi advertido e perdeu cinco posições no grid. Vai sair em 21º.
 
Hamilton levou uma bronca, mas saiu ileso.

Mantenho minha opinião sobre o incidente. Mais uma vez discordo da FIA.

Escrito por Fábio Seixas às 12h59

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Vettel e Bruno, os destaques em Spa

Dizem que Spa separa os homens dos meninos, que premia o talento, que privilegia os pilotos de verdade.
 
Faltava para Vettel brilhar por lá. Hoje ele começou a resolver essa dívida.
 
Vettel celebra a pole em Spa (Ben Stansall/France Presse)
 
Pole para o GP da Bélgica, a 24ª da carreira, empatando com nada menos do que Lauda e Piquet.
 
Uma pole conquistada no limite, nos últimos instantes.
 
Hamilton conquistou o segundo tempo, mas talvez tenha que dar uma palavrinha com os comissários e perca esse posto.
 
Uma pole que coroou um sábado dos mais movimentados naquele pedacinho de lenda encravado no meio da Floresta das Ardenas.
 
Pela manhã, sob um dilúvio, deu Webber _35 anos neste sábado e de contrato renovado até o  fim de 2012.
 
Foi quase um amistoso, um vale-nada. Os pilotos iam à pista, davam uma volta, recolhiam. O tempo do australiano, para registro, foi 2min08s988, 0s058 melhor do que Hamilton. Na sequência, Alguersuari, Button, Vettel, Buemi...
 
Bruno foi o nono. Barrichello, o 16º. Massa, o 23º.
 
O treino classificatório começou com chuva e pista encharcadíssima em alguns pontos da pista, mas com alguns trechos de asfalto seco. Tipicamente Spa.
 
Nessas condições, o plano de todo mundo foi sair logo à pista para garantir tempo.
 
Logo de cara, um presente de grego da Mercedes para Schumacher. A equipe não fixou bem a roda direita traseira, que saiu voando quando ele tentava abrir a primeira volta rápida. Foi parar no muro, larga em último no final de semana em que comemora 20 anos da estreia na F-1.
 
Schumacher dá entrevista após o acidente (Frank Augstein/AP)
 
O mais rápido foi Button, com 2min01s813. Webber ficou em segundo, a 1s014. Depois, Hamilton, Vettel, Alonso, Buemi e... Bruno, mais uma vez andando bem.
 
Di Resta, Trulli, Glock, D'Ambrosio, Liuzzi, Ricciardo e Schumacher foram os cortados.
 
O Q2 começou com mais chuva. E, faltando pouco menos de 7 minutos, foi paralisado: Sutil escapou na Eau Rouge e bateu, forçando uma bandeira vermelha.
 
Quando a sessão foi retomada, aquela fila indiana na saída dos boxes. De novo, a ideia de todo mundo era se garantir. Em Spa, nunca se sabe quando vai pintar um temporal.
 
Com asfalto mais seco, os pilotos foram se revezando no top 10, baixando tempo a cada volta.
 
A decisão veio nos últimos instantes. O mais veloz foi Alonso, com 2min02s768, seguido por Hamilton, Webber, Vettel, Petrov, Rosberg, Bruno, Massa, Alguersuari e Perez.
 
Os eliminados, Buemi, Kobayashi, Button, Barrichello, Sutil e Maldonado.
 
Com um lance inusitado. Depois de se estranharem na última volta lançada, Hamilton e Maldonado se encontraram de novo cruzando a linha de chegada. E bateram.
 
Cada um com sua opinião, já li e ouvi muita gente com visão diferente. A minha é que o inglês mandou o carro pra cima do venezuelano.
 
A meu ver, mais um caso de descontrole de um piloto que é ótimo tecnicamente, dos melhores da atualidade, mas que pira quando alguma coisa dá errado. Pena.
 
Aguardemos o pronunciamento da direção de prova.
 
O Q3, enfim, teve pista mais seca.
 
Com tudo mais normal... Deu Vettel. Na última tentativa, o alemão desbancou Hamilton e levou os mecânicos da Red Bull à loucura.
 
Na segunda fila saem Webber e Massa. Depois, Rosberg e Alguersuari.
 
Bruno, o maior destaque do treino depois de Vettel, sai em sétimo. Um belíssimo trabalho, daqueles de mostrar o cartão de visita. Parabéns.
 
Bruno, neste sábado, em Spa (Thierry Roge/Reuters)
 
(Há 20 anos, um sétimo lugar no grid de Spa rendeu a um certo alemão olhares atentos de toda a F-1.) 
 
Alonso sai em oitavo. Fechando o top 10, Perez e Petrov.
 
Palpite para a corrida? Impossível, da mesma forma como prever o clima em Spa. O que é sensacional, diga-se.

Escrito por Fábio Seixas às 10h17

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Sexta, coluna

Naquele fim de semana, passou a ser visto com outros olhos pela turma do motor. Ao fim daquele ano, foi terceiro colocado na F-3 inglesa, com cinco vitórias. Na GP2, foi sétimo em 2007 (uma vitória) e vice-campeão em 2008.
Tinha tudo certo para correr na Honda em 2009, mas a equipe virou Brawn. Passou aquela temporada na Le Mans Series, para não enferrujar, e, no ano passado, estreou na F-1.
Só que foi na Hispania, com um carro que usava em Monza o mesmo pacote aerodinâmico de Mônaco.
Quase seis anos depois, Bruno estreia neste fim de semana pela Lotus Renault ainda sendo mais uma curiosidade que uma certeza. Mas por pouco tempo.
Com um carro de meio de pelotão, responderá, enfim, a qual categoria pertence.
 
A coluna de hoje relembra a primeira vitória de Bruno com um carro de corrida. Foi de F-3, nas preliminares do GP da Austrália de 2006. E fala sobre as dúvidas _talvez injustas_ que o cercam desde sempre.

A íntegra está aqui, para assinantes da Folha e do UOL. Na Folha Digital e no papel, a coluna Motor está na pág. D9.

Escrito por Fábio Seixas às 12h08

Comentários () | Enviar por e-mail | Colunas na Folha | PermalinkPermalink #

Spa, 1º e 2º treinos livres

Webber fez o melhor tempo do dia, mas a graça histórica ficou com o primeiro treino.

Abrindo os trabalho do final de semana em que sua estreia na F-1 completa 20 anos, Schumacher foi o mais rápido pela manhã.
 
Ele e Rosberg foram os únicos a conseguirem tempo antes de a chuva cair em Spa. Fizeram dobradinha, claro.
 
O tempo do heptacampeão, que está com um capacete dourado, 1min54s355. Rosberg ficou a 0s474.

Schumacher, nos boxes de Spa (Yves Logghe/AP)

 
Button, o mais rápido no molhado e consequentemente o terceiro colocado, fez 2min02s740. Foi seguido por Vettel, Hamilton, Sutil, Massa e Barrichello.
 
Bruno teve o treino interrompido após sete voltas, após rodar na curva 9. Ficou em 23º, uma posição atrás de Petrov.
 
À tarde, os pilotos tiveram mais tempo de pista seca e a coisa foi mais movimentada. Choveu, claro, porque estamos falando de Spa. Mas foi mais na parte final da sessão.
 
Webber cravou 1min50s321, 0s140 sobre Alonso, segundo colocado. Button foi o terceiro, seguido por Hamilton, Massa e Rosberg.
 
Barrichello foi o 16º. Bruno, que chegou a liderar o treino, terminou em 17º _Petrov teve problemas e ficou em último.
 
A conclusão é que as férias fizeram bem para  F-1. A Red Bull continua forte, mas a McLaren está lá também. E a Ferrari realmente melhorou. Spa deve ser um duelo a três equipes.
 
A Mercedes é a quarta força. A Force India pode aprontar alguma surpresa.
 
Bruno andou melhor do que eu imaginava. Rodadas acontecem.
 
E se o que manda é o cronômetro e se o primeiro adversário é o companheiro de equipe, ele começou muito bem essa sua segunda grande aventura na F-1.

Escrito por Fábio Seixas às 10h46

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Três fatos, três pitacos

O fato: Bruno corre em Spa e Monza.
 
Bruno em Spa, nesta quinta (John Thys/France Presse)
 
O que acho: ele fica até o fim do ano.
 
O fato: Massa disse que o carro melhorou muito em termos aerodinâmicos e que tem chances de vitória em Spa.
 
O que acho: vai ficar na mesma.
 
O fato: a Williams proibiu Barrichello e Maldonado de darem entrevistas nesta quinta-feira, alegando que a imprensa vem veiculando apenas notícias negativas sobre o time.
 
O que acho: uma tremenda babaquice de uma equipe que fez tantas coisas legais na F-1.

Escrito por Fábio Seixas às 15h07

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

A grande chance de Bruno

Num comunicado sucinto, de seis linhas, a Lotus Renault anunciou que Bruno correrá o GP da Bélgica na vaga de Nick Heidfeld.
 
Amanhã, às 15h locais (10h em Brasília), estará na entrevista coletiva da FIA.
 
E é só. Mais informações serão divulgadas amanhã, diz a nota.
 
Era algo esperado. A equipe vinha fritando Heidfeld há algum tempo e namorando dinheiro brasileiro.
 
Para Bruno, é a grande chance da carreira. Passando do Q1 e chegando ao fim da corrida, terá feito seu trabalho. A pitada histórica ficará por conta do retorno do binômio Senna-Lotus.
 
O comunicado não deixa claro se ele será mantido para o resto da temporada. Meu palpite: se não fizer nenhuma lambança em Spa, fica.

Escrito por Fábio Seixas às 14h31

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Toalha no chão

Este blogueiro disse no Pit Stop, dois posts abaixo, que o GP da Bélgica seria uma "hora da verdade" para a Ferrari. Se saísse de Spa com outro mau resultado, já mudaria a chavinha para começar a pensar em 2012.
 
Pois os italianos decidiram não esperar por isso.
 
Segundo o site da "Autosport", a equipe já está totalmente concentrada no carro de 2012, um "modelo muito inovador".
 
"Nosso objetivo realista para os oito GPs que restam é tentar vencer corridas e marcar o maior número possível de pontos. Tenho certeza de que podemos conseguir bons resultados, mas vamos evitar olhar para a classificação do campeonato", disse Domenicali. "O desenvolvimento do carro deste ano já está no fim da linha."
 
A Ferrari fez o certo. Não havia porque insistir. Alonso está 89 pontos atrás de Vettel. Nem por milagre.
 
(Aliás, o vice-líder, Webber, está a 85 pontos do alemão. E ainda tem gente que chia quando escrevo que o campeonato já acabou, que Vettel já é bicampeão. Eu adoraria ver uma briga pelo título até a última volta, mas, desculpem, não vai acontecer... E juro que a culpa não é minha.)

Escrito por Fábio Seixas às 09h47

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Programe-se

Fim de férias. Tem F-1 neste fim de semana.

E não haveria lugar melhor para voltar do que Spa. Não mesmo.
 
O circuito das Ardênias é o que melhor conserva algum resquício da F-1 das antigas, das corridas em estradas, sem mimimi. Traçado preferido da enorme maioria dos pilotos.
 
Segue a programação, no horário de Brasília:
 
Sexta-feira
5h-6h30, 1º treino livre
9h-10h30, 2º treino livre
 
Sábado
6h-7h, 3º treino livre
9h, treino oficial
 
Domingo
9h, largada, 44 voltas

Escrito por Fábio Seixas às 09h21

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Pit Stop #196

O GP da Bélgica é o principal assunto do Pit Stop desta semana. E o recheio é Schumacher, que completa 20 anos de F-1 nesta semana.

Ainda olhando pra trás, o programa fala dos 24 anos da morte de Pironi, nesta terça-feira.
 
Olhando pra frente, comenta MotoGP em Indianápolis, Indy em Sonoma, as chances de Bruno na Renault.
 
Lá vai...

Escrito por Fábio Seixas às 11h47

Comentários () | Enviar por e-mail | Pit Stop em vídeo | PermalinkPermalink #

Dia de trovão

Tom Cruise, vejam só, pilotou um Red Bull.
 
 
E sem truques. Pilotou mesmo. Foram 24 voltas em Willow Springs, na California. 
 
A Red Bull fazia um tour promocional pelos EUA, mas o passeio do ator aconteceu numa sessão fechada.
 
Segundo Coulthard, que serviu como professor, Cruise impressionou.
 
"Ele se dedicou a aprender e pegou tudo muito rápido. Foi incrível, considerando o quão difícil é pilotar um carro de F-1", disse o escocês.
 
Já vi o americano uma vez, em Mônaco. E uma coisa posso dizer. Tamanho de piloto, pelo menos, ele tem.

Escrito por Fábio Seixas às 09h25

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Em nome da segurança

Os pilotos pediram, e a FIA decidiu proibir o uso da asa traseira móvel na Eau Rouge durante os treinos do fim de semana.
 
Uma decisão sensata.
 
Uma das grandes experiências que tive na F-1 foi conhecer de perto a Eau Rouge e passar treinos e treinos ali, acompanhando quem aliviava e quem fazia a curva toda de pé embaixo.
 
Uma descida violenta, uma subida acentuada e um ziguezague no meio.
 
Não há nada parecido no automobilismo. Sem asa traseira, em carros construídos tão em cima da aerodinâmica, não daria mesmo...

Escrito por Fábio Seixas às 15h08

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Uma favela na minha rua

Tem uma favela na minha rua...
 
Descobri algum tempo depois de mudar para o Rio.
 
E não é uma favelinha, não é apenas um amontoado de barracos. É uma das maiores, a favela do Cantagalo, que se soma à Pavão-Pavãozinho e o que forma, para olhares externos, uma coisa só.
 
O acesso fica a cinco quarteirões de casa e ganhou há pouco mais de um ano, vejam só, um elevador.
 
 
"Facilitou muito a vida", diz Daniel, 12.
 
Fui passear por lá ontem. Estava com essa vontade havia algum tempo, os relatos que ouvi eram de tranquilidade, cordialidade e paz, achei que valeria a pena. Andei os tais quarteirões, entrei no elevador, respondi o "bom dia" da ascensorista, subimos.
 
Daniel me abordou depois que passei em frente à sua casa, com todo o jeitão de quem estava perdido. "Quer que eu te leve para ver a vista? Peraí que vou só colocar um casaco."
 
E fomos, Daniel e eu, ver a vista.
 
 
Primeiro, no Ciep Presidente João Goulart, a escola em que ele estuda. "Entro às 7h30 e saio às 14h30. Tenho inglês, computação e natação", conta o filho mais velho de uma família de sete irmãos, orgulhoso.
 
É um das mais belas que já conheci do Rio. Dá para ver toda a Lagoa, a praia de Ipanema, o Corcovado, a pedra da Gávea.
 
 
Saindo da escola, passamos pela UPP, que funciona provisoriamente em salas ao lado, e pelo prédio que está sendo contruído para abrigá-la de vez.
 
Daniel quer ser bombeiro e diz que pega umas dicas com os policiais que ali trabalham. Mais do que isso, integra um grupo de jovens que faz atividades comandadas pela UPP. Ontem à tarde, iriam ao Cristo. Eu nunca fui.
 
Por vielas, às vezes tendo de encostar em paredes para deixar motos passarem, chegamos a um mirante na Pavão-Pavãozinho. A rua desemboca em Copacabana, num trecho em que sempre tive medo de passar. Senti-me um babaca.
 
Outra vista sensacional. Agora, da "princesinha do mar".
 
 
No boteco, cervejinha rola solta, entre boas risadas. No caminho, um grupo de adolescentes católicos indo a um encontro na favela. E os sons de um culto evangélico num templo tão pequeno e acanhado que não reparei quando passei diante pela primeira vez.
 
Terceira parada, novamente a vista de Ipanema, agora perto de uma quadra de futebol.
 
 
Nos muros, são vários os agradecimentos à Lei Maria da Penha.
 
(Aliás, as mensagens nos muros com reflexões, declarações de amor, notícias e desabafos dos moradores são mais bacanas e significativas do que qualquer "mural" de rede social).
 
Não devia ser fácil a vida de algumas mulheres do pedaço...
 
 
"Nasci e cresci aqui", conta Daniel, apontando para sua casa. Desorientado em meio a tanto sobe-e-desce, tanta direita-esquerda, tantas vielas e quebradas, não reparei que estávamos de novo perto do elevador.
 
Digo-lhe que a vista que ele tem de sua casa é melhor do que a de qualquer prédio "lá embaixo". "É mesmo?", rebate, intrigado.
 
A última parada é o mirante do elevador...
 
 
Entrego uma nota de R$ 10 para Daniel. Agradecimentos mútuos, despedimo-nos com um aperto de mão.
 
Caminho de volta os cinco quarteirões com a impressão de que, enfim, algo está dando certo.
 
O trabalho é dificílimo, há favelas no Rio em situações complicadíssimas, longe de uma solução. Traficantes não evaporam. Se saem de uma comunidade, é para ir atormentar outra.
 
Mas o apoio da população é a grande chave. E a lógica é que a população apoie. As expressões dos moradores com quem cruzei, mais preocupados em viver a vida do que em se proteger de bala perdida, diz isso. O sorriso do Daniel, também.
 
Tempos atrás, o passeio de ontem seria uma imprudência. Hoje, eu recomendo.
 
Tem uma favela na minha rua!

Escrito por Fábio Seixas às 14h09

Comentários () | Enviar por e-mail | PermalinkPermalink #

Ver mensagens anteriores

PERFIL

Nina Horta Fábio Seixas, 37, é jornalista com mestrado em Administração Esportiva pela London Metropolitan University, da Inglaterra, e Coordenador de Produção da Sucursal da Folha no Rio. É colunista de automobilismo da Folha e do UOL.


RSS

BUSCA NO BLOG


ARQUIVO


Ver mensagens anteriores
 

Copyright Folha.com. Todos os direitos reservados. É proibida a reproduçãoo do conteúdo desta Página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folha.com.